Aprenda a lidar com pessoas que tem traumas de relacionamento

Um casal debruçado sobre uma mesa de madeira e com as mãos no rosto

Categoria: Trauma

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Se você está namorando ou é casado com alguém que luta contra traumas de relacionamento, provavelmente está fazendo o possível para ser compreensivo. No entanto, há momentos em que os problemas dele afetam diretamente o seu dia, deixando-o mais difíceis.

Estar em um relacionamento com alguém que tem um histórico de traumas de relacionamento é um desafio único. Em muitos casos, essas pessoas se comportam de maneiras incompreensíveis.

Como os traumas de relacionamento interrompem o processamento emocional, as vítimas têm dificuldades para articular o que realmente está acontecendo dentro de si.

Isto causa conflitos e falhas de comunicação, bem como dificulta que parceiros bem-intencionados saibam que tipo de apoio prestar.

Em minha prática clínica, recebo muitas pessoas que buscam as melhores maneiras de ajudar um parceiro com traumas de relacionamento. Aqui estão alguns dos efeitos mais comuns:

Constante foco em problemas potenciais

Alguém que cresce em um ambiente caótico ou inseguro nos relacionamentos românticos desenvolve o hiperalerta como uma de suas principais formas de enfrentamento.

Leia também:  O que é um trauma emocional?

Ou seja, estar sempre tentando antecipar o que pode acontecer, para que se esteja preparado. Embora esse comportamento funcione nessas ocasiões, também é difícil desativá-lo depois que o perigo real passa.

Como resultado, há uma ansiedade crescente e uma tendência natural de focar constantemente no negativo.

Reações exageradas à coisas insignificantes

Se vítima dos traumas de relacionamento se atrasa para um filme, pede o jantar errado ou não pergunta como foi o dia do parceiro, então isso é suficiente para que seus sentimentos sejam feridos e fique com muita raiva.

Ela sente que não consegue fazer nada direito e tudo vira um grande problema.

Essas fortes reações vêm com um sistema físico e psicológico que é facilmente acionado: a hipervigilância. As mágoas e ofensas são reais e difíceis de esquecer, durando dias.

A pessoa com traumas de relacionamento fica sensível, se sentindo constantemente agredida, ansiosa e com raiva quando as expectativas não são atendidas, ou quando sentem uma negatividade e um afastamento do parceiro.

Acreditar que tem seus sentimentos minimizados

Frequentemente, as pessoas argumentam que os traumas de relacionamento do parceiro não deveria ser algo para se aborrecer, acreditando que essa perspectiva mais realista e racional ajudará o parceiro a se acalmar.

Mas isso geralmente não dá certo, pois a pessoa com traumas de relacionamento sente que seu parceiro está minimizando seus sentimentos, piorando a situação.

Da mesma forma, quando o parceiro comete um deslize ou não atende a um pedido, como não usar um tom de voz específico e não se atrasar, a pessoa com traumas de relacionamento sente que seus pedidos não são levados a sério ou são ignorados.

Como ajudar uma pessoa com traumas de relacionamento?

Eduquem-se sobre os traumas de relacionamento

Todas as informações anteriores são essenciais para desenvolver compaixão por seu parceiro. Quando você entende como os traumas de relacionamento afetam o sistema nervoso, aprende que esse tipo de resposta às vezes está fora do controle.

Isto não significa que sejam incapazes de desenvolver novas respostas mas, entretanto, este conhecimento ajudará a reformular suas ações. Em vez de ver o comportamento dele como um ataque a você, veja-o como uma reação ao sistema nervoso sobrecarregado.

Leia também:  Quais os sinais e sintomas do trauma psicológico?

Além disso, quando seu parceiro entende o conceito de traumas de relacionamento, isso o ajuda a assumir o controle de seus próprios comportamentos e a trabalhar em maneiras de se regular.

Fale sobre como você se sente e estabeleça limites

Deixe a vítima dos traumas de relacionamento saber como você se sente quando ela tem uma crise. Reter seus sentimentos só vai fazer voltá-los contra você, levando à explosões e desencadeando os piores medos do outro.

Dito isso, crie também alguns limites: sim, você está disposto a ouvir, mas não está disposto a ser rejeitado ou abusado emocionalmente.

Aqui vocês dois podem recuar para, em seguida, voltar a discussão quando estiverem mais calmos. Simplesmente se afastarem, dizendo que não vão mais falar sobre o assunto desencadeia o abandono, piorando as coisas.

Sempre comunique qualquer mudança nos planos

Novamente, a vítima dos traumas de relacionamento ficará abalada quando suas expectativas não forem atendidas. Então, se você estiver atrasado ou perceber que pediu a comida errada, avise-a o quanto antes, para que não hajam surpresas.

Isso não se trata de ser como a criança relatando preventivamente aos pais, mas dando tempo a vítima dos traumas de relacionamento para se ajustar às mudanças.

Aprenda a dimensionar o sofrimento

No conflito, as respostas aos traumas de relacionamento geram muita intensidade, com pontos em que é difícil para o parceiro ter uma sensação de controle sobre os próprios comportamentos.

Leia também:  8 desconcertantes sintomas do trauma emocional

Por isso é fundamental desenvolver uma escala emocional com o seu parceiro. Isso é o mesmo que perguntar: “Em uma escala de 0 a 10, quão angustiado você está se sentindo agora?”

Se o seu parceiro estiver acima de 5, considere fazer uma pausa em vez de continuar a discussão. Nesse nível de angústia, a vítima dos traumas de relacionamento ficará melhor se se concentrar em se autorregular antes de vocês continuarem.

Concentre-se no positivo

Como em qualquer relacionamento romântico, é fundamental focar-se nos aspectos positivos do que a outra pessoa está fazendo e no que você aprecia.

Isso ajuda a mudar o clima emocional e dá um feedback positivo sobre o que está dando certo.

Reconheça quando é hora de obter ajuda

Não há vergonha em procurar ajuda, pois os traumas de relacionamento criam dinâmicas confusas e debilitantes.

Particularmente em situações em que ambos os membros têm algum histórico de traumas de relacionamento, a terapia se torna fundamental.

A terapia de casal é especialmente útil para ajudá-los a compreender os ciclos que contribuem para o sofrimento no relacionamento. O envolvimento em terapia individual também ajuda a ganhar consciência, afetando positivamente seu relacionamento.

Publicidade

Os traumas de relacionamento são desorientadores e indesejáveis. Às vezes, é parece que não há esperança em resolvê-los. No entanto, com muita compaixão e esforços intencionais para o crescimento, vocês começarão a experimentar o melhor de um relacionamento romântico saudável.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *