Soluções para escapar da armadilha do perfeccionismo

A silhueta de uma mão fazendo sinal de ok

Categoria: Perfeccionismo

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Você passa horas selecionando um documento, postagem de blog, instagram ou e-mail? Nesse caso, há uma boa chance de ser um perfeccionista.

Embora muitos elogiem essa característica, o perfeccionismo torna a vida das pessoas mais difícil. Portanto, reconhecer as tendências é o primeiro passo para recuperar o controle.

Os sinais de que você é um perfeccionista

Muitos de nós nos prendemos a padrões impossíveis. Isso afeta nossas aspirações pessoais, empreendimentos comerciais ou relacionamentos sociais.

Contudo, são os perfeccionistas que mais temem o fracasso e não se contentam com o “suficientemente bom”.

É inegável que a adesão a altos padrões impulsionou os avanços científicos e os espetaculares feitos tecnológicos. O perfeccionismo é importante na engenharia, aviação e demais áreas relacionadas à segurança.

Leia também:  O preço por ser perfeccionista é alto demais

Mas algumas medidas de “perfeição” são inerentemente subjetivas e sabotam carreiras e comunidades.

Reconhecemos esse fenômeno em nossos amigos, familiares e colegas, mas não em nós mesmos.

Veja estes sinais característicos de um perfeccionista:

Padrões irrealistas

Você se esforça constantemente para corresponder a expectativas de perfeição em todos os aspectos de sua vida? Assim como os inovadores querem desenvolver o protótipo perfeito, os pais querem criar filhos perfeitos.

Excesso de generalização

Vincular o valor próprio à aprovação externa leva a uma vida inteira de autocrítica e sentimentos de inadequação. Um erro não define você, sua carreira ou suas realizações.

Comportamento compulsivo

Você refina infinitamente as versões de seu trabalho? Você se arruma e limpa obsessivamente? Comportamento compulsivo como organizar e reorganizar são sinais de perfeccionismo.

Pensamento catastrófico

Outra pista reveladora é quando pequenos erros parecem grandes desastres. Qualquer forma de feedback é interpretado como uma intensa crítica.

Busca por segurança

O perfeccionista busca continuamente a validação e a aprovação dos outros. Com o tempo, ela destrói relacionamentos valiosos.

Negação de elogio

Os perfeccionistas resistem em aceitar elogios ou celebrar realizações. Eles sempre acreditam que não corresponderam aos padrões exibidos por outros;

Leia também:  Qual a relação entre o TDAH e o perfeccionismo?

Procrastinação excessiva

Os procrastinadores que atrasam o início ou a conclusão das tarefas costumam ser perfeccionistas. A maioria das pessoas adia fazer dieta ou economizar, por exemplo, porque acredita nunca ser a hora certa.

O preço do perfeccionismo

O perfeccionismo não gerenciado cobra um alto preço. A maioria dos perfeccionistas opera em um estado perpétuo de miséria auto-induzida, levando a angústia, desapontamento e defensividade.

Também espalha o estresse, contaminando outras pessoas. Duvidas excessivas deixam todos infelizes.

Líderes perfeccionistas não conseguem priorizar e ruminam incansavelmente, deixando problemas sem solução. E isso esgota a produtividade.

Passar mais tempo em seu projeto favorito não melhora necessariamente o resultado ou a apreciação dos outros por ele.

Os perfeccionistas também alcançam menos resultados do que os grandes empreendedores porque a pressão autoimposta prejudica a saúde mental, provocando estresse crônico e esgotamento.

Como combater o perfeccionismo e recuperar o equilíbrio?

A seguir estão algumas estratégias para combater o perfeccionismo e recuperar o equilíbrio:

As estratégias para reduzir o perfeccionismo

  1. Estabelecer metas menores: encontre o meio termo entre alto desempenho e mediocridade. Divida as tarefas em etapas menores, tome decisões com limite de tempo e concentre-se no progresso, não nos resultados ideais;
  2. Ampliar a perspectiva: a maioria das situações não se trata de resultados de vida ou morte. Questione seus padrões e avalie se eles são necessários. Ajuste as expectativas para alinhar com o que importa;
  3. Abraçar a autocompaixão: seja gentil consigo mesmo. Até os especialistas erram e a vida destrói a maioria dos planos. Lutar pelo impossível é cansativo e uma fonte de inevitável decepção. Não use o perfeccionismo como uma medalha de honra;
  4. Automatizar processos: automatize processos, hábitos e tarefas rotineiras para reduzir o risco de atrasos causados ​​pela indecisão;
  5. Celebre o progresso: reconheça as conquistas, por menores que sejam. Reconheça que o progresso vem do esforço consistente, não da luta pelo inatingível. Feito é melhor do que perfeito;
  6. Desafiar o pensamento de tudo ou nada: reconheça a tendência de ver as coisas em extremos. Aceite ser bom o suficiente e separe a autoestima do desempenho.
Leia também:  Como lidar com um parceiro que espera a perfeição?

Não há necessidade de quebrar a si mesmo. Lembre-se: o perfeccionismo é um padrão inatingível.

Deixe de lado a necessidade de perfeição e torne a vida mais fácil para você e para as pessoas ao seu redor: “Seja apenas bom o suficiente.”

E não há hora certa para começar.

Publicidade

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *