Como o transtorno bipolar e a inteligência estão ligados?

Ilustração de uma mulher com dois rostos de perfil ao seu lado

Categoria: Bipolar

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

O transtorno bipolar é uma condição de saúde mental que causa oscilações extremas de humor, de altos eufóricos (mania e hipomania) a baixos devastadores, muitas vezes incapacitantes (depressão). Anteriormente conhecida como depressão maníaca, ela é tratada com medicação estabilizadora do humor.

Existem vários subtipos, mas dois são os mais comuns :

  • Bipolar 1, que apresenta episódios graves tanto de euforia (mania) quanto de depressão e;
  • Bipolar 2, que tem “altos” menos dramáticos e menos incapacitantes (hipomania), bem como depressão significativa.

A depressão associada ao transtorno bipolar dificulta ou impossibilita alguém de trabalhar, socializar ou até mesmo sair da cama. O desespero é tão intenso que leva à ideação suicida e requerer hospitalização.

Por outro lado, uma pessoa hipomaníaca ou “a caminho” da mania tende a se sentir energizada e eufórica. Ela sacrifica o sono em troca de uma “grande ideia”, fala sem parar e parece extraordinariamente gregária.

Algumas pessoas renunciam aos medicamentos estabilizadores do humor porque temem que eles os tirem dessa fase ostensivamente prazerosa e ativa. Mas, é uma opção perigosa. Sem tratamento, o transtorno bipolar piora com o tempo.

A mania total causa impulsividade extrema, delírios e psicose, exigindo hospitalização. Além disso, o transtorno não tratado está associado a um aumento na possibilidade de suicídio.

Leia também:  Como é viver com um parceiro que tem transtorno bipolar?

A diferença entre cognição e inteligência

Inteligência

Ao discutir a ligação entre transtorno bipolar e inteligência, é útil definir o que é a “inteligência”. Embora as definições variem, inteligência geralmente se refere à capacidade de uma pessoa aprender com suas experiências, resolver problemas e usar o conhecimento para se adaptar a novas situações.

Por exemplo, inteligência é o que permite que alguém aplique os conceitos aprendidos na aula de matemática em um exame ou anos depois, para comprar e vender ações no mercado financeiro.

Os testes de QI tradicionais geram uma pontuação geral de “inteligência” com base no raciocínio de uma pessoa e nas habilidades de resolução de problemas. Mas, atualmente, há uma concordância com a teoria de que na verdade existem três tipos de inteligência, sendo a criativa a mais próxima do transtorno bipolar:

  • Analítica (resolução de problemas);
  • Criativa (capacidade de gerar ideias novas e úteis) e;
  • Prática (senso comum).

Cognição

A cognição é o processo mental que nos permite adquirir e compreender o conhecimento. Usando o exemplo acima, ela inclui a memória de curto prazo, foco e habilidades de processamento de áudio e visual (entre outras), permitindo que uma pessoa aprenda e absorva informações em sua aula de matemática e execute transações com sucesso no pregão.

As habilidades cognitivas podem ser trabalhadas e aprimoradas, enquanto a inteligência é desenvolvida durante a infância e não muda drasticamente ao longo da vida de uma pessoa, considerando a ausência de mudanças radicais no ambiente.

O transtorno bipolar afeta a cognição e a inteligência?

O transtorno bipolar não afeta negativamente a inteligência. Mas se o distúrbio for grave, ele afetará funções cognitivas como:

  • Atenção;
  • Aprendizado verbal;
  • Memória e;
  • Função executiva.

Isso é comum durante os surtos da doença e, em menor grau, durante os períodos de remissão. Se o transtorno não for tratado de forma eficaz, esses déficits pioram com o tempo e tornam o funcionamento de uma pessoa significativamente mais difícil.

As pessoas com transtorno bipolar são mais inteligentes?

Agora pense em algumas das mentes mais criativas e inteligentes da história. Todos eles foram abençoados e abençoaram nossa cultura com trabalhos incríveis. No entanto, eles sofriam de doença mental extrema e incapacitante, que muitos suspeitam ser transtorno bipolar.

Leia também:  O relacionamento com um bipolar sempre fracassa?

A co-ocorrência de genialidade e o transtorno bipolar é mera coincidência ou existe uma conexão? Esse link poderia se relacionar com pessoas não tão extraordinárias também? Aqui estão algumas respostas:

  • As pessoas com transtorno bipolar não são excepcionalmente criativas ou inteligentes. No entanto, pessoas com altas pontuações de QI podem estar em risco acima da média no desenvolvimento do transtorno bipolar;
  • A relação entre alto QI e transtorno bipolar não é causal. Mas, os genes que causam o transtorno bipolar e os genes que causam alta inteligência podem, em alguns casos, caminhar juntos;
  • O transtorno bipolar está ligado a um tipo específico de inteligência. A conexão entre inteligência e transtorno bipolar é amplamente vista naqueles com alto QI verbal. Esse tipo de inteligência está associado à criatividade, raciocínio abstrato e compreensão por meio de palavras faladas e escritas;
  • A ligação refere-se apenas a certos casos de bipolaridade. A inteligência superior apresenta-se somente a uma minoria de pacientes bipolares e sem quaisquer outros problemas de saúde mental. Isso ocorre porque comorbidades comuns como ansiedade , uso indevido de substâncias e transtorno de personalidade atrapalham a criatividade;
  • QI verbal alto em crianças é um marcador de risco para o desenvolvimento de transtorno bipolar. Pode até ser possível que o alto VIQ seja um sinal de transtorno bipolar em seus estágios iniciais.

Como a inteligência criativa e o transtorno bipolar estão relacionados?

Não há como dizer com certeza qual é a conexão entre o transtorno bipolar e a inteligência criativa, em particular. No entanto, quem tem o transtorno pode ser menos eficiente em filtrar estímulos irrelevantes de seu ambiente do que indivíduos típicos.

Por outras palavras, enquanto o cérebro de uma pessoa comum filtra o ruído de fundo, as cores e as conversas para que ela consiga se concentrar em sua tarefa, um cérebro mais criativo absorve muito mais informações do ambiente.

Leia também:  A importância da regularidade de horário no transtorno bipolar

Essa absorção excessiva encoraja associações soltas e facilita a originalidade. Em uma pessoa saudável e altamente criativa, esse pensamento divergente impulsiona a invenção e a inovação. Associações soltas e maior produção de palavras alimentam a prosa de um escritor criativo.

Por outro lado, a hipomania e a mania são extraordinariamente disruptivas e introduzem o caos na vida das pessoas. Normalmente elas começam muitos projetos, mas não terminam. Há muita atividade acontecendo durante a mania, mas não muita produtividade.

Publicidade

Na realidade, a pessoa média com transtorno bipolar é mais produtiva e criativa enquanto toma medicamentos para estabilizar o humor. Inicialmente eles diminuem a criatividade, mas com o tempo voltam.

Portanto, é uma combinação de características associadas ao transtorno bipolar que provavelmente alimenta a criatividade, não a mania.

O que tudo isso significa para quem tem o transtorno bipolar?

Alta inteligência e criatividade são duas das qualidades humanas mais preciosas. Se você tem um parente excepcionalmente brilhante, não deixe que o risco remoto de transtorno bipolar o impeça de valorizar e celebrar seus dons intelectuais.

Dito isso, se houver um histórico de transtorno bipolar em sua família, fique atento aos sintomas e monitore o parente à medida que ele amadurece. Mesmo que apresentem alguns traços, isso não significa necessariamente que desenvolverá a doença.

Se você for diagnosticado com transtorno bipolar, lembre-se de que está longe de ser uma sentença de morte. Com o tratamento certo, as pessoas levam vidas gratificantes e muito produtivas.

E se você estiver na minoria daqueles que também são excepcionalmente criativos ou inteligentes? Aceite seus desafios conforme eles surgirem e alimente seus dons.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *