A arte de deixar ir: como praticar o desapego?

Uma mulher praticando o desapego ao rejeitar um homem

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Muito do nosso próprio sofrimento acontece devido ao desejo de controlar resultados e pessoas. Mas, se aprendermos a praticar o desapego, nos libertaremos desse sofrimento e encontraremos paz e felicidade.

A maioria de nós têm a necessidade ou desejo de controlar aspectos específicos, ou todos os aspectos da vida.

Contudo, quando as coisas não saem como planejamos, sofremos.

Se você está lidando com problemas de relacionamento, conflito familiar ou buscando por um equilíbrio saudável entre vida profissional e pessoal, continue lendo para saber como praticar o desapego.

O que é desapego?

Desapego é o processo de deixar de lado o resultado e nos concentramos no momento presente, de entender o que podemos e não podemos controlar e nos desconectarmos disso.

É como dar um passo para trás para poder avançar.

O que o desapego não é?

Muitas pessoas têm uma ideia errada de desapego e o veem como algo negativo. Então, vamos desmascarar alguns desses mal-entendidos comuns.

Desapego não é o mesmo que distanciamento

O desapego não serve para evitar lidar com problemas de relacionamento, por exemplo.

Pelo contrário, praticar o desapego em um relacionamento o fortalece ou pelo menos impede que ele se desfaça.

Desapego não é ser frio ou indiferente

Pelo contrário, quando nos livramos de apegos doentios não deixamos de demonstrar amor a essa pessoa, mas de uma forma mais saudável.

Ainda assim, a mudança que o desapego traz faz parecer para a outra pessoa que estamos nos afastando, e é por isso que a comunicação é vital.

Publicidade

Desapego não se trata de desistir

Na verdade, o desapego é uma prática benéfica na manifestação e estabelecimento de metas.

Quando você declara seu desejo e depois o deixa ir, se separa do resultado. Isso cria um fluxo claro de energia, aumentando sua capacidade de cocriação.

Benefícios para a saúde mental ao praticar o desapego

  • Uma nova perspectiva de como olhar para a vida de maneira mais objetiva e clara;
  • Emoções negativas como ansiedade, raiva, ciúme, tristeza e vaidade reduzidas;
  • Maior capacidade de se concentrar no que você tem do que no que não tem;
  • Relacionamentos mais saudáveis ​​e gratificantes;
  • Melhor autoimagem, maior autoestima e sentimentos de valor;
  • Maior tranquilidade.
Leia também:  Pare de se lamentar pelo término de uma amizade

Benefícios para a saúde física ao praticar o desapego

  • Reduz os níveis de estresse, a pressão e leva o sistema nervoso a um estado de equilíbrio;
  • Altos níveis de energia e menos cansaço, pois ao desapegar, você para de desperdiçar energia vital com coisas que não pode controlar;
  • Melhor qualidade do sono, pois você não vai mais se preocupar a noite toda.

Observe que os benefícios que você experimenta ao praticar o desapego dependem do que você desapega.

A seguir estão cinco áreas de sua vida onde é possível praticar o desapego, bem como as técnicas para fazê-lo.

Os 5 estágios do desapego

Quando nos deparamos com perda, tristeza ou fracasso, a prática de desapego torna-se a tábua de salvação que nos leva do sofrimento agudo para algo próximo da paz.

No entanto, não podemos saltar para o desapego. Ele requer prática e se revela em etapas.

  1. Observar a mente: tome consciência de que tipo de pensamentos você tem habitualmente. Onde o apego acontece com mais frequência para você;
  2. Distinguir entre ego e realidade: o ego vai lhe dizer que não conseguir o emprego que deseja arruinou sua carreira. A realidade é: você está desapontado porque não conseguiu algo que queria;
  3. Aceitar a incerteza: somente a disposição de abraçar o desconhecido fornece segurança. Aqueles que buscam segurança no mundo exterior a perseguem por toda a vida;
  4. Refletir: a reflexão ajuda sua mente a se liberar de padrões de pensamento e ação que não lhe servem mais. Passe algum tempo refletindo e observe como os padrões em sua vida começam a mudar;
  5. Não se culpar por cair em velhos hábitos: em vez de ficar frustrado ou desapontado ao voltar a um velho hábito, comemore que agora está percebendo quando repete um padrão de pensamento ou hábito.

O desapego de bens materiais

O minimalismo, que envolve reduzir seus bens materiais, é a prática de liberar o apego às coisas físicas.

Viver um estilo de vida minimalista é identificar o que é essencial e eliminar o resto. Ao fazer isso, você remove as distrações e se concentra melhor nas coisas que mais importam.

Esse aspecto do desapego também é sobre abrir mão do desejo de possuir coisas materiais.

É inútil vender ou doar todas os seus bens se você deseja comprar mais. Assim, esse tipo de desapego envolve investigar por que sente a necessidade de possuir coisas, as emoções e crenças em torno disso.

Como desapegar dos objetivos materiais?

Você precisa mudar sua perspectiva de sucesso para se desapegar da necessidade de obter bens materiais.

Crescemos em uma sociedade onde acreditamos que quanto mais possuímos, mais bem-sucedidos somos. Além disso, vende-se a ideia de que marcas caras equivalem a um status mais alto.

Por causa desse condicionamento, não é surpresa que nos concentremos em objetivos materiais.

Como todas as formas de apego, abrir mão do desejo de comprar e possuir coisas requer um trabalho interior.

É provável que esse desejo venha de uma falta de confiança ou baixa autoestima profundamente enraizada, onde você acredita que ter mais posses o tornará mais digno.

O primeiro passo para não se identificar mais com essa crença é reconhecê-la.

Então, praticar a gratidão vai ajudá-lo a se concentrar nas coisas que você já tem. Começar um diário de gratidão ajuda a perceber que as coisas mais importantes da vida não são bens materiais.

Leia também:  15 formas de oferecer mais segurança para as mulheres

Você precisa mudar seu foco para objetivos não materiais e, assim, deixar de lado o de possuir coisas.

O desapego no relacionamento romântico

Você também pode praticar o desapego em um relacionamento romântico. Esta é a forma de desapego mais desafiadora de entender e praticar, mas também é uma das mais vitais.

Muitos tratam seus parceiros, filhos, familiares e amigos como posses e, portanto, os tratam de maneira que seja do próprio interesse. Assim, quando essas pessoas não agem conforme o esperado, o sofrimento acontece.

Praticar o desapego em um relacionamento romântico é entender que não se pode controlar as reações ou ações da outra pessoa. Assim, desapego significa aceitar a outra pessoa como ela é, em vez de mudá-la ou controlá-la.

Ao praticar o desapego nos relacionamentos românticos, entenda as maneiras pelas quais você procura controlar.

Provavelmente você não apenas espera e deseja que alguém aja de uma maneira específica, mas também quer que tomem certas decisões em outros aspectos de suas vidas, mas que não estão relacionados a você.

Como praticar o desapego no relacionamento romântico?

A estratégia de desapego dependerá de suas circunstâncias únicas, pois cada relacionamento é diferente.

Por exemplo, evitar dar conselhos não solicitados a outras pessoas, e lembrar a si mesmo que não é responsável pelas ações dos outros.

Também é fundamental estabelecer limites consigo mesmo ou com um ente querido, de modo a proteger e fortalecer o relacionamento.

Ao lidar com problemas de relacionamento, será útil ingressar em um grupo de apoio ou falar com um Psicólogo.

O desapego de experiências passadas

Outra forma de desapego é abrir mão de experiências passadas, incluindo as negativas, como eventos traumáticos, e as positivas, como momentos agradáveis.

Isso é difícil porque, conscientemente, não pensamos que ainda estamos presos à essas experiências, mas em um nível subconsciente, ela nos afetam.

Quanto mais apegados estivermos aos eventos anteriores, menos estaremos no momento presente, ocasionando um efeito prejudicial em nosso bem-estar.

Isso é verdade, quer você esteja revivendo momentos felizes ou pensando em uma discussão que teve com alguém meses atrás. Repassar momentos repetidamente cria uma sensação de peso no coração, levando a várias emoções negativas como culpa, raiva, arrependimento ou amargura.

Além disso, todas as nossas experiências passadas formam nossas crenças e visão geral do mundo, incluindo preconceitos.

Ao ficarmos apegados à eles permaneceremos em um lugar de medo ou ansiedade.

No entanto, quando desapegamos, experimentamos maior liberdade e felicidade, bem como descobrimos a verdade que não podíamos ver antes.

Como desapegar do passado?

Encontrar o desapego emocional do passado requer muita autoconsciência. Portanto, o primeiro passo é aceitar sua tendência de insistir em eventos passados, sejam eles negativos ou positivos.

Então, ao praticar a meditação da atenção plena, você trará sua mente de volta ao aqui-e-agora sempre que observar sua mente vagando pelo passado.

Quanto mais você praticar a atenção plena, mais consciente ficará dessa tendência.

Lembre-se, não há solução rápida para se separar de sua mente. Os monges budistas dedicam suas vidas a se libertarem de suas mentes e egos, renunciando a todas as suas posses e meditando por várias horas todos os dias.

Leia também:  O que fazer quando o paciente se apaixona pelo Psicólogo?

No entanto, você não precisa se mudar para um mosteiro para ganhar mais consciência. Em vez disso, comece com uma prática diária de meditação.

O desapego do trabalho

Um “workaholic” é alguém que trabalha compulsivamente, sendo incapaz de limitar seu tempo. Isso causa problemas na vida familiar, com seu cônjuge acusando-o de ser muito apegado ou viciado em seu trabalho.

Porém, não são apenas os workaholics que precisam praticar o desapego do trabalho.

Nós subconscientemente criamos um rótulo ou identidade de quem somos com base em nossos cargos. Por exemplo, se alguém que você acabou de conhecer perguntar o que você faz, você provavelmente dirá a ele o seu cargo, como “Sou professor” ou “Sou médico”.

No entanto, o trabalho é apenas um aspecto de quem você é. Se tiver muito apego a ele, terá dificuldades de definir sua identidade pessoal caso perca o emprego.

Como desapegar do trabalho?

Se você quer se sentir menos apegado à sua carreira:

  1. Passe algum tempo refletindo sobre o que gosta de fazer e seus valores;
  2. Concentre-se em desenvolver mais hobbies e interesses fora do trabalho e que se relacionem com seus valores e interesses;
  3. Procure significado em outras coisas, como ser voluntário ou ingressar em um grupo comunitário.

Além disso, pense em maneiras de se descrever além do que você faz no trabalho. Por exemplo, se você gosta de ioga e espiritualidade, por que não se apresentar como um ávido praticante de ioga quando alguém perguntar o que você faz?

Certifique-se de pensar também sobre o seu equilíbrio atual entre trabalho e vida pessoal. Se você passa muito tempo no escritório ou leva trabalho para casa, pode ser necessário definir alguns limites.

O desapego do medo

Embora precisemos nos desapegar de todos os sentimentos que não nos servem mais, o medo é uma emoção com potencial de nos paralisar.

Ele é o culpado de tantas esperanças e sonhos abandonados, e é o que faz com que as pessoas desistam de um objetivo antes mesmo de iniciá-lo.

Portanto, se você deseja viver uma vida plena, onde passa os dias fazendo o que deseja sem estresse ou arrependimento, aprenda a deixar o medo de lado.

Além disso, saber como superá-lo torna menos provável que sofra de ansiedade crônica e outras condições de saúde mental.

Como desapegar do medo?

A melhor maneira de se desapegar do medo é enfrentá-lo de frente, fazendo coisas que o assustam.

Cada vez que você sai da sua zona de conforto, ganha mais coragem e autoconfiança, e a sensação de medo diminui um pouco mais.

No entanto, quando você está em meio à ele, é fácil sentir-se paralisado. Nessa situação, é reserve um tempo para se acalmar antes de fazer qualquer coisa.

Palavras finais

Quanto mais nos esforçamos para controlar, mais estresse, ansiedade e sofrimento criamos para nós mesmos.

No entanto, ao iniciar a jornada e praticar as técnicas de desapego, você experimentará um bem-estar aprimorado e uma vida muito mais tranquila!

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *