3 razões pelas quais você procrastina

Homem de terno encostado e com o pé em uma parede amarela, enquanto ele olha para um celular e com fones de ouvido.

Categoria: Procrastinação

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Quando pacientes empreendedores vêm se consulta comigo, a procrastinação costuma ser o primeiro problema que eles precisam resolver. Muitos de nós sentimos que não podemos trabalhar com a eficácia que gostaríamos, às vezes deixando de concluir até mesmo as tarefas mais importantes e enfrentando grandes consequências como resultado.

Muitas vezes o problema da procrastinação é que você está se sentindo sobrecarregado ou não tem energia para fazer as coisas importantes. Então acaba priorizando, fazendo listas de tarefas de baixo valor ou ignorando o problema, na esperança de que eles sejam resolvidos.

Leia também:  Os procrastinadores são apenas preguiçosos?

Infelizmente, essas estratégias geralmente não funcionam. Por que? Porque elas não confrontam as razões subjacentes à sua procrastinação.

Entenda que, para ser produtivo, há três coisas importantes à se observar:

  1. Qual tarefa planeja fazer e por que planeja fazê-la? Por exemplo, alcançar clientes escrevendo uma postagem no blog;
  2. Como fazer? Por exemplo, como escrever uma postagem de blog, qual será o seu assunto, como estruturá-lo, etc;
  3. Querer fazer e, se não quiser, por quê? Existe algo mais que você poderia fazer em vez disso?

Se uma dessas coisas estiver faltando, é altamente provável que você procrastine. Portanto, se você estiver procrastinando, não se critique, já que isso raramente funciona! Em vez disso, é melhor você se perguntar: “Por que estou fazendo isso?”

Publicidade

Você procrastina não porque é preguiçoso, incapaz ou improdutivo, mas sim porque que existem razões subjacentes que sabotam a produtividade.

Leia também:  4 coisas que as pessoas não entendem sobre a procrastinação

A próxima etapa é se concentrar em cada um desses elementos e garantir que todos estejam concluídos. Por exemplo, se você estiver escrevendo uma postagem de blog, certifique-se de entender o que precisa fazer e por que precisa fazer. Certifique-se de que está claro como exatamente essa atividade vai atrair mais clientes, porque se você não tiver certeza, seu cérebro pensará que não é tão importante.

Em seguida, certifique-se de que você sabe como realizar sua tarefa: Nesse caso, de saber como escrever uma postagem no blog. Por exemplo, você pode precisar investir algum tempo pesquisando seu tópico e encontrando dicas sobre como atingir seu público-alvo.

Se você completar tudo isso e ainda resistir ao trabalho, pergunte-se: “Será que eu realmente quero fazer isso?”

Se a resposta honesta for não, então considere se há outro meio que você poderia usar para o mesmo efeito. Por exemplo, você poderia fazer uma transmissão ao vivo semanal em vez de escrever? Ou talvez grave um podcast?

Leia também:  6 excelentes truques para quem quer parar de procrastinar

É importante que você encontre a maneira mais natural de concluir uma tarefa, de modo que isso minimize o risco de procrastinar nas tarefas cruciais que impulsionam seus objetivos.

Para resumir, para que você pare de procrastinar, você precisa entender o motivo pelo qual está procrastinando. Não é porque há algo fundamentalmente errado com você, e você não é necessariamente desorganizado ou incapaz.

Você simplesmente não está preparado para o sucesso. Examine qual dos três critérios de sucesso está faltando:

  • Saber o que fazer;
  • Como fazer e;
  • Ter o desejo de concluir.

Resolva-os. Se você fizer isso, adiar essas tarefas menos do que desejáveis ​​se tornará uma coisa do passado.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *