6 formas de abuso emocional que você precisa estar ciente

Uma mão com barbantes amarrados nos dedos manipulando um boneco

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Quando as pessoas ouvem o termo “abuso emocional”, geralmente o associam com a violência física. Mas, claro que abuso emocional é igualmente prejudicial, se não mais, onde os agressores se valem de táticas de manipulação para controlar suas vítimas.

Conhecer essas táticas vai ajudá-lo a identificar um caso de abuso emocional, caso você ou um ente querido seja uma vítima. Ao entendê-las, poderá obter ajuda e sair de uma situação perigosa, antes que seja tarde demais.

Estar ciente sobre as táticas de abuso emocional servem para:

  1. Compreender melhor o que está acontecendo em seu relacionamento. Esse entendimento vai ajudá-lo a escolher se deseja continuar a conexão ou não;
  2. Protegê-lo de mais destruição. Assim, poderá tomar precauções para se proteger de mais perigos no futuro. Isso inclui estabelecer limites com seu parceiro ou solicitar ajuda externa de amigos ou parentes.

Situações onde a manipulador usa táticas de abuso emocional

Os manipuladores geralmente são muito bons em ler pessoas e situações. Eles usam essas informações para controlar ou se afastar das conversas. Por exemplo:

  • Tentar induzir a culpa em uma pessoa para influenciá-la a realizar uma ação ou;
  • Usar as preocupações de outra pessoa para chamar sua atenção e atender as próprias demandas.

Os manipuladores frequentemente tentam impressioná-lo e influenciá-lo a fazer atividades por deles. Por exemplo, podem afirmar algo como: “Você é muito mais brilhante em comparação com todos os outros”, a fim de fazer com que você faça o dever de casa para eles.

Existem muitos exemplos de situações em que eles manipulam você. Às vezes, fazem isso intencionalmente, e outras vezes o fazem sem querer. Por exemplo, ser convencido por um manipulador para participar de sua festa, com a justificativa de que todo mundo está indo e você não pode ser o pária.

Leia também:  A Psicologia do bloquear e desbloquear nas redes sociais

Embora esse comportamento pareça ser eficaz, geralmente sai pela culatra e causa mais problemas do que corrige.

Mudanças frequentes de assunto da conversa

Os manipuladores geralmente mudam o assunto da conversa para atender às próprias necessidades, ou mudam de assunto para evitarem responder perguntas difíceis. Por exemplo, eles podem trazer à tona um tópico controverso para desviar a atenção de suas próprias deficiências, ou usar essa tática para assumir o controle do discurso.

Isso é feito mudando o tópico para algo com o qual eles se sintam mais confortáveis​, ou introduzindo um novo tópico sobre o qual desejam falar. Em alguns casos, os manipuladores mudam de assunto apenas porque o existente se tornou entediante. Isso é frustrante para a outra pessoa, pois parece que a conversa não está indo a lugar nenhum.

Brincar com as inseguranças da vítima

Você já sentiu como se alguém o estivesse explorando de forma inadequada? Parece que ele estava se aproveitando de suas inseguranças para obter o resultado desejado. Se assim for, você não está sozinho. Muitas pessoas são manipuladas todos os dias por quem sabe brincar com suas inseguranças.

Existem muitos exemplos de como os manipuladores brincam com suas inseguranças, fazendo-o duvidar de si mesmo e se sentir culpado. Um exemplo comum é quando alguém lhe diz que você:

  • Não é bom o suficiente;
  • Não é inteligente o suficiente;
  • Não é bonito o suficiente ou;
  • Não é talentoso o suficiente.

Eles podem dizer coisas como: “Não estou convencido que você é o especialista no assunto”, para fazer você duvidar de si. Ou, podem dizer que outra pessoa está interessada em você com o propósito de fazê-lo se sentir mais desejável.

Dar um tratamento silencioso

Pode ser enervante quando um amigo próximo ou membro da família para de falar repentinamente. Parece que você fez algo errado, ou que há algo errado com eles. Mas, em muitos casos, o tratamento silencioso é uma tentativa deliberada de manipulação e controle.

Os manipuladores dão um tratamento silencioso após uma discussão como uma tentativa de fazer você se sentir culpado ou forçá-lo a se desculpar. Eles fazem isso para tomar o poder em um relacionamento, ou como punição por não fazerem o que querem.

Leia também:  Por que as pessoas te bloqueiam nas redes sociais?

Eles também podem usar o tratamento silencioso como um meio de manipular suas emoções, fazendo-o se sentir ansioso, indigno ou não amado.

Inúmeros fatores levam alguém a lhe oferecer o tratamento do silêncio. Eles podem querer puni-lo por algo que fez, ou podem estar tentando fazer com que você faça algo que desejam. De qualquer forma, o tratamento silencioso é um método de manipulação de emoções que não deve ser permitido.

O tratamento silencioso também é usado como uma forma de gaslighting, que é a tentativa de fazer você duvidar de suas lembranças ou verdades. Se você está sendo submetido ao tratamento silencioso, é importante compreender a situação e como proceder.

Embora não receber resposta seja perturbador e irritante, é importante lembrar que o tratamento silencioso é uma forma de abuso emocional.

Publicidade

Demonstrações frequentes de agressividade passiva

As pessoas passivo-agressivas têm medo de conflitos e tomam medidas consideráveis ​​para evitá-los. Em vez de expressar abertamente seus sentimentos, elas os expressam indiretamente, por meio de suas ações. Por exemplo, concordar em fazer algo que não quer fazer, e depois encontrar maneiras de sabotar a tarefa.

Elas também podem dizer uma coisa, mas fazerem o oposto. Para aqueles que experimentam esse comportamento é bastante agravante. Você tem um amigo que está sempre atrasado? Ou talvez tenha um colega de trabalho que sempre se esquece de fazer sua parte. Estes parecem comportamentos inócuos, mas na verdade são sinais de agressividade passiva.

A agressividade passiva é uma forma de manipular as pessoas fazendo coisas que indiretamente lhes causarão inconveniência ou dano.

Reações de desprezo ou depreciações

Quando estiver conversando com um manipulador, fique atento a comentários desdenhosos ou depreciativos. Estes são lançados para fazer você se questionar sobre o que está dizendo e fazendo. Por exemplo, um manipulador pode dizer “Isso não é um grande problema, ou você está sendo muito dramático” em resposta a algo que o deixa chateado.

Eles também podem menosprezar suas realizações ou minimizar suas preocupações, em um esforço de controlar a conversa. Quando você expressa uma opinião da qual o manipulador discorda, ele reage com desdém ou deprecia a sua opinião, de modo a fazer você se sentir menos confiante sobre suas crenças.

Leia também:  Por que o paciente mente para o Psicólogo?

Se você se vê sendo regularmente desprezado ou diminuído por alguém, é hora de ter uma conversa honesta sobre o que as palavras deles estão fazendo com você.

Tratar a vítima como uma criança

Há momentos em que você se sente maltratado como uma criança em uma conversa? Como se o que você tem a dizer não fosse sério ou importante? Essa é uma tática comum usada por manipuladores.

Os manipuladores costumam tratá-lo como uma criança em uma conversa para manipulá-lo. Falam com você em um tom condescendente ou sério e ignoram suas preocupações, descartando assim as suas ideias. Isso é muito perturbador e gera desamparado.

Isso faz você se sentir pequeno e impotente, de acordo com os objetivos do manipulador. Ao tratá-lo como uma criança, eles controlam a conversa e conseguem o que querem.

Muitas vezes, os manipuladores respondem de maneira arrogante. Eles também podem interrompê-lo com frequência ou falar sobre você. Isso é feito para fazer você se sentir inadequado e insignificante. Todas essas táticas são projetadas para fazer você duvidar de si mesmo e de suas opiniões.

Por exemplo, eles podem falar baixo, dizer o que fazer ou dar conselhos não solicitados. Isso geralmente é feito para fazer você se sentir menos capaz ou confiante, e mais propenso a concordar com o que dizem.

Isso pode acontecer de muitas maneiras diferentes, mas alguns exemplos comuns incluem:

  1. Falar de maneira arrogante ou desdenhosa com você;
  2. Fazer escolhas sem consultá-lo;
  3. Corrigir você constantemente, ou duvidar de suas escolhas;
  4. Fazer você se sentir culpado por suas opiniões ou escolhas;
  5. Ignorar suas preocupações ou ideias, e;
  6. Usar táticas de manipulação emocional para controlar seu comportamento;

Se você se deparar com uma situação em que alguém está constantemente tentando manipulá-lo e controlá-lo, é fundamental se defender e estabelecer limites. Não deixe ninguém tratá-lo como uma criança, afinal você é um adulto que merece ser respeitado!

Então, da próxima vez que alguém tentar manipulá-lo, tratando-o como uma criança, defenda-se e não deixe que controlem a conversa.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *