O transtorno bipolar pode ser curado?

Várias mulheres lado-a-lado fazendo várias expressões faciais diferentes

Categoria: Bipolar

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Os esforços para abraçar a esperança de que a cura para o transtorno bipolar existe são potencialmente indutores de culpa naqueles que vêem a cura como fora de seu alcance.

O modelo médico mais predominante sustenta a visão de que o transtorno bipolar tem base biológica, é crônico e dura toda a vida. Essencialmente, se você desenvolveu este transtorno, estará preso à ele, e há pouca ou nenhuma chance de resolução.

Se você já foi hospitalizado ou experimentou episódios recorrentes de instabilidade emocional moderada a aguda, provavelmente teve de aceitar a permanência de sua condição e teve de aprender a conviver com ela. A realidade é que a maioria dos estudos longitudinais apóia a noção de que o transtorno bipolar é uma condição crônica vitalícia.

Porém, quando a condição não envolve o uso de drogas e/ou álcool, a pessoa é mais habilidosa em lidar com estressores externos, bem como com o impacto de emoções complexas, os sintomas bipolares leves diminuem significamente e não atingem mais o limiar para o diagnóstico de transtorno bipolar.

Leia também:  A internet prejudica o autodiagnóstico do transtorno bipolar?

Os estressores ambientais e situacionais são generalizados: ambientes de trabalho acelerados, alto volume acadêmico, a aproximação de prazos de entrega de trabalhos e indivíduos difíceis que nem sempre nos tratam com gentileza, tudo isso está no domínio do estresse externo.

Eles estão por aí, e é difícil evitar esse tipo de estresse na vida.

Nosso psiquismo desempenha um papel absolutamente significativo em como o dia é vivenciado. A noção de que as circunstâncias ou outras pessoas nos fazem sentir é imprecisa. A vida vem até nós, mas o modo como respondemos vem da nossa própria criação.

Onde investir esforços para conviver com o transtorno bipolar?

A melhor resposta é: terapia. Se a autoconsciência, o gerenciamento do estresse, os processos de tomada de decisão e as habilidades interpessoais podem sofrer alguma influência, então faz sentido que a melhoria dessas funções melhore o senso geral de equilíbrio emocional.

Leia também:  Como o transtorno bipolar e a inteligência estão ligados?

Parece evidente que fazer terapia como meio de melhorar o estilo de enfrentamento é uma coisa razoável. Contudo, ela não resolverá os sintomas do transtorno bipolar. Mesmo o indivíduo bipolar mais perspicaz, autoconsciente e autoaceitável ainda experimentará uma mistura de altos, baixos e/ou irritabilidade que é difícil controlar.

Publicidade

A terapia voltada para uma mudança pessoal significativa também não é uma tarefa simples. A terapia séria, profunda e transformadora é um trabalho árduo. Enfrentar problemas pessoais é algo que normalmente evitamos porque envolve uma razoável dor emocional.

Mas se você estiver motivado e quiser encontrar um profissional qualificado para facilitar o processo, então a mudança pessoal significativa será possível.

Leia também:  Transtorno bipolar: como amar alguém que é maníaco-depressivo?

Viver com transtorno bipolar não é fácil. Se seus sintomas normalmente estão no extremo mais grave do continuum bipolar, então muito do que estou escrevendo sobre terapia e manejo de sintomas bipolares pode simplesmente não ser relevante.

Por outro lado, se você é um indivíduo com transtorno bipolar cujos sintomas permitem que mantenha um funcionamento razoavelmente eficaz, então, com esforço, poderá melhorar. Em última análise, se você puder melhorar o que é mutável, terá uma probabilidade maior de viver melhor com seu transtorno bipolar.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *