Quando o Psicólogo pode se recusar a atender um paciente?

Um Psicólogo se recusando a atender um paciente

Categoria: Psicólogo online

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Um Psicólogo pode se recusar a atender um paciente caso acredite razoavelmente que não será capaz de fornecer um serviço de qualidade, seguro e que esteja de acordo com os padrões profissionais.

Sendo assim, se um Psicólogo não puder tratar você, ele precisa encaminhá-lo para outro profissional capacitado, de modo a oferecer o cuidado e o apoio de que precisa.

Falta de experiência

Um Psicólogo precisa se recusar a tratar alguém caso o problema esteja fora do seu escopo de prática. Por exemplo, se o paciente precisa de ajuda para se recuperar de um transtorno alimentar, e o Psicólogo não tiver treinamento em como tratar transtornos alimentares, ele precisará encaminhá-lo para outro profissional da área.

Conflito de interesses

Um conflito de interesses ocorre quando o Psicólogo tem um relacionamento ou situação pessoal que afeta seu julgamento e experiência durante o tratamento. Por exemplo, ser amigo da família do paciente, o que significa que ele não será objetivo quando o paciente mencionar essas pessoas nas sessões de terapia.

Leia também:  Os benefícios terapêuticos pessoais da profissão de Psicólogo

Se houver um conflito de interesses durante a consulta, ele deverá encaminhar o paciente para outro profissional. Isto lhe permitirá manter a objetividade e proteger a privacidade das pessoas envolvidas.

Modalidade inadequada de atendimento

Um Psicólogo que atende online deve encaminhar um paciente para a terapia presencial se acreditar que ele se beneficiará mais com sessões presenciais, ou se não tiver a tecnologia apropriada para garantir a segurança e privacidade.

Duplo relacionamento

Um duplo relacionamento é quando o paciente tem uma relação de amizade ou comercial com o Psicólogo enquanto está fazendo terapia. Isso também se aplica ao oposto. O Psicólogo nunca deve se oferecer para se tornar amigo, amante ou parceiro de negócios de seu paciente.

Publicidade

Um bom Psicólogo sempre evitará o duplo relacionamento, especialmente quando já houver um relacionamento não profissional pré-existente. Embora pareça uma boa ideia que seu amigo Psicólogo te atenda, questões de privacidade e interpessoais impedirão que uma adequada aliança terapêutica se estabeleça.

O Psicólogo também precisa evitar entrar em relacionamentos de qualquer tipo com um ex-paciente. Afinal, ambos compartilham um vínculo único e que será prejudicial caso estabeleçam outro tipo de relacionamento. Embora a ética profissional varie neste tópico, a maioria dos Psicólogos evitam qualquer relacionamento, seja de amizade, romance ou negócios, com um ex-paciente.

Leia também:  10 vantagens de consultar um Psicólogo online

Condições financeiras

Um Psicólogo pode se recusar a atender um paciente caso:

  • Não aceite o plano de saúde do paciente;
  • Ele não possa pagar ou discorde do valor cobrado pelo Psicólogo;
  • O Psicólogo não trabalhe com valor social.

Caso o paciente não possa pagar integralmente o preço de uma sessão, ele pode perguntar sobre a possibilidade de sessões mais curtas e com preços menores, ou encontros menos frequentes, como a cada duas semanas ou a cada mês.

O que acontece quando o Psicólogo se recusa a atender um paciente?

Se a relação terapêutica não estiver adequada, o Psicólogo tem o dever ético de realizar o apropriado encaminhamento. Embora nem sempre diga a natureza do problema, é importante informar se existem conflitos de interesses, algo como: “Identifiquei um conflito de interesses e não poderei atendê-lo, mas consigo fornecer algumas alternativas”.

Leia também:  Compreenda como a pandemia facilitou o acesso à terapia online

Um bom Psicólogo deve ser transparente sobre o que pode ou não tratar. Ele tem de identificar, e agir sobre, potenciais conflitos que atrapalham sua capacidade de ser objetivo.

Palavras finais

Se você se sente pessoalmente rejeitado por um Psicólogo é porque existem bons motivos pelos quais ele não será capaz de aceitá-lo como paciente.

Saiba apenas que um Psicólogo que se recusa a atendê-lo tem os melhores interesses em mente, bem como será capaz de fornecer encaminhamento para alguém mais adequado.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *