Cabeçalho site

Psicólogo online para vítimas de narcisismo em qualquer lugar do mundo

Início

Artigos

Sobre

Início » 40 importantes tópicos para se falar na terapia de casal

40 importantes tópicos para se falar na terapia de casal

Casal olhando para lados opostos e distanciados um do outro

Este conteúdo não foi escrito por inteligência artificial.
Assim, você tem garantia de que ele possui qualidade, precisão e originalidade.


Alguns casais podem não ter claro o suficiente sobre os tópicos e questões importantes para falar na terapia de casal. Às vezes pode acontecer que, depois de algum tempo, eles não queiram repetir o que já falaram, mas também não conseguem pensar em outro foco que possa abrir portas para um diálogo novo e revelador.

A seguir, listei vários tópicos e questões importantes para falar na terapia de casal. Um ou mais desses pontos podem estimular novas ideias.

Esta lista não pretende contemplar todas as possibilidades. Na minha opinião, quanto mais abrangente vocês forem no que traz para exploração e discussão durante a terapia de casal, mais obterão do processo geral.

Livre-se do narcisismo em sua vida!

Psicólogo Emilson Silva com camisa roxa e rindo

Com mais de 12 anos de experiência, já ajudei milhares de pessoas a superarem algum tipo de abuso narcisista.

Ao fazer seus melhores esforços por um bom uso das sessões, estarão aumentando as chances de alcançar com sucesso os objetivos da terapia. Vocês acabarão se conhecendo muito mais do que a grande maioria das pessoas em relacionamentos íntimos, resultando em um maior grau de felicidade e satisfação com seu vínculo amoroso.

Livre-se do narcisismo em sua vida!

Psicólogo Emilson Silva com camisa roxa e rindo

Com mais de 12 anos de experiência, já ajudei milhares de pessoas a superarem algum tipo de abuso narcisista.

Amor, confiança e compromisso mais profundos e duradouros, na verdade, exigem muito trabalho para alcançar e manter.

Tópicos, questões e preocupações que você pode explorar em sessões de terapia de casal

  1. As circunstâncias de como vocês dois se conheceram, o que primeiro os atraiu, o que vocês não gostaram um no outro e como vocês decidiram se comprometer;
  2. As experiências mais significativas e transformadoras que vocês tiveram na vida. Externamente em relação ao seu parceiro, familiares, amigos e outros; e internamente, especialmente em um nível emocional no passado;
  3. Se vocês tem um ou mais filhos: A natureza e qualidade, e desafios e alegrias, de seus relacionamentos individuais e conjuntos com seus filhos. Semelhanças e diferenças em relação às suas práticas de criação, filosofias e objetivos. Quanto vocês vêem olho no olho as maneiras como vocês disciplinam, orientam e apoiam seu(s) filho(s)? Quão coordenados e sintonizados vocês estão em relação a como se relacionam com seu(s) filho(s)? Quão bem distribuídas são suas responsabilidades de cuidar e criá-los? Um dos pais está muito mais ativamente envolvido no relacionamento com seu(s) filho(s)? Se sim, como vocês se sentem sobre isso?
  4. Quão semelhantes e compatíveis são vocês dois em termos de prioridades financeiras, valores, ética e objetivos? Quanto vocês confiam uns nos outros em relação a questões de dinheiro? Até que ponto vocês tem contas financeiras, recursos e orçamentos separados ou conjuntos? Como vocês tem sido influenciados por seus pais e “pessoas importantes” em suas vidas com relação a abordar e lidar com questões relacionadas a dinheiro?
  5. Quão boa e satisfatória (ou não) é a vida sexual compartilhada? Até que ponto vocês tem sentimentos consistentes de atração e desejo pelo outro? Até que ponto suas energias sexuais são desviadas ou deslocadas de seu parceiro para outra saída ou foco? Como infidelidade, pornografia, masturbação ou parafilias;
  6. A natureza e a qualidade de seus relacionamentos com seus próprios familiares e com os familiares de seu parceiro. Isso inclui parentes por afinidade (ou seu equivalente) e um filho ou filhos de casamentos/relacionamentos anteriores. Como esses relacionamentos têm um impacto no relacionamento de vocês atualmente?
  7. O impacto de vícios e compulsões comportamentais, incluindo jogos de azar, compras, gastos, exercícios e sexualidade compulsiva em seu casamento/parceria;
  8. Os efeitos de seu desenvolvimento infantil, educação e experiências, incluindo a qualidade da paternidade que você recebeu e a segurança dos vínculos emocionais que você estabeleceu. Incluindo abuso sexual, físico, emocional, negligência, privação e outras experiências prejudiciais e traumáticas.
  9. Os efeitos de casamentos anteriores sobre você e seu parceiro, e outros relacionamentos românticos importantes em sua vida.
  10. Até que ponto vocês compartilham interesses mútuos, hobbies, atividades, paixões e filosofias pessoais? Quão compatíveis são vocês dois em relação a como vocês gastam o tempo “livre” ou de lazer? Quanto ou quão pouco tempo de qualidade vocês realmente passam um com o outro?
  11. A função de amigos individuais, ou seja, amigos de apenas um de vocês. O quanto vocês aprovam ou desaprovam, tem ciúmes, se ressentem, se sente aliviados ou ameaçado por esses relacionamentos? Que diferença faz para vocês se o amigo do seu parceiro é do mesmo sexo ou orientação sexual, ou diferente?
  12. O(s) papel(es) de amigos compartilhados;
  13. Se vocês moram juntos, quão confortável e satisfeitos vocês estão com o compartilhamento das responsabilidades domésticas? Quão justa vocês acham a atual distribuição de responsabilidades? Isto é, vocês acham que o parceiro faz a sua parte? Quão satisfeito vocês estão com o arranjo atual em que um parceiro pode cuidar mais das responsabilidades externas, enquanto o outro pode cuidar mais das responsabilidades internas?
  14. Quão compatíveis ou incompatíveis são vocês dois em relação a atitudes, crenças e práticas políticas, religiosas, sociais e culturais? Quanto isso afeta sua vida compartilhada juntos?
  15. Quão envolvido vocês estão na vida profissional do outro? Quais são as consequências, boas e ruins, de vocês estarem envolvidos em um negócio juntos?
  16. Quão emocionalmente íntimos vocês dois são um com o outro? Por exemplo, alguns casais são como companheiros de quarto, enquanto outros são melhores amigos, almas gêmeas, confidentes e/ou profundamente conectados emocionalmente e ligados um ao outro;
  17. O impacto do(s) transtorno(s) psiquiátrico(s) de um ou ambos os parceiros no funcionamento de suas articulações?
  18. O impacto e os efeitos (curto, médio e longo prazo) de problemas e complicações médicas, doenças (aguda, crônica, com risco de vida), deficiências, lesões graves, cirurgias e condições psicossomáticas;
  19. Suas atitudes semelhantes ou diferentes (compatíveis ou incompatíveis) em relação e relacionamentos com animais de estimação e outros animais;
  20. Suas sensibilidades de interação. Ou seja, vocês podem ter hábitos, atitudes, crenças e valores muito diferentes, às vezes opostos, que se chocam entre si e são um desafio para a convivência diária. Por exemplo, um de vocês pode ser mais organizado, o outro desorganizado; um pode valorizar a pontualidade, enquanto o outro pode ser mais casual ou flexível em relação ao tempo;
  21. Qual é o impacto de suas diferentes prioridades em relação ao cuidado e proteção do corpo? Quão semelhante ou não vocês são em suas atitudes, valores e comportamentos em relação aos tratamentos recomendados e prescritos e cuidados médicos e odontológicos preventivos? Algum de vocês dá prioridade consideravelmente maior a questões relacionadas ao corpo, como aparência, peso, hábitos alimentares, exercícios e condicionamento físico? Um usa cinto de segurança no carro e o outro não? Um parceiro dirige um carro de maneira muito mais cautelosa e segura do que o outro? Como suas diferentes escolhas de estilo de vida, decisões e prioridades afetam o relacionamento?
  22. Quais foram os efeitos mais importantes e influentes das diferenças que vocês dois trouxeram para o relacionamento atual de suas: famílias de origem (a família em que vocês cresceram); famílias extensas (parentes que não viveram em sua casa); cultura e subcultura das famílias; país de origem; educação religiosa e espiritual, etc.?
  23. Até que ponto suas atitudes e crenças sobre suas identidade de gênero (masculina ou feminina) e orientação sexual (gay ou heterossexual; homossexual, bissexual, transexual ou heterossexual) afetam a parceria? Até que ponto seus papéis e expectativas de relacionamento são afetados por serem homem ou mulher?
  24. Características de personalidade, comportamentos, atitudes, valores, estilos e comportamentos não verbais que vocês particularmente gostam e apreciam um no outro. Essas são coisas que vocês podem tomar como garantidas e geralmente não comentam ou falam. Por exemplo: aspectos de suas aparências, como usam/mantêm o cabelo, as roupas que vestem; o som voz; as maneiras como sorriem e riem; as maneiras como tocam você; etc.
  25. Quão compatíveis ou incompatíveis são vocês dois em relação à saúde e hábitos alimentares, cuidados corporais e higiene? Quais são as implicações disso em suas atitudes e sentimentos em relação ao outro?
  26. As atividades recreativas, sociais e outras que você atualmente ou costumava desfrutar juntos;
  27. As interações menores da vida diária que tornam suas vidas juntos muito agradável, segura e significativa, ou miserável, insatisfatória e frustrante;
  28. Até que ponto vocês planejaram suas aposentadorias?
  29. Até que ponto vocês se preparam (emocionalmente, financeiramente, etc.) para o futuro juntos ou sozinhos? Quais são as coisas (grandes e pequenas) que vocês mais sentiriam falta em seu parceiro se ele ou ela morresse ou deixasse você? Como suas vidas e estilos de vida mudariam como resultado?
  30. Acordos práticos que vocês fizeram, precisam ou querem fazer, no caso de invalidez ou morte do parceiro? Por exemplo: testamentos; diretivas médicas avançadas; contas de beneficiários; seguro de vida, cuidados de longa duração e invalidez; arranjos fúnebres. Como vocês se sentem ao falarem sobre esses assuntos difíceis, emocionalmente exigentes e muitas vezes tabus?
  31. Alterações que vocês gostariam que o outro fizesse. Mudanças que seu parceiro gostaria que você fizesse. Mudanças que vocês gostariam de fazer em si mesmo.
  32. Se vocês não estão morando juntos atualmente, como isso afeta o relacionamento? Vocês tem diferenças significativas em relação ao quão comprometido estão em manter esse relacionamento?
  33. Quão satisfeito vocês estão com a vida sexual? O que vocês gostam e não gostam no outro? O que vocês gostariam de fazer mais, ou menos, ou diferente? Como a qualidade de suas vidas sexuais mudaram (para melhor ou para pior) ao longo dos meses ou anos? Se vocês não estão tendo relações sexuais um com o outro, ou fazem sexo com pouca frequência, como entendem isso? O que vocês poderiam fazer para se ajudar nesse sentido? Até que ponto seus sentimentos de constrangimento e/ou vergonha (ou seus fortes sentimentos em relação a manterem a privacidade pessoal e resolverem seus próprios problemas) os impedem de obterem a ajuda profissional de que precisam?
  34. Quão satisfeito vocês estão com suas vida sociais e recreativas compartilhadas? O que vocês gostariam de continuar fazendo, fazer mais ou menos? O que mais vocês gostariam de fazer que não fizeram antes?
  35. Seus diferentes relacionamentos e reações aos interesses tecnológicos do outro. Por exemplo, alguns parceiros entram em conflito com o uso (ou uso excessivo) de computadores e smartphones.
  36. Diferenças que vocês podem ter em relação à “mentalidade”, capacidades ou motivações psicológicas. Vocês tem a sensação de que estão crescendo mais ou menos no mesmo ritmo emocional e psicologicamente, ou há uma lacuna cada vez maior entre vocês dois? Vocês tem atitudes e crenças significativamente diferentes sobre estar em terapia?
  37. Até que ponto vocês dois estão sintonizados em relação ao quanto vocês gostam/preferem ficar em casa ou sair? Quão compatíveis são vocês dois no que diz respeito a preferirem mais tempo sozinho ou juntos?
  38. Como vocês caracterizariam (avaliariam, descreveriam) o papel do poder (incluindo controle e influência) em seu relacionamento (como quem está mais no comando, toma decisões importantes, ganha mais dinheiro, é mais emocionalmente dominante)? Como vocês se sentem sobre o atual equilíbrio de poder no relacionamento? Que problemas vocês têm juntos sobre esses tipos de questões?
  39. Quais são suas posição em relação ao uso de álcool, nicotina, drogas prescritas e não prescritas por seu parceiro e você próprio? Quanto conflito vocês dois têm sobre suas diferenças a esse respeito?
  40. Os sonhos que vocês tem enquanto dorme podem fornecer uma janela fascinante, reveladora e interessante para sua mente inconsciente. Quanto vocês compartilham e falam sobre seus sonhos um com o outro? Quanto vocês sabem sobre o seu mundo interior e o do seu parceiro? Quanto cada um de vocês sabe sobre as imagens inconscientes, histórias e memórias ocultas, desejos, medos e fantasias contidos em sua vida onírica? O quanto vocês estão motivados para saber sobre essas coisas?

Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *