Razões para um Psicólogo não querer mais atender um paciente

Um homem de costas carregando uma bolsa preta na mão esquerda e uma bengala na mão direita, enquanto caminha por um corredor, e se afastando do observador.

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Quando um paciente inicia um processo de terapia com um Psicólogo, é esperado que haja uma relação de confiança e respeito mútuo. No entanto, em certas situações, ocorre do Psicólogo decidir não querer mais atender determinado paciente.

Embora essa decisão pareça surpreendente ou até mesmo injusta para o paciente, existem algumas razões justificadas que podem levar a esse desfecho.

Para ser claro, é incomum que um Psicólogo não queira mais atender um paciente. No entanto, cada caso e cada paciente são diferentes, mas normalmente a desistência tem a ver com comportamentos e problemas comuns que levam a um rompimento.

Veja alguns motivos:

Falta de afinidade terapêutica

A aliança terapêutica entre o Psicólogo e o paciente é um fator essencial para o sucesso do tratamento. Em alguns casos, pode ocorrer uma falta de afinidade entre os dois, onde a dinâmica não se mostra produtiva ou benéfica.

Essa falta de afinidade é resultado de diferenças de personalidade, valores ou abordagens terapêuticas. Quando essa incompatibilidade compromete a qualidade do atendimento, o Psicólogo pode decidir não querer mais atender o paciente e encaminhá-lo para outro profissional.

Leia também:  O que fazer quando o paciente se apaixona pelo Psicólogo?

Nenhum progresso está acontecendo

O objetivo da terapia é promover o crescimento e o desenvolvimento pessoal do paciente. No entanto, em alguns casos, ocorre uma estagnação ou falta de progresso significativo.

Se o Psicólogo perceber que, mesmo após um período adequado de tempo e esforço, o paciente não está apresentando melhoras ou não está disposto a explorar novas abordagens, ele pode interromper o atendimento. Essa decisão é tomada com base na avaliação profissional do Psicólogo sobre a eficácia do tratamento.

Desresponsabilização pelos próprios problemas

Assumir a responsabilidade, pelo menos em algum nível, por coisas com as quais se está lutando é crucial. As pessoas que culpam tudo e todos ao seu redor são aquelas a quem o Psicólogo não vai mais querer atender, dizendo que a terapia não será capaz de ajudá-las.

Incompreensão sobre o objetivo da terapia

Alguns pacientes ficam frustrados com a terapia, e isso levará a uma separação iniciada pelo Psicólogo. Ele não está lá para validar a opinião negativa sobre outras pessoas. O Psicólogo estão lá para ajudar o paciente a entender por que está em um relacionamento, e se deseja de fato estar nele.

Falta de comprometimento

Um dos aspectos fundamentais da terapia é o comprometimento do paciente em participar ativamente do processo. Isso inclui comparecer às sessões regularmente, seguir as orientações do psicólogo e trabalhar de forma colaborativa para alcançar os objetivos terapêuticos.

Publicidade

Se o paciente demonstrar falta de comprometimento, como faltar frequentemente às sessões sem justificativa válida, não realizar as tarefas propostas ou não mostrar interesse em progredir, o psicólogo pode considerar que a continuidade do atendimento não é benéfica para ambas as partes.

O paciente cancela muitas sessões

Problemas surgem na vida e atrapalham o andamento da terapia, e o Psicólogo entende isso. Mas se você está regularmente cancelando compromissos, ou mesmo ignorando completamente o seu Psicólogo, então ele vai encerrar os atendimentos.

Leia também:  Como saber se o Psicólogo está apaixonado pelo paciente?

Ele não quer que o paciente continue indo à terapia e tomando apenas “meia dose do tratamento recomendado”. É como tomar meia dose de medicamento, e isso não vai funcionar.

Comportamento inadequado

A segurança do paciente e do Psicólogo são uma prioridade durante o processo terapêutico. Se o paciente apresentar comportamentos agressivos, violentos ou ameaçadores, seja verbalmente ou fisicamente, o Psicólogo pode considerar que não é mais seguro ou adequado continuar o atendimento.

Nesses casos, é importante garantir a segurança de todos os envolvidos e buscar alternativas de suporte e cuidado para o paciente.

Conflito de interesses profissionais

Por fim, outro motivo que leva um Psicólogo a não querer mais atender um paciente é a existência de um conflito de interesses profissionais. Isso ocorre quando o Psicólogo possui algum tipo de relação pessoal ou profissional que comprometa sua imparcialidade ou prejudique a qualidade do atendimento.

Aqui, o Psicólogo pode optar por encaminhar o paciente para outro profissional.

O que o paciente pode fazer?

Se você se encontrar nessa situação, é essencial buscar alternativas para continuar seu processo de cuidado mental. Aqui estão cinco opções a considerar:

Uma das primeiras alternativas a considerar é procurar outro Psicólogo. Cada um tem sua própria abordagem e estilo de trabalho, e pode ser que você encontre alguém que se encaixe melhor com suas necessidades e expectativas. Pesquise profissionais na sua área, leia sobre suas especialidades e entre em contato para agendar uma consulta inicial.

Buscar terapia em grupo

A terapia em grupo é uma opção válida para continuar seu processo terapêutico. Ele oferece uma oportunidade para compartilhar experiências, receber suporte de pessoas que passam por situações semelhantes e aprender com as perspectivas de outras pessoas.

Considerar a terapia online

A terapia online tem se tornado cada vez mais popular e acessível. Se você não conseguir encontrar um Psicólogo presencial que atenda às suas necessidades, a terapia online é uma alternativa viável. Existem várias plataformas seguras e confiáveis que oferecem sessões com profissionais qualificados. Certifique-se de escolher uma plataforma que atenda aos seus critérios e que seja compatível com suas preferências.

Leia também:  O que fazer com amizades que se afastam do nada?

Explorar outras abordagens

Existem várias abordagens disponíveis, e pode ser que uma outra modalidade se adeque melhor às suas necessidades. Por exemplo, se você estava fazendo terapia cognitivo-comportamental, pode considerar explorar a terapia psicodinâmica ou a gestalt terapia. Pesquise sobre diferentes abordagens e converse com profissionais qualificados para encontrar a melhor opção para você.

Utilizar recursos de autocuidado

Enquanto busca uma nova alternativa, não negligencie seu autocuidado. Existem várias práticas que ajudam a promover seu bem-estar mental, como exercícios físicos, meditação, yoga, hobbies e outras atividades que trazem alegria e relaxamento. O autocuidado é uma parte essencial do processo de cuidar da sua saúde mental.

Palavras finais

É importante ressaltar que a decisão de interromper o atendimento de um paciente não é tomada de forma leviana. Os Psicólogos são orientados por códigos de ética profissional que estabelecem diretrizes claras para o cuidado e o respeito aos pacientes.

A interrupção do atendimento é uma medida extrema, tomada apenas quando todas as outras alternativas foram esgotadas e quando é considerado o melhor interesse do paciente e do próprio Psicólogo.

Em resumo, embora seja raro, há situações em que um Psicólogo decide não querer mais atender um paciente baseado em razões justificadas. É importante que o paciente entenda que essa decisão é tomada visando o bem-estar de ambas as partes e que existem alternativas e outros profissionais disponíveis para continuar o processo terapêutico.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

6 comentários em “Razões para um Psicólogo não querer mais atender um paciente”

  1. A minha desistiu após 2 anos,disse que não poderíamos mais ter contato terapêutico e não atende a minha demanda.apos 3 meses,tentei uma sessão para ela explicar o motivo q eu entenda sem chavões psicanalista, agendei,paguei,no outro dia a secretária me avisa que foi cancelada por motivos terapêuticos e ela não pode me atender.morrerei sem saber

  2. E se o psicólogo vive dando desculpas por não poder atender os seus pacientes, e deixa as sessões pela metade, o caso da minha filha, ela nem chegou a dar alta da minha filha abandonou ela no meio das sessões e deu somente um atestado e não deu os outros atestados da minha filha pra mim para levar a escola para abonar as faltas dela e como fica ?
    E foi pagas todas as sessões dela.
    Como se chama essa profissional?

    1. Existe um código de ética que deve ser respeitado por todos os Psicólogos. Se você está se sentindo prejudicada, recomendo procurar o conselho regional de Psicologia do seu estado. Eles vão te orientar como proceder.

  3. Bom vi muito e tudo indica q é pq o paciente n é um bom paciente e n faz seu dever de casa e quando o psicólogo é péssimo, ele nunca vai admitir ou sempre culpa do paciente

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *