Por que as pessoas procrastinam, e o que fazer a respeito?

Mulher dormindo em uma cama de cor cinza

Categoria: Procrastinação

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Se você tem o hábito de deixar as coisas sempre para depois, provavelmente já se perguntou: “por que procrastino tanto?” ou “por que continuo procrastinando mesmo sabendo que isso é ruim para mim?”.

A resposta curta e direta

Os principais mecanismos psicológicos por trás da procrastinação são:

  • Quando precisamos fazer algo, confiamos principalmente em nosso autocontrole para conseguirmos concluir a tarefa;
  • Nosso autocontrole muitas vezes recebe apoio de nossa motivação, o que nos ajuda a fazer as coisas em tempo hábil;
  • Em alguns casos, experimentamos certos fatores desmotivadores, como ansiedade ou medo do fracasso, que têm um efeito oposto ao da nossa motivação;
  • Além disso, às vezes vivenciamos certos fatores de impedimento , como exaustão ou recompensas que estão em um futuro distante e que interferem em nosso autocontrole e motivação;
  • Quando fatores desmotivadores e dificultadores superam nosso autocontrole e motivação, acabamos procrastinando, seja indefinidamente ou até chegarmos a um ponto no tempo em que o equilíbrio entre eles muda a nosso favor.

Quando se trata de razões específicas pelas quais as pessoas procrastinam, em termos de fatores desmotivadores e dificultadores, as seguintes estão entre as mais comuns:

  • Objetivos abstratos;
  • Recompensas que estão em um futuro distante;
  • Desconexão com nosso eu do futuro;
  • Sentimentos de sobrecarga;
  • Ansiedade;
  • Aversão à tarefa;
  • Perfeccionismo;
  • Medo de avaliação ou feedback negativo;
  • Medo de falhar;
  • Uma sensação de falta de controle;
  • Déficit de atenção;
  • Depressão;
  • Desmotivação;
  • Falta de energia;

Para lidar com a procrastinação com sucesso, você precisa descobrir por que procrastina e como sua procrastinação o está impedindo de atingir seus objetivos. Isso permite formular um plano de ação concreto, baseado em técnicas apropriadas de antiprocrastinação.

O que é procrastinação?

Procrastinação é o ato de adiar desnecessariamente decisões ou ações. Por exemplo, se você precisa escrever uma redação, mas acaba perdendo tempo na internet mesmo sabendo que deveria trabalhar. Isso significa que está procrastinando.

Leia também:  Obtendo ajuda para vencer o seu hábito de procrastinar

A procrastinação costuma ser prejudicial à nossa capacidade de perseguir com sucesso os objetivos, o que é evidente, por exemplo, no fato de que a procrastinação está associada a receber notas piores na escola e ganhar um salário mais baixo no trabalho. Além disso, a procrastinação também está associada a uma ampla gama de questões secundárias, como:

  • Aumento do estresse e;
  • Piora da saúde física e mental.

Por que as pessoas procrastinam?

Nós costumamos presumir que a procrastinação é simplesmente uma questão de força de vontade, mas, na realidade, a situação é muito mais complexa do que isso.

Quando confrontados com a tomada de uma decisão, ou uma tarefa a ser concluída, geralmente confiamos em nosso autocontrole para fazer as coisas. Além disso, nossa motivação, que se baseia na expectativa de receber alguma recompensa por nossos esforços, pode apoiar nosso autocontrole e tornar mais provável que as coisas sejam feitas em tempo hábil.

No geral, procrastinamos porque nosso autocontrole e motivação, que podem ser prejudicados por fatores como exaustão e recompensas em um futuro distante, são superados por fatores negativos, como ansiedade e medo do fracasso.

Isso faz com que não possamos autorregular nosso comportamento, o que significa que adiamos as coisas desnecessariamente, mesmo quando sabemos que deveríamos fazê-las, e é por isso que a procrastinação muitas vezes leva a uma lacuna entre como pretendemos agir e como agimos na realidade.

Publicidade

Razões para procrastinação

Objetivos abstratos

Nós temos mais probabilidade de procrastinar quando nossos objetivos são vagos ou abstratos, em comparação com quando eles são concretos e claramente definidos.

Por exemplo, objetivos como “entrar em forma” ou “começar a se exercitar” são relativamente vagos e, portanto, podem levar à procrastinação. Por outro lado, uma meta como “ir à academia na segunda, quarta e sexta-feira logo após o trabalho e passar pelo menos 30 minutos na esteira, correndo” é concreta e, portanto, é muito mais provável que nos leve a tomar uma atitude.

Recompensas que estão em um futuro distante

Nós frequentemente procrastinamos em tarefas onde a recompensa que receberemos está temporalmente muito distante.

Desconexão com nosso eu do futuro

Nós procrastinamos quando vemos nosso eu do futuro desconectado do nosso eu presente, um fenômeno conhecido como autodescontinuidade temporal ou disjunção temporal.

Por exemplo, alguém pode procrastinar quando se trata de uma alimentação saudável mesmo que o médico diga que isso é importante, porque o impacto prejudicial de sua dieta atual só começará a ser um problema sério em alguns anos.

Leia também:  Procrastinar tem muito a ver com o perfeccionismo

Isto é sentido como um problema de outra pessoa, e não dela.

Foco somente nas opções futuras

Nós evitamos agir no presente quando pretendemos ou esperamos tomar uma decisão mais atraente no futuro. Essa mentalidade leva à procrastinação a longo prazo, o que contribui para nunca seguirmos um plano pretendido.

Otimismo sobre o futuro

Nós procrastinamos nas tarefas quando estamos exageradamente otimistas sobre nossa capacidade de concluí-las no futuro. Esse otimismo refere-se a duas coisas principais, a saber:

  • A quantidade de tempo que estará disponível para a conclusão da tarefa ou;
  • A nossa capacidade inerente para concluí-la.

Indecisão

Nós procrastinamos quando não conseguimos tomar decisões em tempo hábil. Isso causa problema de várias maneiras, como quando precisamos tomar uma determinada decisão antes de seguir em frente com nosso plano de ação geral.

Sentimentos de sobrecarga

Nós procrastinamos quando nos sentimos sobrecarregadas com relação às tarefas que precisamos realizar. Uma sensação de desmotivação pode ocorrer por vários motivos, como ter uma única tarefa que parece enorme em termos de escopo, ou ter um grande número de pequenas tarefas que se somam.

Quando isso acontece nós simplesmente evitamos as tarefas em questão, ou tentamos executá-las, mas acabamos nos sentindo paralisados antes que essas tarefas sejam concluídas.

Ansiedade

Nós procrastinamos quando nos sentimos ansiosos.

Aversão a tarefas

Nós normalmente procrastinamos porque somos avessos às tarefas que precisamos realizar.

Perfeccionismo

Nós procrastinamos como resultado de um perfeccionismo. O perfeccionismo pode levar à procrastinação de várias maneiras, como:

  • Por nos deixar com tanto medo de cometer um erro que acabamos não realizando nenhuma ação, ou;
  • Por nos deixar tão preocupados em publicar algo sem qualquer falha que acabamos retrabalhando no projeto indefinidamente.

Medo de avaliação ou feedback negativo

Nós procrastinamos porque temos medo avaliações, ou porque temos medo de receber feedback negativo de outras pessoas.

Medo de falhar

Nós procrastinamos porque temos medo de falhar.

Como parar de procrastinar?

  1. Comece estabelecendo objetivos. Ao fazer isso, certifique-se de definir suas metas da forma mais clara possível, e certifique-se de que essas metas sejam realistas o suficiente para haver um significativo progresso;
  2. Descubra a natureza exata do seu problema de procrastinação. Você pode fazer isso pensando nos casos em que procrastinou e, em seguida, identificando quando , como e por que o fez;
  3. Crie um plano de ação. Este plano deve envolver uma combinação de relevantes técnicas de antiprocrastinação, que permitirão que você lide com as situações onde a procrastinação está impedindo você de atingir seus objetivos;
  4. Implemente seu plano de ação. Conforme o tempo passa, certifique-se de monitorar seu progresso e refinar este plano, modificando ou abandonando as técnicas antiprocrastinação com base em quanto elas funcionam ou não para você. Adicione outras se você julgar que podem ajudar.

Quando se trata de técnicas antiprocrastinação, aqui estão alguns exemplos que você pode usar:

  • Priorize as tarefas com base na sua importância;
  • Divida as grandes tarefas em partes pequenas e realistas;
  • Comece as tarefas comprometendo-se a trabalhar nelas apenas por alguns minutos;
  • Remova distrações de seu ambiente de trabalho;
  • Identifique quando você é mais e menos produtivo e programe suas tarefas de acordo;
  • Estabeleça prazos intermediários para si mesmo até alcançar os objetivos finais;
  • Crie uma meta diária e marque as sequências de dias em que você a alcançou com sucesso;
  • Recompense-se ao implementar com sucesso seu plano de ação;
  • Concentre-se em seus objetivos, em vez de nas tarefas que você tem que terminar;
  • Visualize seu eu futuro experimentando os resultados de seu trabalho;
  • Conte até dez antes de ceder ao impulso de procrastinar;
  • Evite uma mentalidade perfeccionista, aceitando que seu trabalho terá algumas falhas;
  • Desenvolva a crença em sua capacidade de superar com sucesso sua procrastinação.
Leia também:  Os procrastinadores são apenas preguiçosos?

Resumo e principais conclusões

  • Contamos principalmente com nosso autocontrole para fazer as coisas em tempo hábil, embora nossa motivação de sermos recompensados ​​por nossos esforços muitas vezes possa fornecer a nosso autocontrole um impulso útil;
  • Existem vários fatores desmotivadores que têm um efeito oposto ao da nossa motivação, o que significa que eles nos tornam mais propensos a procrastinar; isso inclui, por exemplo, ansiedade, medo do fracasso, perfeccionismo e aversão à tarefa;
  • Além disso, também existem fatores dificultadores que interferem diretamente em nosso autocontrole e motivação, o que significa que eles também nos tornam mais propensos a procrastinar; isso inclui, por exemplo, metas abstratas, metas distantes no tempo e uma desconexão entre nosso eu do presente e do futuro;
  • Quando fatores desmotivadores e dificultadores superam nosso autocontrole e motivação, acabamos procrastinando indefinidamente ou até algum ponto no futuro quando o equilíbrio entre eles mudar a nosso favor;
  • Em alguns casos, também podemos ser levados à procrastinação por outros fatores, como autossabotagem ou rebeldia.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *