Não se sinta mal caso a terapia não o ajude

Uma Psicóloga oferecendo um copo de água para outra mulher, que está com a cabeça baixa, desanimada

Categoria: Terapia online

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Sou Psicólogo há mais de 10 anos e vi inúmeras vezes como a terapia tem o poder de mudar vidas para melhor. Eu mesmo já me beneficiei ao estar em terapia.

E, embora eu elogie as suas vantagens, raramente a abordei de uma maneira pela qual pode decepcionar. Portanto, terapia nem sempre funciona.

Embora a maioria das pessoas a considere útil, há algumas que não. Mesmo entre aqueles que melhoram, exite uma grande porcentagem que continuará a lutar contra sintomas difíceis.

Além do mais, algumas pessoas são prejudicadas pela terapia.

Às vezes, o dano vem de Psicólogos antiéticos ou com distúrbios de personalidade. Mas, mesmo profissionais bem-intencionados podem acidentalmente oferecer tratamento errado ou não perceber um diagnóstico crucial.

Leia também:  Quando a primeira sessão com o Psicólogo não funciona

A eficácia equívoca da terapia também se aplica à chamada “Psicologia baseada em evidências”. Só porque uma forma de abordar o ser humano foi considerada eficaz em vários ensaios de pesquisa, não significa que ajudará a todos.

A pesquisa clínica depende de médias entre muitos participantes.

Quando uma abordagem produz melhores resultados do que um grupo de controle (por exemplo, placebo ou lista de espera), isso significa apenas que o participante médio daquela terapia mostrou mais melhora.

Afinal, algumas pessoas do grupo de tratamento sempre se sairão melhor do que a média, e outros se sairão pior.

Por outras palavras, elas poderiam ter se saído melhor com um tratamento diferente ou sem nenhum tratamento.

Por que a terapia às vezes não funciona?

Se você fez terapia e não obteve resultado, então não há motivo para se sentir mal. Isso não significa que você fez algo errado ou que foi sua culpa.

Existem muitas razões para uma terapia ser ineficaz. Estas podem incluir:

  • Uma condição médica subjacente: a saúde física e mental estão intimamente ligadas. Muitas doenças causam condições neuropsiquiátricas, como ansiedade e depressão;
  • O tratamento errado: nem todo tipo de terapia serve para todas as condições. Por exemplo, um tratamento específico chamado prevenção de exposição e resposta é mais útil no tratamento do transtorno obsessivo-compulsivo em comparação com terapias mais gerais;
  • Diagnóstico errado: às vezes, a terapia errada é oferecida porque o Psicólogo não percebe que seu paciente tem uma determinada condição. Por exemplo, ele pode tratar a pessoa com ansiedade sem ter identificado um Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade;
  • Momento errado: talvez a terapia só funcione se a situação de vida da pessoa for diferente. A terapia leva tempo, energia e, claro, dinheiro, e nem sempre é o momento certo para o tratamento;
  • Incompatibilidade com o Psicólogo: um dos preditores mais consistentes do resultado da terapia é a qualidade da “aliança terapêutica”. Por outras palavras, quão bem você e seu Psicólogo trabalham juntos;
  • Influência de terceiros: não é incomum que alguém em terapia espere que ela faça mais do que pode. Por exemplo, um cônjuge pensar que o tratamento livrará completamente o seu parceiro dos ataques de raiva.
Leia também:  A importância da lição de casa na terapia

O que fazer se a terapia não ajudou?

Uma das desvantagens da terapia inútil é que ela faz com que a pessoa perca as esperanças de que algo possa ajudar.

Publicidade

No entanto, um novo tratamento pode ser eficaz quando o anterior não era. Por exemplo, encontrar um Psicólogo mais especializado na condição da pessoa levará a um resultado melhor.

Quando estiver pronto para tentar novamente, considere:

  • Um novo Psicólogo com quem você terá um relacionamento melhor;
  • Uma abordagem de terapia diferente;
  • Medicação psiquiátrica;
  • Mudanças no estilo de vida (por exemplo, redução nas horas trabalhadas, exercícios frequentes, dieta melhorada).

Se você estiver procurando um novo Psicólogo, entre em contato.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *