Como são os relacionamentos com quem tem TDAH?

Um homem com a mão no rosto enquanto uma mulher ao fundo o olha decepcionada

Categoria: TDAH

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Manter relacionamentos gratificantes é um grande desafio para pessoas com TDAH.

Os que se distraem facilmente não parecem ouvir o parceiro, enquanto aqueles com problemas de gerenciamento de tempo se atrasam com frequência, ou até mesmo esquecem completamente os compromissos sociais e os recados.

Os sintomas impulsivos levam a decisões financeiras arriscadas ou a outros comportamentos imprudentes, causando tensão com outras pessoas, principalmente nos relacionamentos românticos.

Como os relacionamentos íntimos são tão cruciais para a felicidade e o bem-estar, é fundamental que as pessoas com TDAH estejam cientes dos efeitos de sua condição sobre os outros, bem como desenvolvam habilidades para construir laços sociais mais fortes.

Por outro lado, é igualmente importante que os parceiros estejam cientes dos desafios relacionados ao TDAH e entendam que, em muitos casos, a pessoa com TDAH está ciente, e luta para administrar seus comportamentos frustrantes.

Como é namorar alguém com TDAH?

O TDAH certamente cria desafios para os casais. Sintomas como distração ou hiperatividade levam a encontros perdidos, quebra de promessas, decisões impulsivas ou arriscadas ou ressentimento sobre a distribuição desigual de tarefas.

Mas, o transtorno não condena os casais ao fracasso. Pelo contrário, muitos que namoram uma pessoa com TDAH relatam que seu parceiro é espontâneo, divertido e criativo.

Leia também:  8 simples estratégias para estudantes com TDAH

Evidências sugerem que pode haver benefícios para a vida sexual do casal.

Casais em que um ou ambos os parceiros são afetados pelo TDAH podem ser bem-sucedidos, principalmente se ambos se educarem sobre o TDAH, discutirem abertamente os desafios e trabalharem juntos para lidar com os sintomas e fortalecer a parceria.

Quais os benefícios de ter um parceiro com TDAH?

A maioria dos conselhos sobre relacionamento com TDAH é centrada nos desafios e problemas causados ​​pelo transtorno, mas é importante lembrar que muitos relacionamentos afetados pelo TDAH são bem-sucedidos e até florescem.

Pessoas casadas ou envolvidas seriamente com alguém com TDAH relatam que seus parceiros são enérgicos, espontâneos, criativos e gentis. Outros observam que seus parceiros são pais engajados e ativos, ou que tem um ótimo senso de humor.

Pessoas com TDAH também tendem a ter impulsos sexuais mais intensos e são mais “ansiosas sexualmente”. Como resultado, esses casais têm uma vida sexual mais variada e excitante do que as de outros casais.

O TDAH prejudica a vida sexual?

O efeito do TDAH sobre o sexo varia amplamente. Alguns com TDAH relatam que o foco durante o sexo é desafiador, enquanto outros relatam se envolver em comportamentos sexuais de risco ou compulsivos.

Evidências sugerem que as pessoas com TDAH são mais propensas a trair seus parceiros, geralmente como resultado de uma decisão impulsiva.

Por outro lado, pessoas com TDAH tendem a relatar maior desejo sexual do que seus pares sem o transtorno, e incorporam mais novidades em sua vida sexual, o que tem o potencial de aumentar a frequência, excitação e satisfação sexual.

Por que seu parceiro é tão esquecido?

Adultos com TDAH, particularmente aqueles com tipo principalmente desatento, podem esquecer de completar tarefas, de atender a pedidos de seus parceiros ou de comparecer a compromissos (até encontros).

Isso é extremamente frustrante para ambos os parceiros, e leva a conflitos ou preocupações de que o parceiro com TDAH não esteja ciente das necessidades do outro.

Leia também:  10 maneiras de como oferecer ajuda para um parceiro com TDAH

Na maioria dos casos, no entanto, a pessoa com TDAH se preocupa profundamente com os sentimentos de seu parceiro, mas luta para lidar com os sintomas de distração e desatenção.

Tratamento, estratégias de enfrentamento e compaixão de ambas as partes ajudam os casais a administrar o esquecimento frequente.

TDAH pode causar divórcio?

Os casais em que um dos parceiros tem TDAH se divorciam em taxas mais altas do que os casais sem o transtorno.

Mas, embora os sintomas do TDAH, principalmente se a condição não for diagnosticada ou tratada, certamente contribuia para dificuldades conjugais, dizer que o TDAH causa divórcio não é totalmente verdade.

O TDAH, especialmente se for bem administrado ou tratado com eficácia, não prejudicará um relacionamento.

Alguns casais até sentem que os aspectos mais positivos do TDAH trazem benefícios concretos para o relacionamento.

Importa qual parceiro tem TDAH?

Em casais heterossexuais, qual parceiro tem TDAH afeta tanto o relacionamento quanto a satisfação sexual.

Nos casais onde somente a mulher tem TDAH, a felicidade e a frequência sexual são maiores. A diferença na satisfação está relacionada a papéis de gênero e expectativas sobre sexo.

As mulheres cujos parceiros têm TDAH têm que assumir responsabilidades domésticas adicionais, piorando um desequilíbrio de gênero já existente.

Os homens cujos parceiros têm TDAH respondem mais positivamente ao aumento do desejo sexual e da espontaneidade do outro.

Por que meu parceiro sem TDAH me incomoda tanto?

Um efeito colateral comum do TDAH em relacionamentos românticos é a irritação. Isso geralmente ocorre quando o parceiro com TDAH se esquece repetidamente de tarefas, compromissos ou outras responsabilidades.

Em uma tentativa de ajudá-los a lembrar (ou por pura frustração), o parceiro não TDAH vai importuná-lo sobre os compromissos perdidos. Embora resmungar possa parecer uma solução eficaz, especialmente no início de um relacionamento, geralmente leva ao ressentimento de ambas as partes.

Como posso parar de importunar meu parceiro com TDAH?

Em vez de reclamar, os parceiros precisam ter uma discussão clara sobre as responsabilidades, bem como desenvolver estratégias para facilitar o parceiro com TDAH a administrar sua parte.

Leia também:  Quais os sinais e sintomas do TDAH em mulheres?

O parceiro não-TDAH também deve se esforçar para não concluir as tarefas sozinho, embora isso possa desencadear mais conflitos.

O TDAH afeta as habilidades sociais?

O TDAH causa desafios sociais em crianças e adultos. Sintomas impulsivos, por exemplo, fazem com que alguém com TDAH interrompa os outros com frequência, ou deixe escapar comentários inapropriados.

Sintomas de desatenção, por outro lado, tornam difícil para alguém com TDAH acompanhar uma conversa, ou chegar a tempo para um passeio com um amigo, fazendo-o parecer rude ou desinteressado na amizade.

Muitas pessoas com TDAH, no entanto, são capazes de formar relacionamentos íntimos com outras pessoas.

Explicar os sintomas aos entes queridos, desenvolver mecanismos de enfrentamento e buscar terapia para melhorar as habilidades sociais ajudam as pessoas com TDAH a compensar os déficits sociais e cultivar conexões significativas.

Publicidade

As crianças com TDAH têm mais dificuldade em fazer amigos?

Crianças com TDAH têm mais dificuldades com habilidades sociais do que seus colegas de classe.

Elas são mais propensas do que seus pares a relatar não ter amizades recíprocas, bem como são mais propensas a relatar a perda de amigos em um determinado período de tempo.

Crianças com TDAH hiperativo se comportam de forma impulsiva ou agressiva, afastando os colegas, enquanto crianças com TDAH desatento são mais retraídas ou incapazes de se concentrar em jogos ou conversas.

As crianças também têm problemas com a hiperreatividade emocional, o que é desanimador para os colegas.

O apoio e a orientação prática dos pais é fundamental para ajudar as crianças a desenvolver habilidades sociais e ganhar confiança.

A terapia e grupos de desenvolvimento de habilidades sociais também ajudam a desenvolver nas crianças as ferramentas de que precisam para prosperar.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *