A fidelidade é suficiente para sustentar um casamento?

Um casal sorrindo e tomando um café juntos

Categoria: Casamento

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Em termos de casamento fidelidade significa, tecnicamente, exclusividade sexual, ser fiel ao parceiro. Contudo, a coisa mais cruel que alguém pode fazer é ser bom em fidelidade, mas ruim em celebrar o casamento.

Para realmente manter um vínculo amoroso e vital, é preciso fazer mais do que:

  • Apenas voltar para casa;
  • Apenas esperar sexo e;
  • Se abster da infidelidade.

É preciso voltar para casa de uma maneira que faça o parceiro saber por que se está voltando para ele. Comer, em silêncio, a refeição preparada, ou passar pela cozinha recém pintada não é celebrar o parceiro. Por mais que a celebração sem fidelidade careça de substância e corroa a confiança, a fidelidade sem celebração se parece com uma obrigação ou um hábito.

Ao longo dos anos, ouvi muitos pacientes com problemas de relacionamento dizerem: “Viver com um parceiro que simplesmente não nota você, o que você faz ou o que você ama é mais solitário do que viver sozinho”.

Leia também:  Estratégias do que fazer para lidar com um parceiro irritado

O que realmente significa celebrar um parceiro?

Uma celebração vai variar desde a comemoração de um evento com cerimônias e festas até a expressão de consideração especial ou uma aprovação calorosa. Entre os parceiros, a celebração pode ser a queda inesperada de uma xícara de café, um fim de semana surpresa ou um beijo carinhoso de boas vindas. Cada um tem uma valência diferente.

Ele se importa com o que você pensa sobre um novo empreendimento comercial, o pequeno cartão escrito significa mais do que grandes aplausos, e o abraço que você acabou de compartilhar é emocionalmente diferente, porque vocês são parceiros.

Em um casamento, a celebração faz com que o parceiro se sinta amado, e que é importante de uma maneira única. Para ambos, há a mudança da fidelidade da obrigação para a intimidade de ser conhecido, amado e desejado. É tão desejável que se encaixa na provocativa descrição de que “não há nada mais escandaloso do que um casamento feliz”.

O que impede os parceiros de celebrarem um ao outro?

Poucas pessoas querem dar ou receber aplausos toda vez que respiram. Alguns parceiros, no entanto, parecem inconscientes ou incapazes de celebrar o outro. História, trauma, cultura familiar ou medo de falhar podem impedi-los de reconhecer seu próprio valor e, por extensão, o de seu cônjuge.

  • O parceiro não precisa disso. Às vezes, um ou ambos assumem que estão juntos há tanto tempo que não há necessidade de comemoração. Isso é como dizer: “Nós já comemos juntos por tanto tempo, não há mais nada para se aproveitar na refeição agora”;
  • Não se pode comemorar diretamente. Amigos, pessoas no trabalho e outros membros da família ouvem elogios sobre o ótimo trabalho de decoração, a culinária fabulosa, a promoção, o brilhantismo, mas não os próprios parceiros. Porque? Isso reflete autoconsciência, competitividade ou mesmo desconforto com a reação positiva do parceiro sendo elogiado;
  • Ele é incapaz de aceitar um elogio. Algumas pessoas param de comemorar ou elogiar seu parceiro de maneiras pequenas ou grandes porque ele simplesmente não aceita elogios. Baixa autoestima, perfeccionismo, histórico de críticas, etc., fazem com que qualquer feedback positivo pareça inválido, suspeito, manipulador ou discrepante;
Leia também:  Paixão ou amor: como saber se você está apenas apaixonado?

Também é importante que o cônjuge elogiador mantenha sua perspectiva positiva, sugerindo gentilmente: “Não, não estou louco. Realmente acho que você está ótima nesse vestido. Se você mudar, tudo bem, mas acho que você está ótima” ou ” Você sabe que eu acredito em você e te amo?”

Em uma cultura que promove uma perspectiva maior do que a vida em tudo, parceiros podem ser pegos e oprimidos pela suposição errônea de que o outro quer um “grande elogio” ou “eventos planejados” e negligenciar a verdadeira celebração oferecida no detalhe, na piscadela, ou na carícia.

O poder e o potencial da mútua celebração

Um passo importante para aumentar a enaltação em um casamento é a celebração mútua, na qual ambos oferecem e recebem a glórias, ambos reconhecem que são importantes um para o outro nos grandes e pequenos eventos, nos momentos traumáticos e nos momentos mágicos.

  • “Não acredito que continuamos no caminho certo, com as crianças, enquanto cuidamos da doença de sua mãe!”;
  • “Como estamos pagando essas contas e ainda rindo ?”;
  • “Somos incríveis como dupla. O que precisamos é de um plano de fuga empolgante!”;

O que muda a fidelidade de obrigação para celebração são as pequenas coisas amorosas, que se tornam grandes porque vêm umas das outras.

Publicidade

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *