Como sair de um relacionamento tóxico com segurança?

Homem gritando próximo ao ouvido de uma mulher

Categoria: Casamento

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Tomar a decisão de sair de um relacionamento tóxico envolve fazê-lo com segurança.

Se os esforços do parceiro pela reconquista falharem, ele vai atacar ainda mais, afinal seu ego está machucado.

Ele só será capaz de entender o término como um insulto, que viola a legitimidade de seu ego inflado. Ele pensará: “Como ousam me deixar?” ou “Quem pensam que são?”.

Ao planejar a saída de um relacionamento tóxico deve-se tomar algumas precauções antes da confrontação com o parceiro:

  • Proteja todas as coisas vivas. Em seguida, proteja seus pertences pessoais, principalmente itens que seu parceiro sabe que são valiosos para você;
  • Proteja suas informações online. Mesmo que você tenha feito isso recentemente ou acredite que suas senhas são seguras, altere todas elas. Saia de todas as contas sempre que usá-las, do e-mail às mídias sociais;
  • Bloqueie o acesso à cartões de crédito e contas bancárias compartilhadas. Sua segurança vale os poucos reais que custam pedir novos cartões. Se o parceiro for tiver acesso autorizado a qualquer conta bancária, informe por escrito que você quer revogar o acesso;
  • Reúna cópias de todos os documentos importantes. Se você puder, tire dinheiro do banco e coloque-o em outro local seguro. Se sua situação econômica está profundamente emaranhada com a de seu parceiro, consultar um advogado vai ajudar a conhecer melhor os seus direitos;
  • Mantenha as crianças em um lugar seguro e com alguém de confiança. Elas não devem estar presentes, onde quer que o rompimento ocorra, e não deve haver chance de aparecerem inesperadamente;
  • Construa uma rede de suporte. Ter um suporte genuíno em um processo que lhe trará tantas dúvidas é vital para sua saúde mental. Esse suporte é ainda mais importante caso algo aconteça com você;
Leia também:  Quando a frequência sexual entre parceiros é diferente

Quanto mais estreita for a relação, mais motivado o parceiro estará em atacar.

Se não fisicamente, então suas vítimas estarão em risco socialmente, profissionalmente e financeiramente.

Amigos, trabalho e dinheiro são armas em potencial para um parceiro abusivo. Leve isso a sério.

É melhor estar errado e se sentir bobo do que estar certo e arriscar danos graves ou até mesmo a morte.

A importância de buscar apoio jurídico e de saúde mental quando crianças estão envolvidas também não pode ser subestimada.

Você precisará de alguém experiente em violência doméstica e que trabalhe com divórcios litigiosos, se necessário.

Sem essas qualificações, mesmo um profissional altamente qualificado e bem-intencionado pode deixar de ver os sinais e perigos de sair de uma situação abusiva.

Leia também:  30 sinais de que uma esposa perdeu o interesse pelo marido

Portanto, reserve um tempo para procurar especialistas relacionados ao seu caso.

Publicidade

Esta parte pode ser mais desafiadora se você estiver em um relacionamento homoafetivo. Em alguns casos, amigos e familiares podem não estar cientes da sua afetividade.

Buscar apoio nessas situações envolve enfrentar as possibilidades de discriminação, estigma, violência e rejeição. Entre a psicologia do abuso e uma sociedade intolerante, as vítimas homoafetivas podem estar completamente sozinhas.

Sair de um relacionamento tóxico pode ser petrificante quando alguém se sente sozinho, então qualquer maneira de reduzir esse medo ajuda na jornada.

O simples conhecimento de que alguém confiável está ao seu lado pode ser exatamente o que você precisa para seguir em frente.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *