Como identificar o narcisista que há dentro de você?

Recorte da face de uma mulher, olhando para si mesma

Categoria: Narcisismo

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Todos os dias parece surgir um novo artigo sobre como identificar um narcisista, seja ele o seu chefe, a sua mãe ou seu parceiro romântico. No entanto, pode valer a pena dar um passo atrás e se perguntar: como identificar o narcisista que há dentro de você? Ou, como seu próprio narcisismo afeta os relacionamentos e sua vida de maneira geral?

A verdade é que todos nós temos um potencial para o narcisismo. Há, pelo menos, 3 formas principais de narcisismo existentes como um continuum em todos nós.

Poucas são pessoas, na população geral, que têm narcisismo patológico (o que requer um diagnóstico clínico). Normalmente, quando chamamos outra pessoa de “narcisista”, estamos querendo dizer que ela exibe alguns traços de personalidade que não gostamos.

Narcisismo grandioso

A forma de narcisismo que as pessoas normalmente pensam é o do tipo grandioso. Observe as seguintes afirmações e seja honesto consigo mesmo o quanto você concorda com elas:

  • Eu gosto de ser a pessoa mais popular em uma festa;
  • Eu quero tomar conta da maioria das situações;
  • Costumo fantasiar sobre ter muito sucesso e poder;
  • Eu aspiro à grandeza;
  • Eu sou muito bom em manipular as pessoas;
  • Estou disposto a explorar os outros para promover meus próprios objetivos;
  • Eu mereço receber tratamento especial;
  • Não me preocupo com as necessidades dos outros;
  • Outros dizem que me gabo demais, mas tudo o que digo é verdade.
Leia também:  Sinais de que você é casado com um narcisista

Esses itens são como um saco misto. Por exemplo, é ótimo ter grandes aspirações de grandeza, mas isso muitas vezes se mistura com o direito e a vontade de passar por cima dos outros na jornada pelo topo.

Se você acenou com a cabeça afirmativamente para muitas das questões anteriores, vale também a pena refletir sobre essas perguntas:

  • Você tem que assumir o controle em todas as situações, ou há momentos em que seria melhor ajudar a facilitar o crescimento daqueles ao seu redor?
  • Está intencionalmente manipulando as pessoas de uma maneira exploratória?
  • Acreditar que você merece um tratamento especial está atrapalhando a formação de conexões autênticas e duradouras com os outros?
  • Como sua falta de empatia e cuidado com as necessidades dos outros está prejudicando relacionamentos que poderiam ser realmente significativos?
  • Você poderia se gabar um pouco menos e aplaudir um pouco mais o sucesso dos outros? De que forma isso traria um eu melhor e um mundo melhor no qual você pode contribuir?

Narcisismo vulnerável

Existe uma forma mais silenciosa de narcisismo, conhecida por narcisismo vulnerável. Enquanto aqueles com um narcisismo grandioso justificam seu direito como algo intrínseco, por exemplo: eu sou naturalmente ótimo, aqueles com alto nível de narcisismo vulnerável justificam seu direito como resultado do quanto eles “sofreram” em suas vidas, ou quão injustas suas desvantagens passadas foram.

O narcisismo vulnerável é frequentemente correlacionado com hostilidade, desconfiança dos outros e sentimentos constantes de vergonha.

  • Enquanto o narcisismo vulnerável está fortemente relacionado a experiências adversas na infância, o narcisismo grandioso está associado ao elogio excessivo quando criança;
  • Enquanto o narcisismo vulnerável está associado à depressão e ansiedade pessoais, o narcisismo grandioso está mais relacionado ao dano aos outros.

Reflita sobre o quanto você concorda com as seguintes afirmações:

  • Muitas vezes você sente que precisa de elogios dos outros para ter alguma certeza;
  • Quando percebe que falhou em alguma coisa, se sente humilhado;
  • Quando os outros têm um vislumbre das suas necessidades, sente-se ansioso e envergonhado;
  • Fica com raiva quando é criticado;
  • Irrita-se quando as pessoas não percebem o quão boa pessoa você é;
  • Gosta de ter amigos que confiam em você porque isso te faz sentir importante;
  • Às vezes evita as pessoas porque se preocupa que elas não reconheçam o que você faz por elas;
  • Quando alguém faz algo de bom para você, se pergunta o que eles querem.
Leia também:  Love bombing: o que é e como se proteger?

Se você concordou fortemente com a maioria desses itens, então pode valer a pena refletir sobre as seguintes perguntas:

  • Você evita oportunidades de crescimento porque tem medo de parecer ruim?
  • Diz às pessoas como realmente se sente, de uma maneira calma, mas assertiva, ou está mais propenso a culpar todos os outros narcisistas por não serem um leitor de mentes e conhecer todas as suas necessidades?
  • Seu ego profundamente vulnerável é repetidamente atraído por aqueles que exibem traços narcisistas grandiosos? Se sim, por quê? O que há neles que você quer? É realmente saudável querer essas coisas?
  • Sua constante desconfiança dos outros está atrapalhando a formação de relacionamentos saudáveis ​​e satisfatórios?
  • O seu medo da vergonha atrapalha a experiência por coisas novas na vida, e de aprender e crescer como uma pessoa inteira?

Narcisismo Comunal

Por fim, há uma terceira forma de narcisismo chamada narcisismo comunal. O ego pode se apegar a qualquer coisa, até mesmo a comportamentos altruístas. O narcisismo comunitário envolve satisfazer os mesmos motivos pessoais que você vê em outras formas de narcisismo, mas especificamente no domínio altruísta da vida.

Reflita sobre as seguintes afirmações:

  • Você é a pessoa mais útil que conhece;
  • Vai trazer paz e justiça ao mundo;
  • É o melhor amigo que alguém pode ter;
  • Será bem conhecido pelas boas ações que fará;
  • Será o melhor pai deste planeta;
  • É a pessoa mais carinhosa no seu ambiente social;
  • Trará liberdade para as pessoas;
  • É capaz de resolver a pobreza mundial;
Leia também:  As principais estratégias de como o narcisista lida com o ciúme

É ótimo querer ajudar os outros e aspirar a servir ao mundo. No entanto, o narcisismo comunal é frequentemente associado ao excesso de confiança e à cobrança excessiva de crédito por coisas que você fez para impactar o mundo.

Se você sentiu uma grande ressonância com os itens acima, pode valer a pena refletir sobre as seguintes questões:

  • Precisa ser o MELHOR ajudante para fazer o tipo de mudança que quer ver no mundo?
  • Quanto os outros te ajudaram ao longo do caminho, e como pode dar-lhes mais crédito como um caminho para conexão e crescimento em sua própria vida?
  • De que maneiras pode enriquecer a vida dos outros sem sentir grande necessidade de fazê-lo?
  • Está em contato com seus conhecimentos e habilidades reais, ou tem a tendência de exigir demais dos próprios recursos?
  • Realmente se importa em ajudar as pessoas, ou está apenas interessado em desenvolver seu próprio ego?
  • Como ter um ego mais calmo pode te levar a fazer melhores escolhas, e que trarão os resultados altruístas que você realmente quer na vida?

Rumo ao crescimento como uma pessoa inteira

Espero que essas sugestões de reflexão o ajudem em sua própria jornada de crescimento como pessoa integral. Seu eu narcisista é apenas uma pequena fatia de você.

Todos nós somos capazes de muito mais do que o nosso ego exige, e às vezes o melhor caminho para o crescimento é olhar para dentro como forma de quebrar velhos padrões e construir conscientemente novos hábitos em sua vida.

Publicidade

Boa sorte em sua jornada.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *