Quais os sinais e sintomas do TDAH em mulheres?

Uma mulher segurando um lápis entre seus lábios e o nariz em um ambiente de trabalho

Categoria: TDAH

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

O transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH) há muito é considerado uma condição que afeta os homens. No entanto, mais mulheres estão sendo diagnosticadas à medida que a compreensão se aprofunda.

Isso se deve, em parte, ao aprendizado de que o TDAH em mulheres é diferente do que nos homens.

Por exemplo, as mulheres são mais propensas a ter TDAH do tipo desatento, em que devaneios e timidez são comuns. Por outro lado, é mais comum que os homens sejam hiperativos e impulsivos, ou tenham uma combinação dos dois.

Se não for diagnosticado, o TDAH em mulheres resulta em baixa autoestima e autoculpabilização. Pode até ocasionar outras condições de saúde mental na idade adulta.

Estar ciente dos diferentes sintomas de TDAH em mulheres vai ajudá-lo a saber quando é hora de consultar um profissional para uma avaliação.

Sintomas do TDAH em mulheres

Os sintomas do TDAH em mulheres costumam ser vistos como características de personalidade, e não como um transtorno. É por isso que são ignorados.

Leia também:  O coaching para TDAH é eficaz e vale a pena?

Mas, como exatamente o TDAH se parece em mulheres em comparação com os homens?

Os seguintes sinais do TDAH em mulheres incluem:

  • Chorar facilmente;
  • Sonhar acordada em um mundo só dela;
  • Dificuldade em manter o foco;
  • Distrair-se facilmente;
  • Desorganização e bagunça (tanto na aparência quanto no espaço físico);
  • Parecer desmotivada;
  • Esquecimentos;
  • Altamente sensível à ruído e emoções;
  • Hiper-falante (sempre tem muito a dizer, mas não é boa em ouvir);
  • Hiperreatividade (respostas emocionais exageradas);
  • Comete erros por descuido;
  • Atrasos frequentes por má gestão do tempo;
  • Problemas para concluir tarefas;
  • Timidez;
  • Fica chateada facilmente;
  • Muda o foco de uma atividade para outra com frequência;
  • Leva tempo para processar informações e orientações;
  • Parece não ouvir os outros;
  • Verbalmente impulsiva;
  • Interrompe os outros antes que terminem de falar;

Mulheres com TDAH não terão necessariamente todos esses sinais. Ao mesmo tempo, ter apenas um ou dois sintomas também não significa que o TDAH seja certo.

Se você ou outra mulher em sua vida exibe algumas dessas características continuamente, a consulta com um profissional de saúde mental é indispensável.

As características do TDAH mudam à medida que a mulher envelhece. Nas adolescentes, têm um impacto significativo no bem-estar emocional e social.

Elas lutarão contra a rejeição social, dificuldade em manter o foco na escola, controle de impulsos deficiente, timidez, ansiedade e baixa autoestima.

Também podem internalizar os sintomas, acreditando erroneamente que suas lutas se devem a falhas de caráter ou traços de personalidade, e não a sinais de uma neurodivergência.

Leia também:  Como são os relacionamentos com quem tem TDAH?

Diagnosticando o TDAH em mulheres

É muito mais fácil pensar que uma criança fisicamente ativa e desafiadora se beneficiaria mais de uma avaliação de TDAH do que uma criança que parece distante ou distraída.

Mas, nas mulheres, os sinais e sintomas de TDAH tendem a ter algumas semelhanças subjacentes.

Compensação da desatenção

Para muitas mulheres com TDAH, prestar atenção à tarefa é o maior desafio. Elas podem se distrair com eventos externos ou mergulhar em um mundo próprio.

Por exemplo, um pássaro fora da janela de uma sala de aula desviando a atenção de algo mais importante em seu ambiente, como um professor anunciando a data do próximo exame.

Para compensar, a mulher com TDAH vai hiperfocar em algo de que gosta ou em que é boa. Ela colocará tanto esforço e concentração nessa única coisa que os pais ou professores descartarão a possibilidade do transtorno.

Às vezes, esse hiperfoco é uma estratégia de enfrentamento para se manter entretida quando algo é chato. Outras vezes, é algo no qual ela não tem controle.

Embora pareça vantajoso, será prejudicial quando interfere na capacidade de uma mulher em se concentrar em outras coisas.

Movimentação constante

Algumas mulheres com TDAH exibem mais sinais clássicos de hiperatividade. Será, então, descrita como uma “moleca” porque gosta de atividades físicas, diferentemente de outras garotas de sua idade.

Leia também:  Qual a relação entre o TDAH e o perfeccionismo?

Outros comportamentos relacionados à hiperatividade, como agressão, loquacidade e emotividade, às vezes são atribuídos erroneamente a características de personalidade, e não ao TDAH.

Impulsividade

Uma mulher com TDAH é impulsiva e hiper-falante.

Ela interrompe os outros, fala excessivamente ou muda de assunto repetidamente durante as conversas. Até deixa escapar palavras sem pensar.

Mulheres com TDAH também são excessivamente sensíveis, superemocionais e facilmente excitáveis.

Tratando o TDAH em mulheres

Um profissional de saúde mental realizará os testes necessários para identificar se uma mulher tem TDAH, bem como iniciar o tratamento.

O tratamento para TDAH em mulheres inclui:

  • Técnicas de gerenciamento de comportamento;
  • Estratégias organizacionais;
  • Medicação;
  • Aconselhamento e apoio.

O simples fato de saber que tem TDAH pode aliviar a mulher de um enorme fardo de culpa e vergonha. Também vai livrá-la dos rótulos prejudiciais, como “ambiciosa”, “desmotivada”, “estúpida” ou “preguiçosa”.

Uma mulher com TDAH não é nenhuma dessas coisas. Ela simplesmente tem TDAH.

A adoção de algumas estratégias tornarão sua vida um pouco mais fácil e seu futuro mais brilhante.

O primeiro passo para fazer isso acontecer é reconhecer os diferentes sintomas de TDAH em mulheres, e agora você sabe o que procurar.

Publicidade

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *