Cabeçalho site

Psicólogo online para vítimas de narcisismo em qualquer lugar do mundo

Início

Artigos

Sobre

Início » Narcisismo » As 10 etapas no tratamento do transtorno narcisista

As 10 etapas no tratamento do transtorno narcisista

As 10 etapas no tratamento do transtorno narcisista.

A internet está cheia de sites de profissionais de saúde não mental dizendo que o narcisismo não pode ser tratado.

Eles também dizem que os narcisistas são mestres na manipulação, que enganam até mesmo psicoterapeutas experientes e o que parece ser um progresso é apenas uma mudança temporária de comportamento.

Ou, então, afirmam que os narcisistas distorcem a verdade e de alguma forma conseguem convencer Psicólogos experientes de que são inocentes e que o verdadeiro problema é outra pessoa.

Gostaria de esclarecer as coisas: nada do que foi dito acima é verdade. Existem tratamentos eficazes para o Transtorno de personalidade narcisista.

A mudança é difícil, mas possível. Todos têm capacidade de crescer e evoluir, e isso inclui os narcisistas.

Livre-se do narcisismo em sua vida!

Psicólogo Emilson Silva com camisa roxa e rindo

Com mais de 12 anos de experiência, já ajudei milhares de pessoas a superarem algum tipo de abuso narcisista.

Então, por que tantas pessoas acreditam que o narcisismo não pode ser tratado com terapia?

Existem três razões básicas pelas quais não ouvimos falar do tratamento bem-sucedido:

  1. Existem poucos institutos de treinamento que se concentram no ensino do diagnóstico e tratamento do narcisismo;
  2. Esta é uma especialidade difícil, cara e demorada para aprender adequadamente;
  3. A maioria dos narcisistas evita a terapia ou desiste prematuramente quando se sentem ameaçados ou desconfortáveis.

Em resumo: não há Psicólogos suficientes disponíveis com formação adequada no diagnóstico e tratamento.

Embora poucos narcisistas desejam fazer terapia, eles não percebem que o problema subjacente é o transtorno.

A ignorância sobre a real natureza dos seus problemas leva-os a escolher o tipo errado de Psicólogo.

Isto significa que a maioria deles que iniciam a terapia acabam com profissionais que não reconhecem que têm um transtorno ou, se o fazem, não têm ideia de como tratá-los.

Para aumentar ainda mais a dificuldade, a maioria dos narcisistas abandona a terapia prematuramente, mesmo quando tem um bom Psicólogo.

Geralmente, isso ocorre porque eles consideram a autorreflexão extremamente dolorosa. Ela envolve abandonar as suas defesas e enfrentar a sua própria vergonha subjacente e baixa auto-estima .

Como é a terapia?

Toda terapia leva mais tempo do que a maioria dos pacientes espera. Não existe cura em dez sessões para problemas complexos.

Uma terapia completa para narcisismo geralmente leva pelo menos de 5 a 10 anos. É um processo longo, lento e complexo, pois ele ocorre em etapas.

Os narcisistas de alto funcionamento, que são autorreflexivos e lidam bem com a maior parte de suas vidas, provavelmente se sairão melhor do que os de baixo funcionamento, que são incapazes de manter um emprego e não têm amigos.

As 10 etapas da terapia

Aqui está uma visão muito resumida do processo. Na realidade, pode não ser tão simples ou linear. E, por favor, tenha em mente que existem diferentes formas de terapia, e cada uma vê o processo de maneira um pouco diferente.

Estou descrevendo o que minha experiência no tratamento de pessoas com narcisismo me ensinou.

Alívio dos sintomas

A maioria dos narcisistas não inicia uma terapia para refletir ou mudar. Eles geralmente vêm para obter alívio de sentimentos e sintomas desagradáveis, ​​ou para agradar alguém importante para eles.

Alguns vão embora assim que se sentem melhor ou a pessoa fica satisfeita.

Evitando dores futura

Alguns narcisistas consideram a terapia mais interessante do que esperavam.

Se forem capazes de autorreflexão, continuarão por tempo suficiente para compreender os gatilhos e desenvolverem um plano que os ajudará a evitar dores futuras.

Nesta fase as coisas ainda são sobre eles, sem qualquer desejo de compreender ou mudar o seu impacto sobre outras pessoas.

Trata-se de compreender o impacto das outras pessoas sobre elas.

Identificando os mecanismos de enfrentamento

Nesta fase, ajudo os narcisistas a compreenderem e identificarem seus padrões primários de defesa.

Isso envolve olhar para situações da sua infância e como aprenderam a lidar com ela. Isso ainda é bastante fácil porque pode ser investigado (em muitos casos) sem que se sintam julgados.

Criando novos mecanismos de enfrentamento

Agora que a pessoa sabe o que faz e por que o faz, as velhas estratégias narcisistas não desaparecem simplesmente.

Se você está se segurando na beira de um penhasco com as duas mãos, para não cair, você não o solta porque sua técnica de escalada é ineficiente ou dolorosa.

A partir daqui, começamos a discutir outras maneiras mais construtivas de atender às próprias necessidades. Eventualmente, eles identificarão novos métodos.

Formando novos hábitos

A maioria dos mecanismos de enfrentamento narcisistas são vistos como hábitos codificados no cérebro por meio de conexões neuronais.

O objetivo básico agora é duplo:

  1. Inibir os velhos hábitos automáticos e;
  2. Substituir os novos padrões mais desejáveis.

Se isso for feito algumas centenas de vezes, o novo método acabará sendo codificado no cérebro.

O antigo padrão narcisista de conexões neuronais enfraquece pela falta de uso, e agora os novos mecanismos de enfrentamento tornam-se o padrão automático padrão.

Se você quiser saber mais sobre o que acontece no nível neuronal quando você tenta mudar um hábito, sugiro que dê uma olhada no trabalho do biólogo ganhador do Prêmio Nobel Gerald Edelman (1929-2014), especialmente seu livro de 1987: Darwinismo Neural.

Impacto em outras pessoas

Na maioria das vezes, os pacientes com padrões de enfrentamento defensivos narcisistas não consideram seriamente o seu impacto sobre outras pessoas, até que tenham novos padrões de enfrentamento em vigor.

O sucesso em compreender a si mesmos e formar novos hábitos cria um orgulho realista.

Isto dá-lhes menos incentivo para serem grandiosos e mais capacidade para tolerar a ideia de que poderia melhorar a sua vida se levassem em consideração as necessidades dos outros.

Não se trata de ter mais empatia emocional. Ainda estamos olhando tudo através das lentes de como isso os beneficia.

Foco na dor infantil

Nesta fase, os narcisistas estão mais calmos e a sua vida geralmente é mais tranquila. Eles aprenderam que tipo de coisas os desencadeiam e desenvolveram formas mais produtivas de lidar com as situações.

Agora que algumas de suas defesas contra a vergonha são menos necessárias, os traumas dolorosos do passado começam a ocupar o centro da discussão.

Se tudo correr bem, alguma cura aparece e, no processo, eles desenvolvem alguma empatia emocional por si mesmos.

Eles também começam a desenvolver a capacidade de formar uma imagem estável, realista e integrada de si mesmos.

Isso permite que comecem a ver as outras pessoas também de uma forma mais integrada: nem totalmente boa nem totalmente ruim.

Atualizando a voz interior

Antes que possam desenvolver empatia emocional por outras pessoas, a maioria dos narcisistas precisam ter empatia consigo mesmos.

Bem no início da terapia, ou em quase qualquer fase, falo sobre como as crianças internalizam automaticamente a compreensão de como os seus cuidadores as viam, as ideias dos seus cuidadores sobre o certo e o errado, e também as suas ideias sobre o que merece elogios e culpa.

Então, sugiro que examinem como sua voz interior orientadora fala com eles e que prestem atenção ao seguinte:

  • Você gosta do tom da sua voz interior?
  • É doce, amorosa, ou assustadora?
  • É justa?
  • É um guia confiável ao longo da vida?
  • Ela o pune com vergonha ou culpa quando você precisa ser controlado?
  • A punição é excessivamente severa?

Assim que estiverem conscientes do tom, do conteúdo da sua voz interior e compreenderem que a forma como falam consigo mesmos pode ser alterada, exploramos que mudanças gostariam de fazer.

Fazer mudanças exige consciência e disposição para desafiar e inibir a voz interior.

Às vezes, tudo o que é necessário é um firme “Pare com isso!” quando a voz é excessivamente áspera.

Em seguida, ensino os pacientes a praticarem falar consigo mesmos da nova maneira que consideraram preferível.

Tal como acontece com a mudança dos mecanismos de enfrentamento, isso exige vigilância e muitas repetições.

Geralmente não percebemos o quão duro somos conosco mesmo. A aspereza interior é proporcional à aspereza exterior. Culpar e julgar outras pessoas é uma forma de redirecionar para fora a dura crítica interior.

Empatia por outras pessoas

Depois de compreenderem sua própria dor e terem a voz interior sob controle, os narcisistas poderão olhar para outras pessoas.

Se tudo correr bem, alguns deles clientes continuarão a expandir lentamente a sua capacidade de empatia emocional.

Livre-se do narcisismo em sua vida!

Psicólogo Emilson Silva com camisa roxa e rindo

Com mais de 12 anos de experiência, já ajudei milhares de pessoas a superarem algum tipo de abuso narcisista.

Autenticidade

Meu interesse consistente e imparcial pelos narcisistas, e o abandono de suas defesas, melhora nosso relacionamento. É uma experiência emocional reparadora.

Eles sentem confiança de que podem ser autênticos comigo porque vi o “lado ruim” deles e nada de terrível aconteceu com nenhum de nós.

A partir de agora, eles darão pequenos passos à frente e serão mais autênticos com outras pessoas. Se tudo correr bem, a confiança nas antigas defesas do “falso eu” diminui e se tornam mais espontâneos e alegres.


Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *