A importância da regularidade de horário no transtorno bipolar

Mulher com vestido azul segurando um relógio em frente ao seu rosto

Categoria: Bipolar

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Manter uma regularidade de horário no transtorno bipolar, ou uma rotina consistente, é importante na diminuição do risco de mania e depressão. Idealmente, é ter horários regulares para alguns dos principais eventos do seu dia, como horários regulares para dormir e acordar, para as refeições e o trabalho.

A importância do horário regular no transtorno bipolar

Pessoas com transtorno bipolar são mais vulneráveis ​​a interrupções em seus ritmos circadianos, que são processos biológicos que operam em um ciclo de aproximadamente 24 horas e desempenham um papel crucial na manutenção da saúde. Exemplos de ritmos circadianos incluem o ciclo de sono e vigília, e o ciclo de regulação da temperatura corporal.

Leia também:  O relacionamento com um bipolar sempre fracassa?

O sistema circadiano é governado por um “relógio mestre” localizado em uma região do cérebro conhecida como núcleo supraquiasmático, e com a ajuda de outros relógios periféricos localizados nos tecidos do corpo. Eles sincronizam os ritmos biológicos com sinais externos do ambiente, como luz, horário das refeições e rotinas diárias (ou seja, os horários em que você vai à escola ou ao trabalho).

Os eventos da vida que perturbam o sistema circadiano provocam uma dessincronização contínua, levando a um episódio de humor.

Tanto quanto possível mantenha os fatores ambientais que servem como sinais para o seu sistema circadiano, como horários de refeições, horários de dormir e acordar, e horários de trabalho, estáveis. Isso diminui o risco de sofrer de hipomania ou depressão.

Leia também:  A internet prejudica o autodiagnóstico do transtorno bipolar?

3 passos para colocar em prática a regularidade do horário

Busque consistência nas atividades diárias

Mantenha os mesmos horários de dormir e acordar, de comer e de trabalhar diariamente.

Use esses horários regulares como pontos de ancoragem para estruturar seu dia. Concilie esses pontos de ancoragem com as outras coisas que surgirem ao longo do dia.

Publicidade

Use um calendário

Use um calendário para ajudá-lo a acompanhar os horários de eventos diários. Um calendário também é uma ferramenta útil para agendar os novos eventos que não se enquadrem em sua rotina regular.

O calendário garante que você não sobreponha eventos nos horários que interfiram em importantes pontos de ancoragem. Assim, você não coloca em conflito nenhuma rotina regular importante, como refeições, com eventos adicionais, de uma forma que tudo fique administrável.

Observe como sua agenda está afetando seu humor

O rastreamento do humor é apontado como uma excelente ferramenta para entender melhor seu transtorno bipolar.

Leia também:  Como reconhecer o transtorno bipolar em crianças?

Nesse caso, o rastreamento do humor será uma ferramenta especialmente útil quando você começa a acompanhar sua programação diária. Observe a relação entre as mudanças em sua programação (como alteração na hora de dormir ou de comer) e seu humor diário (ou seja, se você está passando por depressão, hipomania ou humor neutro).

Faça modificações em sua programação conforme necessário, de modo a encontrar uma atitude neutra (não depressiva ou maníaca ). Isso significa elaborar estratégias de resolução de problemas para ajudá-lo a ir para a cama em um horário regular, ou ter um almoço planejado com seu colega de trabalho no mesmo horário todos os dias.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *