Por que o Psicólogo fica te olhando durante a sessão de terapia?

Um homem de terno e gravata olhando através de uma luneta

Categoria: Terapia online

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Você já ergueu os olhos durante uma sessão de terapia e percebeu o Psicólogo te olhando fixamente? Você o encarou de volta ou desviou o olhar?

Independente de sua reação, isso provavelmente fez você sentir algo, como se sentir irritado ou intimidado. Mas é provável que, ainda que tenha gostado (e talvez não tenha entendido completamente o porquê), isso o enervou um pouco.

É incomum, emocionalmente e até fisicamente desafiador fazer esse tipo de contato visual intenso, e a maioria das pessoas fica desconcertada com isso.

Publicidade

Por que seu Psicólogo olha tanto?

O seu Psicólogo observa você de perto e mantêm um olhar fixo por vários motivos. Em quase todos os casos, o contato visual serve a um bom propósito:

  • Isso o ajuda a entender não apenas o conteúdo do que você está dizendo, mas como você está dizendo, sua linguagem corporal e outras dicas sutis;
  • O contato visual é uma das muitas habilidades de escuta ativa que os ajuda a ouvi-lo mais profundamente e mostra que está totalmente presentes;
  • Ele está processando o que você acabou de dizer, e decidindo o que responder.

A esperança do seu Psicólogo é que, se você olhar nos olhos dele, sinta uma consideração positiva. Ele quer que você saiba que está com alguém que se importa, que o como você se sente e o que você diz é importante.

Mas, só porque seu Psicólogo tem boas razões para manter contato visual com você não significa que funcione para todos, ou que deva apenas lidar com isso se estiver se sentindo desconfortável.

Frequentemente, quando as pessoas sofrem em silêncio quando seu Psicólogo está fazendo algo de que não gostam, elas acabam desistindo e abandonando a terapia.

Então, por favor, em vez de desistir, converse com seu Psicólogo sobre isso. Pergunte por que ele faz isso e peça para ele parar.

Há algum problema com o contato visual?

O contato visual é um poderoso gesto social, com um significado especial em quase todas as culturas humanas (e animais).

Quando você faz contato visual com alguém, muitas coisas acontecem em seu cérebro e corpo. Primeiro, ele comanda sua atenção, afastando-a de qualquer outra coisa em que você esteja pensando ou esteja em seu campo de visão.

Leia também:  O paciente deve pagar pela falta na sessão de terapia?

O contato visual quebra a concentração e interfere na memória de trabalho, tornando mais difícil lembrar o que você acabou de dizer.

É por isso que você evita o olhar da pessoa com quem está falando quando o assunto é sobre algo profundo ou complicado (como costuma fazer na terapia).

O contato visual também ativa os neurônios-espelho, fazendo com que você se sinta mais conectado com a pessoa para quem está olhando. Isso torna as emoções contagiosas e fazem com que seu cérebro libere ocitocina.

Como resultado, o contato visual prolongado com seu Psicólogo vai inundá-lo com uma sensação avassaladora de intimidade e proximidade, algo que é difícil de tolerar.

Encontrar o olhar carinhoso de um Psicólogo é suficiente para provocar uma experiência emocional corretiva por conta própria. Mas, também desencadeia mecanismos de defesa e fazem com que você se “desligue”.

Lidando com os mecanismos de defesa

Uma das coisas que a maioria de nós espera em uma conversa quando falamos com alguém que se preocupa conosco é que essa pessoa fique do nosso lado.

Se reclamamos sobre como fulano de tal é tão idiota, ou contamos uma história carinhosa sobre como alguém feriu nossos sentimentos, esperamos que a outra pessoa concorde.

Porém, o Psicólogo nem sempre fará isso. Ele fica em silêncio e olha para você para evitar apoiar suas defesas. Apoiar suas defesas reforça todas as coisas ruins que o levou a procurar terapia.

Seu Psicólogo quer ajudá-lo a sentir mais seus verdadeiros sentimentos, e isso implica em sentar e ficar olhando para você, em vez de instantaneamente ficar do seu lado.

O contato visual do Psicólogo é uma forma de se conectar e fazer o paciente se sentir seguro, cuidado e ouvido, mas nesse momento ele também está processando informações.

O Psicólogo geralmente precisam ir contra seus instintos humanos naturais em responder as coisas de uma determinada maneira. É por isso que ele precisa de um momento para considerar o que diz.

Ele não quer que você se sinta mal ou pense que ele apoia o que aquele idiota disse ou fez, e parte dele o pressiona a dar aquela resposta amigável padrão. Mas ele sabe que se responder da mesma forma que um amigo, ele não está dando a você o que veio buscar: terapia.

Bons Psicólogos avaliam cada palavra, cuidadosamente. Ele sabe que é seu trabalho ajudá-lo a ir mais fundo para que você supere suas defesas e questione as histórias que o machucam.

Escuta profunda

Bons Psicólogos são alguns dos melhores ouvintes do mundo. E não é só porque eles são atenciosos, curiosos e genuinamente interessados. Eles também aprendem a ouvir profundamente como parte de sua formação profissional.

O Psicólogo aprende a ouvir mais do que apenas as palavras que você usa, ou as histórias que conta. Ele sabe ouvir sobre tudo o que você compartilha por um longo período de tempo, e sobre tudo o que está acontecendo entre vocês no consultório.

Isso significa que:

  • Ele ouve mais o que você não diz, tanto quanto o que você diz;
  • Ele “ouve” sua linguagem corporal e também suas palavras;
  • Ele ouve metáforas e padrões;
  • Ele percebe quando você usa as mesmas palavras ou símbolos mais de uma vez, e quando interpreta diferentes situações da mesma maneira;
  • Ele percebe quando os eventos do seu passado se repetem no seu presente.
Leia também:  Quando o paciente não fala na terapia

Para perceber todas essas coisas, o Psicólogo:

  • Precisa se concentrar de uma maneira que você provavelmente não está acostumado;
  • Não está tentando fazer uma competição de olhares fixos com você, ele está tentando aceitá-lo;
  • Está tentando testemunhá-lo da forma mais completa e profunda possível.

Por que seu Psicólogo te espelha?

Espelhamento é um termo complexo, que se refere a muitos comportamentos diferentes do Psicólogo. O tipo de espelhamento que parece provocar mais perguntas é quando ele não apenas reflete suas próprias palavras, mas também sua postura física e maneirismos.

Por exemplo, você pode perceber que seu Psicólogo está te espelhando ao:

  • Cruzar as pernas de maneira idêntica;
  • Inclinar-se para trás quando você se inclina para trás;
  • Inclinar-se para frente quando você se inclina para frente;
  • Falar no mesmo ritmo que você ou;
  • Copiar alguns de seus gestos.

Normalmente o Psicólogo faz isso conscientemente, mas muitas vezes não. De qualquer forma, isso o ajuda a entendê-lo melhor e a se conectar com você mais profundamente.

Espelhar sua postura e linguagem corporal ajuda o Psicólogo a realizar pelo menos três coisas:

  1. Ajuda a refletir todo o seu eu de volta para você, para que possa “se ver” melhor;
  2. Expressa um senso sutil de compreensão entre vocês, que vai ajudá-lo a se sentir confortável o suficiente para se abrir e compartilhar mais;
  3. Isso o ajuda a se conectar e experimentar coisas sutis, como quão tenso ou relaxado você está, quão profundo ou superficialmente você está respirando, e quais emoções você está experimentando.

Esse é um dos aspectos mais estranhos da terapia: seu Psicólogo tem percepções sobre você por causa de como o faz sentir. Por meio de um cuidadoso processo de introspecção e esclarecimento, ele percebe que está sentindo o que você está sentindo.

Isso acontece quando ele espelha inconscientemente sua postura, seu comportamento ou outros sinais emocionais sutis.

É por isso que um Psicólogo mantém contato visual ou, pelo menos, mantém o olhar focado em você. Ao observá-lo de perto, ele absorve sinais sutis sobre como você está se sentindo.

Ao olhá-lo nos olhos, o Psicólogo mostra que está lhe dando toda a atenção e que se conectar com o que você está sentindo.

Por que seu Psicólogo observa suas mãos?

Parte da escuta profunda e ativa é prestar atenção à linguagem corporal. Expressamos muito mais do que colocamos em palavras. A maioria das pessoas compreende intrinsecamente esses sinais não-verbais.

Ler a linguagem corporal ajuda a descobrir se as outras pessoas gostam de você, se estão ansiosas ou relaxadas, e se estão sendo autênticas. Você pode até começar a perceber com que frequência se espelham, mesmo sem saber que estão fazendo isso.

A única diferença entre os Psicólogos e as pessoas comuns é que os primeiros são treinados para serem mais conscientes do espelhamento e de outros tipos de linguagem corporal.

Leia também:  O que você pode e o que não pode esperar da terapia?

A maneira como você segura seus ombros diz ao Psicólogo se você está se sentindo tenso ou relaxado. Falar devagar pode ser um sinal de depressão (ou simples cansaço), enquanto falar rápido pode ser um sinal de ansiedade (ou excitação).

E, manter o contato visual (mesmo que apenas por alguns segundos de cada vez) diz ao Psicólogo muitas coisas diferentes sobre você, incluindo se confia nele ou se está se sentindo vulnerável e exposto.

O que seu Psicólogo aprende observando suas mãos?

O que você faz com as mãos revela tanto, senão mais, do que o que faz com os olhos. Observando suas mãos, seu Psicólogo pode descobrir se você está:

  • Tenso: que você pode mostrar apertando as mãos;
  • Ansioso: o que você pode demonstrar torcendo as mãos ou estalando os nós dos dedos;
  • Cheio de energia: que você pode demonstrar enrolando o cabelo ou brincando com a camisa;
  • Protegido: o que você pode mostrar mantendo as mãos nos bolsos ou cruzando os braços.

E, claro, existem todas as outras maneiras cotidianas de nos comunicarmos com nossas mãos. Usamos gestos para enfatizar, expressar emoções e representar ou demonstrar coisas que testemunhamos ou experimentamos.

Se você estiver falando animadamente e fazendo muitos gestos com as mãos, o Psicólogo verá que você está engajado, aberto e se esforçando muito para comunicar o que aconteceu.

Por outro lado, se você está falando baixinho e sentado em silêncio, isso pode ser um sinal de que está se sentindo retraído e ambivalente a respeito do que está compartilhando.

É claro que um bom Psicólogo não faz muitas suposições malucas sobre o significado de uma única mão ou gesto corporal. Em vez disso, ele entrará em contato com você para que saiba o que está observando, bem com explorar se está lendo sua comunicação não-verbal corretamente.

Conclusão

Quando você começa a terapia, uma das primeiras coisas que pode surpreendê-lo é a diferença entre falar com seu Psicólogo e falar com qualquer outra pessoa.

Ele mantêm o foco constante em você, nem sempre se move para quebrar o silêncio e posterga o desconforto, em vez de tentar dissipá-lo imediatamente. Por outras palavras, ele não responde da maneira que você está acostumado.

Existem boas razões pelas quais um Psicólogo faz isso, mas também há razões pelas quais parece estranho e desconfortável quando o faz. O contato visual faz com que muitas coisas aconteçam em seu cérebro e corpo, e desencadeia emoções intensas.

Você pode decidir se é algo com o qual pode se acostumar, ou até mesmo começar a gostar, ou se é algo que o Psicólogo pode e deve evitar.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *