Dicas para namorar alguém com borderline

Casal abraçado embaixo de um guarda-chuva transparente

Categoria: Borderline

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Quando você vive ou está a namorar alguém com borderline (transtorno de personalidade limítrofe), então haverá situações aos quais você não está familiarizado.

Se você falasse francês e seu parceiro falasse italiano, você insistiria para que ele falasse apenas o seu idioma?

Provavelmente não. Um relacionamento saudável envolve um encontro intermediário.

Juntos, vocês podem superar os desafios.

Borderline e relacionamentos

Ter borderline não é uma escolha pessoal. É um problema de saúde mental e pode ser controlado.

Uma pessoa com borderline pode sentir amor? Absolutamente!

Ela pode apenas ter dificuldade em se expressar ou estabelecer alguma estabilidade em seus relacionamentos.

Muitos dos principais sintomas do borderline são coisas que podem ressoar em algum grau na maioria das pessoas.

O paciente experimentará esses sintomas intensa e persistentemente e em muitas situações.

No entanto, a empatia e a paciência fazem toda a diferença ao namorar alguém com borderline.

Isso envolve ser capaz de se colocar no lugar de outra pessoa e entender por que ela está pensando ou sentindo de uma determinada maneira.

Se você puder explorar um aspecto de sua própria experiência em que se sentiu da mesma forma que o borderline, isso vai ajudar.

Sintomas do borderline

Apenas um profissional de saúde mental pode diagnosticar com precisão o Transtorno de personalidade borderline.

Leia também:  Saiba como é o casamento de pessoas com borderline

Em suma, para que esse diagnóstico seja alcançado, o borderline deve apresentar persistentemente cinco ou mais dos seguintes sintomas, na maioria das situações:

Publicidade
  • Esforços significativos para evitar o abandono;
  • Tendência de ver os outros de modo dicotômico (ou é bom, ou é ruim. Não existe meio termo);
  • Recorrência de relacionamentos instáveis;
  • Tendência a se comportar de maneiras “intensas”;
  • Mudança de hábitos, interesses e identidade;
  • Impulsividade potencialmente autodestrutiva, como uso de substâncias, gastos excessivos ou direção imprudente;
  • Sensação de vazio de longa data;
  • Instabilidade emocional ou mudanças frequentes de humor;
  • Dificuldade em controlar a raiva;
  • Sintomas de dissociação ou pensamentos paranóicos.

Como fornecer apoio ao namorar alguém com borderline?

Você e seu parceiro podem ter aprendido abordagens diferentes do amor, o representa oportunidades de aprendizado únicas para vocês dois.

Lembre-se de que alguns dos comportamentos do borderline não são uma escolha pessoal, mas um sintoma.

É altamente recomendável que você também se concentre em suas necessidades emocionais, saúde mental e segurança pessoal.

A vontade do borderline em trabalhar no controle dos sintomas não depende de você.

O suporte profissional pode ajudar, mas é importante que ele tome a decisão de procurar ajuda.

Você pode ir de herói à vilão rapidamente

Quando você está a namorar alguém com borderline, haverá momentos em que deixará de ser o herói para se tornar um vilão, aos olhos dele.

Um sintoma onde você é percebido como totalmente bom ou totalmente ruim.

É uma reação à dor emocional. Para administrar isso, o borderline precisa torná-lo o “bandido” por um tempo.

Isso não significa necessariamente que ele não se importa com você.

Ele está com dificuldade em expressar as emoções em palavras, ou teme que você vá embora.

Então é mais fácil terminar o relacionamento antes que você o faça.

Você precisa dar-lhe espaço para se acalmar e pedir que continuem a conversa mais tarde.

Ao namorar alguém com borderline, a segurança é uma necessidade

Seu parceiro precisa de mais garantias que você. Ter borderline dificulta a crença de que as pessoas não irão embora.

Seu parceiro pode passar muito tempo procurando pistas sobre como você realmente se sente, analisando mensagens de texto ou ruminando conversas.

Leia também:  Consequências de ser criado por um pai borderline

Você pode ser solicitado a fornecer uma garantia extra por meio de palavras, ações ou afeição física.

Quando as coisas estiverem mais estáveis, é uma boa ideia expressar abertamente como você se sente.

Namorar alguém com borderline precisa de uma explicação para a sua reação

Às vezes, aquele que vive com borderline podem “hiper-ler” o ambiente onde está.

Um problema nisso é que interpretam suas expressões faciais ou tom de voz de maneira equivocada, ou que pode não estar associado a elas.

Por exemplo, o borderline pode entender que você parece entediado e concluir que não está feliz com ele.

Saiba que seu parceiro pode pedir que você esclareça suas expressões faciais, tom de voz ou mensagens com frequência.

Você também pode enfrentar alguns mal-entendidos, por isso é uma boa ideia evitar ficar na defensiva quando seu parceiro o interpretar mal.

O esclarecimento e a confiança são de grande ajuda ao namorar alguém com borderline.

Metas podem mudar muitas vezes

Pode ser difícil para o borderline trabalhar em um emprego em que se sinta desafiado, criticado ou rejeitado.

Na verdade, o borderline pode desistir impulsivamente ou cortar laços com conexões importantes e, mais tarde, se arrepender.

Saber disso com antecedência pode ajudar vocês dois a se prepararem para o futuro. Ter uma conta poupança ou um bom plano financeiro deixará vocês alinhados quando se trata de finanças.

As redes sociais ao namorar alguém com borderline

Aqueles que vivem com borderline podem usar as redes sociais mais do que aqueles que não o fazem, como forma de validação e garantia.

O borderline pode evitar abruptamente outras pessoas, por exemplo, removendo-as ou bloqueando-as.

Não leve para o lado pessoal se seu parceiro fizer isso com você no calor do momento.

Além disso, se você sentir que está disputando atenção com o telefone dele, então peça o que você precisa. Por exemplo, peça para jantar só vocês dois, mas sem telefones.

Expressar sua apreciação nas redes sociais pode fazer com que o borderline se sinta mais seguro no relacionamento.

Tente postar fotos juntos ou adicionar comentários românticos ao que seu parceiro posta.

Leia também:  Quem tem borderline é uma pessoa perigosa?

Como fortalecer o vínculo ao namorar alguém com borderline

Existem algumas maneiras de fortalecer sua parceria, trabalhando juntos em algumas estratégias.

Escute para entender

Você se apaixonou por essa pessoa por um motivo. Mesmo durante os momentos difíceis, lembre-se disso.

Seja um bom ouvinte. Pense no que seu parceiro está tentando dizer a você, por trás de suas emoções e comportamentos. Pergunte a si mesmo, quais são as suas intenções?

Expresse sua necessidade de ser ouvido, e encoraje o borderline a verificar se sua percepção está correta antes de presumir como você se sente.

Melhore as habilidades de comunicação

A comunicação eficaz dá trabalho, mas é a paixão que mantém vocês unido. Também pode ser útil:

  • Escrever o que você quer dizer e pedir ao seu parceiro para fazer o mesmo;
  • Respirar fundo antes de falar;
  • Concentrar-se em um problema de cada vez;
  • Manter a linguagem corporal aberta;
  • Usar declarações que comecem com “eu”.

Além disso, não tenha medo de desacelerar as coisas. Quando respondemos automaticamente às emoções, tendemos a fazer e dizer coisas das quais poderíamos nos arrepender mais tarde.

Se você sentir que as coisas estão começando a esquentar entre você e seu parceiro, dê um tempo e volte quando ambos tiverem esfriado um pouco.

Busque a ajuda de um terapeuta de casal

A terapia de casal online é um espaço seguro e neutro para expressar sentimentos e preocupações.

Ela vai orientá-lo por meio das perguntas certas, e ajudar ambas as partes a se sentirem compreendidas e ouvidas.

O Psicólogo vai mediar, educar e apoiar vocês enquanto trabalham para um relacionamento mais equilibrado e saudável.

Vamos recapitular

Estar em um relacionamento quando um de vocês tem borderline, e o outro não, é desafiador.

No entanto, essa não é uma tarefa impossível.

Ao utilizar diferentes formas de apoio, como terapia de casal, recursos educacionais e paciência, vocês podem ser capazes de trabalhar juntos para alcançar um meio-termo feliz no relacionamento.

O borderline fará parte da vida de vocês, mas não precisará assumir o controle do relacionamento.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

2 comentários em “Dicas para namorar alguém com borderline”

  1. Jamais namore, case, viva junto ou mantenha relacionamento com um borderline. Esta é a dica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *