Falar sozinho pode ser considerado uma doença mental?

Falar sozinho pode ser considerado uma doença mental?

Categoria: Solidão

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

As pessoas falam consigo mesmas em voz alta por vários motivos, como por exemplo, solidão, estresse e até mesmo ansiedade. Normalmente, falar sozinho não é considerada uma doença mental, mas pelo contrário, é uma forma benéfica de processar pensamentos e experiências.

Por que algumas pessoas falam sozinhas?

Todo mundo tem um monólogo interno, e alguns tem o hábito de falar em voz alta para si mesmo, enquanto outros ficam calados. Duas teorias que explicam por que as pessoas falam sozinhas incluem:

  • Teoria do isolamento social: passar muito tempo sozinho aumenta a probabilidade de as pessoas falarem sozinhas;
  • Teoria da perturbação cognitiva: falar sozinho quando se enfrenta algo difícil ou traumático e que afeta o bem-estar psicológico.

Diferentes funções do diálogo interno incluem:

  • Autocrítica: “Pareci ridículo durante aquela reunião.”;
  • Autorreforço: “Estou preparado e me sairei bem durante a apresentação de amanhã.”;
  • Autogerenciamento: “Não se esqueça de marcar essa consulta hoje.”;
  • Avaliação social: “Quando eu convidá-lo para sair, ele provavelmente dirá sim.”
Leia também:  Você é sozinho ou solitário?

Outros motivos pelos quais alguém pode falar consigo mesmo incluem:

  • Raciocínio;
  • Resolução de problemas;
  • Planejamento;
  • Atenção;
  • Motivação.

Os benefícios de falar sozinho

Falar sozinho trás benefícios de várias maneiras, como evitar ceder aos impulsos, fornecer orientação em situações desafiadoras e ajudá-lo a permanecer no caminho certo com seus objetivos. Os atletas, por exemplo, costumam usar o diálogo interno para se manterem motivados e atingirem metas.

Publicidade

Quando começa a conversa interna?

A maioria das crianças começa a falar sozinha por volta dos 2 ou 3 anos. Depois dos 5 anos, a conversa interna geralmente se torna mais interna, mas nunca desaparece completamente.

Como parar de falar sozinho?

Como o diálogo interno é uma parte natural da existência humana, será um desafio parar de fazê-lo, especialmente se for frequente. Aqui estão algumas dicas para falar consigo mesmo com menos frequência:

  • Seja auto-observador: observe quando você está falando sozinho e preste atenção no motivo pelo qual você faz isso. Quanto mais você entender por que fala consigo mesmo, mais sucesso terá em parar;
  • Use uma ação alternativa: sempre que você notar sua conversa interna, faça outra coisa, como escrever ou simplesmente pensar sobre seus pensamentos;
  • Conquiste apoio: um dos motivos pelos quais as pessoas falam sozinhas é por causa da solidão. Identifique pessoas a quem você pode recorrer quando quiser conversar e certifique-se de não se isolar dos outros;
  • Use ferramentas organizacionais: se você fala sozinho para se manter organizado, tente escrever listas de tarefas, usar um calendário ou definir lembretes para se manter concentrado.
Leia também:  O que fazer quando você se sentir sozinho(a)?

Quando falar sozinho é motivo de preocupação?

Assim como o diálogo interno é benéfico, às vezes é prejudicial. Quando a conversa interna se torna negativa ou crítica, ela cria uma narrativa prejudicial que afetará sua estimativa.

Algumas pessoas que falam consigo mesmas com mais frequência o fazem por solidão ou porque não têm relacionamentos sociais saudáveis ​​ou suficientes. Converse com um Psicólogo se a conversa interna estiver associada a sentir-se sozinho ou a sintomas de ansiedade ou depressão.

Condições de saúde mental associadas ao falar sozinho

Certas doenças mentais estão associadas a níveis mais elevados de perturbação cognitiva, levando as pessoas a falarem consigo mesmas para resolver o problema. Usada dessa forma, a conversa interna é reconfortante e ajuda a enfrentar a situação.

Algumas doenças mentais associadas ao diálogo interno incluem:

  • Ansiedade;
  • Transtorno obsessivo-compulsivo;
  • Esquizofrenia;
  • Transtorno de estresse pós-traumático;
  • Depressão.

Uma maneira de distinguir entre uma conversa interna saudável e uma potencial psicose (perda de contato com a realidade) é prestar atenção em como as vozes aparecem.

A conversa interna saudável é mais uma conversa consciente. Se você estiver respondendo a vozes em sua cabeça e não criou o diálogo conscientemente, se houver mais de uma voz dialogando ao mesmo tempo, por vez, ou se houver sons, cheiros ou imagens vívidas que acompanham as vozes, é importante conversar com um Psicólogo.

Leia também:  Caminhos para a reintegração social no pós-pandemia

Perguntas frequentes

Quão comum é falar sozinho em voz alta?

Falar sozinho em voz alta é extremamente comum. Embora alguns conversem mais consigo mesmos do que outros, muitas pessoas falam em voz alta consigo mesmas. Crianças com desenvolvimento saudável começam automaticamente a falar consigo mesmas em voz alta desde muito jovens.

Que transtorno mental faz você falar sozinho?

A conversa interna pode ser um sintoma de várias doenças mentais. Pode ser um sinal de transtorno de ansiedade, depressão, Transtorno de estresse pós-traumático ou transtorno obsessivo-compulsivo. As doenças mentais mais graves associadas ao diálogo interno incluem esquizofrenia e psicose.

Pessoas inteligentes falam sozinhas?

Embora existam diferentes razões pelas quais as pessoas falam consigo mesmas, pessoas de todos os níveis de escolaridade e inteligência o fazem. A conversa interna é um comportamento saudável e normal.

Palavras finais

A conversa interna é uma parte normal e natural do ser humano. As pessoas falam consigo mesmas por vários motivos, incluindo autocrítica, autorreforço, autogestão, avaliação social, resolução de problemas e motivação.

Às vezes, porém, o diálogo interno é motivo de preocupação. Pode ser um sintoma de doença mental se for incontrolável, estiver associado a altos níveis de ansiedade ou sintomas de depressão, ou se as palavras forem confusas e não fizerem sentido.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *