8 sinais menos óbvios de psicopatia

Homem no escuro com olhar de maldade

Categoria: Psicopatia

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Existem muitos sinais menos óbvios de psicopatia que se pode observar ao tentar detectá-la em uma pessoa, alguns contidos em listas oficiais e outros não.

Nesta postagem quero apresentar alguns desses sinais menos mencionados, mas que podem indicar psicopatia. Também tentarei incluir alguns marcadores mais abrangentes, e que permitirão a você ver para além da superficialidade de um psicopata.

Os psicopatas são muito hábeis em aprimorar a arte de engano e da criação de uma imagem convincente. Então é importante fazer algumas perguntas gerais para expor seu lado oculto.

Aqui estão alguns sinais menos óbvios de psicopatia:

  1. Comportamento provocativo, em busca de reação;
  2. A fixação no poder e no controle sobre os outros;
  3. Reações anormais e inadequadas diante de eventos emocionais;
  4. Negação e projeção extremas;
  5. Impulsividade em ultrapassar limites;
  6. Falta de traços traços vocacionais;
  7. Hedonismo extremo e superficialidade;
  8. Incapacidade de crescer, mudar ou evoluir.

Alguns desses traços se sobrepõem um pouco. No entanto quero apresentar alguns sinais menos óbvios de psicopatia.

1. Comportamento provocativo, em busca de reação

Os psicopatas estão sempre querendo provocar reações nas pessoas abusadas por eles. Eles tentam gerar uma reação emocional como estratégia para ganhar controle, uma vez que toda atenção de alguém é sinal de que o psicopata têm poder.

É preciso irritar as pessoas para viver. Eles precisam machucar os outros, causar o caos e drama onde quer que vão, apenas para me sentirem bem.

Por exemplo:

  • Após o período inicial de lua de mel com um psicopata, ele começará a provocar e a arranjar brigas de modo a gerar uma reação emocional negativa.;
  • A vítima frequentemente cai na armadilha de tentar debater e raciocinar com o psicopata, ficando cada vez mais exacerbado à medida que ele intensifica o comportamento desagradável. Ele sente prazer na angústia que está causando;
  • Os psicopatas podem transformar qualquer conversa em uma discussão, mesmo quando alguém está buscando cordialidade. Eles fabricarão indignação para tornar qualquer conversa tóxica, mesmo quando essa nunca foi a intenção;
  • Chefes psicopatas estão constantemente tentando provocar subordinados para gerar uma reação negativa, então espalham fofoca para outras pessoas (a clássica campanha de difamação no local de trabalho);
  • Os psicopatas, em geral, são caracterizados pela necessidade de fazer os outros se sentirem mal para se sentirem bem. Quando provocam uma reação emocional negativa em outras pessoas, os psicopatas e narcisistas se sentem revigorados;
  • De maneira mais geral, conforme o relacionamento com um psicopata se torna mais tóxico e a provocação aumenta, a pessoa notará traços mais negativos como raiva, ansiedade e ruminação começando a se infiltrar em sua vida. O comportamento deles deixa a pessoa cada vez mais agitada e angustiada.
Leia também:  Como identificar traços de caráter psicopata em alguém?

2. A fixação no poder e no controle sobre os outros

Na verdade, esse é um traço psicopático muito comum, mas não é bem definido em listas de verificação de psicopatia padrão.

Psicopatas são indivíduos obcecados por poder e controle, que precisam exercê-los sobre os outros e/ou seu ambiente imediato, de modo a sustentar seu próprio estado psicológico.

Seu desejo de poder e controle vem de uma falta de ordem dentro de sua própria psique, não importa o quão confiantes eles se apresentem na superfície. O termo “ transtorno de personalidade ” é usado por um bom motivo.

Aqui estão algumas maneiras pelas quais a natureza controladora do psicopata pode se revelar:

Publicidade
  • Alguns psicopatas menos discretos controlarão fisicamente seus familiares ou cônjuges, impedindo-os de sair, ou se envolverão em maus-tratos físicos como forma de controlá-los e dominá-los;
  • Os psicopatas mais inteligentes entendem que a violência física é desaprovada e, em vez disso, procuram controlar as pessoas psicologicamente (erodindo limites, questionamento invasivo e assim por diante);
  • Os gerentes do local de trabalho com traços psicopáticos serão extremamente controladores e obcecados pelo poder, exigindo que todos se submetam 100% à sua autoridade em todos os momentos, atacando brutalmente aqueles que não o fazem;
  • Relacionamentos românticos com psicopatas podem começar parecendo divertidos, amorosos e despreocupados, mas rapidamente se transformam em um pesadelo à medida que o psicopata intensifica o drama e a provocação para deixar a vítima obcecada por eles.;
  • Os assassinos psicopatas às vezes mantêm troféus de suas vítimas como uma forma doentia de controle de poder;

3. Reações anormais e inadequadas diante de eventos emocionais

Um psicopata não exibirá as reações emocionais apropriadas a eventos angustiantes ou perturbadores que uma pessoa normal com empatia e consciência faria. Haverá um desinteresse geral e um distanciamento frio de tais coisas, e até mesmo um desejo de brincar e zombar delas.

Quando alguém menciona um tragédia ou injustiça óbvia, embora o psicopata possa fingir algum remorso ou fazer comentários estranhos, é possível notará que emocionalmente eles não se importam.

Portanto, independentemente de quão simplistas e superficialmente charmosos o psicopata possa ser, quando as circunstâncias exigem mais compaixão e reflexão, é possível descobrir como eles são bizarramente ausentes.

Quando revelações sobre o passado horrível e abusivo de um colega de trabalho (aparentemente) inofensivo vêm à tona, em vez de refletir com compaixão sobre as pessoas prejudicadas por esse abuso, passam o resto do dia sorrindo e fazendo piadas.

O humor do psicopata melhora à medida que ele se infla com o sofrimento dos outros.

4. Negação e projeção extremas

Psicologicamente, a projeção é quando alguém atribui a outra pessoa algo que é atribuível a si, como um traço, característica ou ação. Um exemplo seria acusar alguém de fazer ou ser algo quando esse mesmo acusador é que está fazendo ou sendo aquilo.

Todos nós projetamos, mas os psicopatas se envolvem em projeções de forma extrema e ultrajante, recusando-se a aceitar qualquer responsabilidade por comportamentos tóxicos e, em vez disso, culpam os outros, mesmo apesar de evidências claras em contrário.

Aqui estão algumas maneiras que isso pode se manifestar com psicopatas:

  • Nada é culpa deles, mesmo quando claramente é. Eles nunca aceitarão transgressões, mesmo quando apresentadas com evidências claras e inegáveis;
  • Nos relacionamentos, vão acusar os cônjuges de infidelidade, quando são eles que estão os infiéis;
  • Uma sensação constante de realidade invertida, onde o outro é visto como uma pessoa má enquanto eles seguem impunes;
  • Situações normais em que alguém se desculpa por algo que, em primeiro lugar, foi culpa do psicopata;
  • Com o tempo, as repetidas projeções nos relacionamentos passam a ter um efeito mais insidioso na vítima, que acredita que é ela é tóxica e desordenada, quando na verdade é o psicopata que está projetando isso sobre ela.
  • O chefe psicopata se verá como perfeito, nunca cometendo erros e sempre culpando os outros por seus erros;
  • A projeção está tão entranhada em sua psique que alguém pode confrontá-los com evidências claras de sua culpa ou delito, e eles vão sorrir ou rir. Negar a realidade é fácil para eles;
Leia também:  É por essas razões que o psicopata não pode ser curado

5. Impulsividade em ultrapassar limites

Os psicopatas têm um desejo constante de ultrapassar os limites, sempre tentando escapar impunes. Fazem isso ​​para seu próprio benefício ou para erodir os padrões morais e os limites daqueles que estão abusando.

Em outras palavras, eles simplesmente não conseguem se conter. Seu domínio sobre moralidade, regras e decência é praticamente inexistente.

Aqui estão algumas maneiras pelas quais essa tendência de ultrapassar limites pode se apresentar no psicopata:

  • Aumentando o abuso em relacionamentos íntimos. Acostumando a vítima a ser tratada cada vez pior, mas vendo isso como “normal”;
  • Nos locais de trabalho, um avanço contínuo dos limites da aceitabilidade, quebrando regras e corroendo a autoestima de colegas. Eles também estão constantemente pressionando por mais poder e influência, muitas vezes manipulando e jogando com os egos daqueles que estão acima deles;
  • De maneira mais geral, os psicopatas corroem a moral e os padrões daqueles com quem convivem, “envenenando” o ambiente ao seu redor e criando uma situação em que o anormal é normalizado e o tratamento inadequado é considerado aceitável.

Em termos gerais, os psicopatas também são muito bons em manipular e influenciar as pessoas para seus próprios fins. No local de trabalho, os psicopatas parecem ter a gestão em volta de seus dedos, e os controla de uma forma que outros consideram inimaginável.

Esse sinal de ultrapassar limites é agravado quando há pessoas apáticas e facilmente influenciadas, que encolhem os ombros e não reclamam do comportamento inaceitável pelo que realmente é.

6. Falta de traços vocacionais

Os psicopatas não têm nenhum traço vocacional ou propósitos elevados, e em vez disso passam a vida inteira fixados no poder, no controle e na manipulação dos outros para seus próprios fins. Isso não muda mesmo com a idade e, portanto, se destacará com o tempo.

Portanto, é essencial prestar atenção a um desses sinais menos óbvios de psicopatia, isso quando uma pessoa começar a chegar aos 30 anos ou mais. A maioria das pessoas é um pouco rude e narcisista na adolescência ou na casa dos vinte anos, quando tudo gira em torno de festas e diversão.

No entanto, a maioria das pessoas normais começa a amadurecer emocionalmente em algum momento. Elas começam a ter filhos e outras coisas começam a importar.

Com o psicopata isso não acontece. Eles não crescem ou amadurecem à medida que avançam pela vida mas, em vez disso, permanecem presos a uma mentalidade obcecada por poder e controle, onde estão:

  1. Procurando explorar os outros antes que eles próprios sejam explorados;
  2. Constantemente buscando poder e controle sobre os outros, às vezes fisicamente, mas geralmente psicologicamente.
Leia também:  O que faz um psicopata sofrer?

Não há propósito superior ou vocação com o psicopata. Eles se importam somente com poder e controle, junto com o hedonismo.

Os psicopatas têm filhos, mas muitas vezes os abandonam, uma vez que não têm nenhum senso real de responsabilidade ou controle.

7. Hedonismo extremo e superficialidade

Os psicopatas vivem suas vidas inteiras com uma mentalidade extremamente hedonista, buscando o prazer e evitando a dor ao extremo. Uma consequência disso é que se recusam a tolerar qualquer dificuldade ou sofrimento prolongado, e fogem de qualquer tipo de dificuldade.

Em outras palavras, os psicopatas não toleram nenhum aspecto negativo da vida. Tem que ser bom e divertido, com poder e controle, e nunca algo ruim.

Aqui estão algumas maneiras em que isso pode se manifestar:

  • Uma necessidade implacável de festejar, beber e usar drogas recreativas ou se envolver em outras atividades de risco;
  • A necessidade de permanecer imerso na “multidão”, em interações humanas superficiais, sem nenhuma habilidade introspectiva ou reflexiva;
  • Os psicopatas vivem vidas irresponsáveis, enfrentando dificuldades financeiras, mas não podem demonstrar qualquer disciplina para corrigir esses problemas e, em vez disso, fogem do problema;
  • Os psicopatas ficam entediados rapidamente nos relacionamentos, e traem seus parceiros na busca por novas emoções e novidades;
  • Os psicopatas também abandonarão quaisquer supostos “amigos” que tinham se os bons tempos terminarem;
  • Os psicopatas também são egoístas e nunca defenderão o que é certo se isso os afetar negativamente.

Na verdade, a pessoa vai se deparar com o som de malas sendo feitas, táxis parando do lado de fora e um “adios amigo”. Os psicopatas não valorizam as pessoas, eles valorizam os sentimentos que tem quando estão na presença das pessoas.

8. Incapacidade de crescer, mudar ou evoluir

Você encontrará nos psicopatas uma total falta de habilidade para crescer, mudar ou evoluir. Eles permanecem superficiais, unidimensionais e emocionalmente atrofiados ao longo de suas vidas.

Como eles se recusam a sofrer quaisquer dificuldades que as pessoas normais devem enfrentar (para crescer e amadurecer), os psicopatas nunca absorvem as lições aprendidas em tempos de dificuldade.

Eles simplesmente ficam presos em coisas patéticas, como manipular e enganar os outros em seu próprio benefício, além de causar problemas em todas as oportunidades.

Pense no psicopata do local de trabalho que, na casa dos 40 ou 50 anos, ainda dedica todo o seu tempo e energia a políticas mesquinhas, críticas, campanhas de difamação e calúnias.

Quando alguém é jovem, pode se safar até certo ponto, mas quando um psicopata chega aos 30, 40 e além, e ainda não tem traços além de busca de poder, manipulação e engano, ele começa a se destacar.

Todos esses sinais menos óbvios de psicopatia sempre podem se sobrepor, e seu diagnóstico precisa ser sempre feito por alguém devidamente qualificado.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *