foto em preto e branco de um homem com a cabeça amarrada com uma corda e uma mordaça na boca

12 sintomas de ansiedade que podem indicar um transtorno. Todos podem esperar ter crises ocasionais de ansiedade, como ficar nervoso antes de uma entrevista ou de um primeiro encontro.

Entretanto, às vezes, essa ansiedade não diminui, o que pode indicar um transtorno de ansiedade.

Existem alguns tipos diferentes de transtornos de ansiedade, incluindo transtorno de ansiedade generalizada, transtorno do pânico e transtornos de ansiedade relacionados à fobia, mas todos eles apresentam um aspecto importante: sentimentos opressores de preocupação ou de medo que afetam a vida diária de uma pessoa.

Os transtornos de ansiedade podem resultar de fatores genéticos e ambientais, e são normalmente tratados por meio de uma variedade de intervenções, incluindo psicoterapia, medicamentos ou uma combinação dos dois.

Embora os transtornos de ansiedade sejam frequentemente difíceis de identificar e muitas vezes precisem de diagnóstico correto de um profissional de saúde mental, existem alguns sinais e sintomas que são comuns.

Aqui estão 12 sintomas aos quais você precisa prestar atenção para saber se pode ter um transtorno de ansiedade.

Preocupação excessiva

Novamente: as preocupações ocasionais são normais, mas para aqueles com transtorno de ansiedade generalizada (TAG), essas preocupações não vão embora tão facilmente.

Pessoas com TAG se preocupam com coisas típicas, incluindo saúde, dinheiro ou problemas familiares, mas em uma escala maior. Eles continuam a se preocupar com essa coisas, mesmo quando não há um motivo claro. Essa ansiedade também é freqüentemente difícil de controlar e torna difícil para os pacientes se concentrarem em suas tarefas diárias.

Problemas de sono

Os adultos normalmente precisam de sete a nove horas de sono todas as noites, e quando sua rotina de sono começa a piorar, é um sinal de que algo está errado.

O estresse e a ansiedade podem causar problemas de sono, ou provocar outros problemas como dormir excessivamente. Como os distúrbios do sono podem causar ansiedade, ou a ansiedade pode causar distúrbios do sono, é melhor conversar com seu médico para determinar as causas subjacentes e o que você pode fazer para corrigi-las.

Medos irracionais

Um pouco de ansiedade não é problema; pelo contrário, está ligado a uma situação ou coisa específica, como medo de voar, de animais ou de multidões. Se o medo se tornar opressor, perturbador e desproporcional ao risco real envolvido, é um sinal revelador de fobia, um tipo de transtorno de ansiedade.

Leia também:  Adolescentes e suicídio

Embora as fobias possam ser paralisantes, elas nem sempre são óbvias. Na verdade, eles podem não vir à tona até que você enfrente uma situação específica e descubra que é incapaz de superar seu medo.

Uma pessoa que tem medo de cobras pode passar anos sem ter problemas, mas de repente o filho deles quer ir acampar e eles percebem que precisam de tratamento.

Tensão muscular

Tensão muscular quase constante, seja ela cerrar a mandíbula, cerrar os punhos ou flexionar os músculos por todo o corpo, costuma acompanhar os transtornos de ansiedade. Esse sintoma pode ser tão persistente e generalizado que as pessoas que conviveram com ele por muito tempo podem parar de percebê-lo depois de um tempo.

O exercício regular pode ajudar a manter a tensão muscular sob controle, mas a tensão pode aumentar se uma lesão ou outro evento imprevisto interromper os hábitos de treino de uma pessoa.

De repente, eles estão destruídos, porque não conseguem lidar com sua ansiedade dessa forma e agora estão incrivelmente inquietos e irritáveis.

Indigestão crônica

Às vezes, a ansiedade pode causar mais do que uma sensação de “frio na barriga”. Na verdade, problemas digestivos como náuseas, diarreia ou indigestão são algumas das principais queixas relacionadas aos transtornos de ansiedade.

Embora existam medidas que você pode tomar para diminuir sua dor gastrointestinal devido à ansiedade, como respirar fundo, fazer exercícios regulares e até mesmo seguir meditações guiadas diárias, seu melhor caminho é procurar a ajuda de um Psicólogo especializado em ansiedade e que possa elaborar um plano de tratamento.

Medo do palco

O medo do palco é outro sintoma de ansiedade. A maioria das pessoas sente um pouco de “frio na barriga” antes de se dirigir a um grupo ou de ficar sob os holofotes. Mas se o medo for tão forte que nenhum treinamento ou prática parece aliviá-lo, ou se você passar muito tempo pensando e se preocupando com isso, você pode ter uma forma de transtorno de ansiedade social (também conhecido como fobia social).

Leia também:  O que é a Síndrome da Alienação Parental ?

Pessoas com ansiedade social tendem a se preocupar por dias ou semanas antes e depois de um determinado evento ou situação. Elas tendem a se sentir profundamente desconfortáveis ​​e podem pensar nisso por um longo período após a apresentação, se perguntando como foram julgados.

Autoconsciência

O transtorno de ansiedade social nem sempre envolve falar para uma multidão ou ser o centro das atenções. Na maioria dos casos, a ansiedade é provocada por situações cotidianas, como conversar cara a cara em uma festa ou comer e beber na frente de um pequeno número de pessoas.

Nessas situações, as pessoas com transtorno de ansiedade social tendem a se sentir constrangidas, como se todos os olhos estivessem sobre elas, e muitas vezes ficam ruborizadas, tremendo, com náuseas, suor abundante ou dificuldade para falar. Esses sintomas podem ser tão perturbadores que tornam difícil conhecer novas pessoas, manter relacionamentos e progredir no trabalho ou na escola.

Ataques de pânico

Ataques de pânico podem ser aterrorizantes: imagine uma sensação repentina de medo e desamparo que pode durar vários minutos, acompanhada por sintomas físicos assustadores, como problemas respiratórios, coração batendo ou acelerado, formigamento ou dor nas mãos, suor, fraqueza ou tontura, dor no peito, dor de estômago e sensação de calor ou frio.

Esses sinais físicos se devem principalmente à resposta de “lutar ou fugir” do corpo. Quando você está em um estado contínuo de excitação elevada, seu cérebro envia níveis aumentados de cortisol e adrenalina por todo o corpo, o que cria esses sintomas físicos.

Nem todo mundo que tem um ataque de pânico tem um transtorno de ansiedade, mas as pessoas que os experimentam repetidamente podem ser diagnosticadas com esse transtorno. Pessoas com transtorno do pânico vivem com medo de quando, onde e por que seu próximo ataque pode acontecer e tendem a evitar locais onde os ataques ocorreram no passado.

Flashbacks

Reviver um evento perturbador ou traumático, como um encontro violento, a morte súbita de um ente querido, é um sintoma característico do transtorno de estresse pós-traumático (TEPT), que compartilha algumas características com os transtornos de ansiedade. Até muito recentemente, na verdade, o TEPT era visto como um tipo de transtorno de ansiedade, em vez de uma condição isolada.

Leia também:  Como controlar a ansiedade ?

Mas os flashbacks também podem ocorrer com outros tipos de ansiedade. Algumas pessoas com ansiedade social tem flashbacks de experiências semelhantes ao TEPT, que podem não parecer tão traumáticas, como ser ridicularizadas publicamente. Essas pessoas podem até evitar lembretes da experiência, outro sintoma que lembra o TEPT.

Perfeccionismo

A mentalidade obsessiva conhecida como perfeccionismo “anda de mãos dadas com os transtornos de ansiedade”. Se você está constantemente se julgando ou tem muita ansiedade antecipatória sobre cometer erros ou ficar aquém de seus padrões, então provavelmente você tem um transtorno de ansiedade.

O perfeccionismo é especialmente comum no transtorno obsessivo-compulsivo (TOC), que há muito é visto como um transtorno de ansiedade. O TOC pode acontecer sutilmente, como no caso de alguém que não consegue sair de casa por três horas porque sua maquiagem tem que estar absolutamente correta e elas tem que começar tudo de novo.

Comportamentos compulsivos

Para ser diagnosticado com transtorno obsessivo-compulsivo, a obsessividade e os pensamentos intrusivos de uma pessoa devem ser acompanhados por um comportamento compulsivo, seja ele mental (dizer a si mesmo que vai ficar tudo bem repetidamente) ou físico (lavar as mãos, endireitar itens).

O pensamento obsessivo e o comportamento compulsivo tornam-se um transtorno totalmente desenvolvido quando a necessidade de completar os comportamentos, também conhecidos como “rituais”, começa a atrapalhar a sua vida. Se você gostar do seu rádio no nível de volume 3, por exemplo, e ele quebrar e travar no 4, você entraria em pânico total até consertá-lo?

Dúvidas persistentes

Dúvidas persistentes são uma característica comum dos transtornos de ansiedade, incluindo transtorno de ansiedade generalizada e TOC. Em alguns casos, a dúvida pode girar em torno de uma questão central para a identidade ou os relacionamentos de uma pessoa, como “Eu amo meu marido tanto quanto ele me ama?”

No TOC esses “ataques de dúvida” são especialmente comuns quando uma pergunta não pode ser respondida. Pessoas com TOC pensam: “Se eu soubesse 100% com certeza se sou gay ou hetero, qualquer dessas condições estaria bem”. Mas eles têm essa intolerância à incerteza que transforma a pergunta em uma obsessão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *