Como manter a paixão no relacionamento?

Labaredas de fogo em um fundo preto

Categoria: Casamento

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Manter a paixão no relacionamento pode ser um desafio para muitos casais. Porém, inicialmente, pelo que você se sentiu atraído? A resposta pode ser:

  • Habilidades?
  • Realizações e conquistas? ou;
  • Uma característica de personalidade, como senso de humor?

Algumas pessoas admitem que foram atraídas apenas pela aparência, sem saber nada sobre a pessoa por trás do rosto bonito. Mas, como são necessários duas pessoas para dançar o tango, os parceiros precisam de disposição para manter a paixão no relacionamento, bem como uma imagem realista do que isso envolverá.

Leia também:  A amizade entre homem e mulher é possível?

Uma maneira de reacender o romance é se concentrar na admiração e na apreciação autênticas, em oposição à falsa bajulação.

Mantendo o pés no romance real

O caminho para o romance real é baseado em uma diferença das imagens romantizadas e irreais do que a sociedade retrata sobre o que significa estar apaixonado. Essa comparação cria confusão para pessoas que não vivenciam pessoalmente o que veem nos filmes, gerando ressentimento e decepção.

Isso é especialmente verdadeiro quando os casais acreditam falsamente que devem sempre concordar, ou o relacionamento melhoraria se o parceiro “mudasse”. Obviamente, os casais não podem concordar sempre porque são pessoas diferentes e com diferentes visões do mundo e experiências de vida.

Mas com respeito à falsa esperança de mudança, é improvável que as pessoas mudem suas personalidades básicas. Manter a paixão no relacionamento também tem a ver com a aceitação de que traços de personalidade são duradouros.

Leia também:  Como o vício em sexo afeta os relacionamentos?

É necessário aceitar a responsabilidade por nossa própria felicidade, ao invés de acreditar que ela depende de nos apaixonarmos.

Manter a paixão no relacionamento envolve assumir problemas

Os sinais de alerta relacionais indicam problemas, avisando a ambas as partes de que a dinâmica de sua interação precisa de atenção. Mas, infelizmente, muitos casais são daltônicos até que um relacionamento já esteja estabelecido.

Assumindo que esses sinais indicam descontentamento (e não perigo), minimizar o impacto perturbador da descoberta de falhas envolve também considerar os aspectos positivos do relacionamento.

É muito mais rápido se apaixonar do que se desapaixonar, o que geralmente ocorre ao longo do tempo. A medida que os casais desenvolvem um relacionamento amoroso, é provável que ignorem fatores que afetem negativamente a união.

Publicidade

Encontre um novo motivo para se apaixonar

Os casais que desejam manter a paixão no relacionamento precisam dar uma nova olhada em seu parceiro. Um casal deve se aceitar como uma mistura de traços favoráveis ​​e desfavoráveis, pois vulnerabilidades como temperamento, personalidade e estilos de apego podem nunca mudar.

Leia também:  O que os casais precisam saber sobre o tratamento silencioso

A terapia de casal pode ajudar a reconhecer esses traços duradouros, bem como a necessidade de um ajuste conjugal. Isso contribui para um esforço sincero em dar outra chance ao casamento .

Quando, por um novo olhar é possível ver o mal e o bem, então os parceiros podem se concentrar em cultivar os traços positivos, muitas vezes atraentes, que alimentaram o desejo no início do relacionamento.

Mantenha o paixão no relacionamento permanecendo firme, realista e resiliente. Uma nova apreciação pelos traços positivos de seu parceiro se transformará em uma profecia auto-realizável.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *