Qual a relação entre o TDAH e a procrastinação?

Um homem com TDAH procrastinando uma tarefa na frente de um notebook

Categoria: Procrastinação
Categoria: TDAH

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

A procrastinação envolve a tendência de atrasar uma tarefa ou decisão que precisa ser concluída em um prazo específico.

Quando nos deparamos com uma tarefa que simplesmente não queremos fazer, nós a deixamos de lado até nos sentirmos menos sobrecarregados com todas as outras responsabilidades, ou simplesmente esperamos até que tenhamos mais energia.

Os problemas começam, no entanto, se as tarefas forem adiadas repetidamente. Isso acontece com bastante frequência em pessoas com Transtorno do déficit de atenção e hiperatividade (TDAH).

Por que pessoas com TDAH procrastinam, e qual o impacto que isso têm em suas vidas?

A ligação entre o TDAH e a procrastinação

O TDAH é um transtorno do neurodesenvolvimento que ocasiona desatenção, impulsividade e hiperatividade. Embora seja diagnosticado com mais frequência durante a infância, ele também afeta os adultos.

As pessoas procrastinam por uma ampla variedade de razões, incluindo o desejo de se envolver em atividades mais interessantes. Para pessoas com TDAH, a procrastinação é fortemente influenciada pelos sintomas de sua condição.

Embora comum, a procrastinação não é reconhecida como um sintoma diagnóstico oficial do TDAH. Ela está ligada apenas à desatenção, e serve como uma estratégia de compensação para adolescentes e adultos com o transtorno.

Leia também:  Os procrastinadores são apenas preguiçosos?

Quando confrontados com uma tarefa desafiadora, a procrastinação oferece às pessoas com TDAH uma maneira de parar de lidar com um problema difícil demais para suas habilidades.

Essas pessoas lutam para tomar decisões sobre como começar e como monitorar seu progresso, bem como abandonam tarefas momentâneas para se distrair com outra coisa.

Todos esses fatores fazem com que as tarefas continuem sendo adiadas, às vezes até o último minuto ou indefinidamente.

Efeitos da procrastinação no TDAH

Muitos adultos com TDAH lutam contra a procrastinação crônica.

Ela causa problemas:

  • No trabalho: quando as responsabilidades não são concluídas dentro do prazo;
  • Nos relacionamentos: fazendo com que os outros se sintam sem importância.

A procrastinação também pode levar a humores e emoções negativas, bem como baixa auto-estima.

Essa incapacidade de concluir tarefas gera sentimentos de frustração, culpa e vergonha, contribuindo para a tendência de adiar tarefas.

Pessoas com sintomas mais graves de TDAH experimentam mais procrastinação, bem como internalizam sintomas como depressão e ansiedade.

Fatores que contribuem para a procrastinação no TDAH

Pode haver uma série de fatores relacionados ao TDAH que levam à procrastinação crônica, incluindo:

Publicidade
  • Distração;
  • Esquecimento;
  • Desorganização;
  • Problemas de priorização, sequenciamento e gerenciamento de tempo.

Além disso, se há frustrações repetidas com certos tipos de tarefas, é natural que elas sejam evitadas, de modo a manter longe os sentimentos negativos associado.

Alguns dos fatores que estão em jogo na relação entre o TDAH e a procrastinação:

Desinteresse pela tarefa

Para um adulto com TDAH, começar uma tarefa é muito difícil, principalmente se essa tarefa não for intrinsecamente interessante.

Leia também:  10 maneiras de como oferecer ajuda para um parceiro com TDAH

Quando alguém está distraído por estímulos externos, bem como por pensamentos internos, pode ser difícil iniciar uma atividade.

Às vezes, a descoberta de onde ou como começar é o desafio.

Problemas com a organização surgem quando há luta para priorizar, planejar e sequenciar tarefas, bem como permanecer no caminho certo.

Distrações constantes

Depois de finalmente começar, a pessoa com TDAH se desvia facilmente para algo mais interessante, tornando a tarefa original fica ainda mais atrasada.

Depois de conseguir se concentrar na tarefa, a pessoa com TDAH pode descobrir que é difícil manter essa atenção enquanto sua mente divaga.

É difícil ficar alerta, motivado e no caminho certo quando não se está muito interessado ou estimulado pela tarefa em questão.

Quando as tarefas são particularmente entediantes, haverá demora para concluí-las até o último minuto.

Nesse ponto, a pessoa com TDAH sente tanta pressão que não consegue se motivar para começar e concluir a obrigação.

Criar uma situação de urgência

Curiosamente, algumas pessoas com TDAH adiam as coisas até o último minuto de modo a criar uma situação de urgência, mas que ajuda a impulsioná-las para realizar o trabalho com sucesso.

O prazo que se aproxima rapidamente (e o imediatismo das consequências negativas que se seguirão se o prazo não for cumprido) ajuda a se concentrarem e terminarem a tarefa.

O problema é que essa urgência também cria um pouco de estresse e ansiedade.

Inevitavelmente, esses trabalhos não terão tanta qualidade quanto poderiam ter sem a procrastinação.

Sensação de paralisia e opressão

A pessoa com TDAH experimenta uma dolorosa sensação de paralisia quando se depara com uma tarefa ou projeto que deseja começar, mas se sente incapacitada de progredir.

Ela tem uma sensação esmagadora de cobrança.

Por mais que saiba que precisa fazer o trabalho, ela simplesmente não consegue se mexer.

Leia também:  Como são os relacionamentos com quem tem TDAH?

Falta de noção da passagem do tempo

Às vezes, é a noção de tempo que leva a problemas para iniciar as tarefas.

Se a pessoa com TDAH tiver problemas para estimar quanto tempo leva para concluir uma tarefa, ela vai adiá-la, pensando que ainda terá tempo suficiente para concluí-la.

Como o TDAH dificulta a noção da passagem do tempo, ela não percebe quando os prazos estão terminando.

Medo de falhar

Às vezes, há tanta ansiedade associada ao início de uma tarefa que esses sentimentos criam um obstáculo ainda maior.

O medo de não fazer a tarefa corretamente, o medo da imperfeição e o medo do fracasso aumentam a procrastinação.

Dicas para gerenciar a procrastinação no TDAH

Embora haja uma ligação entre TDAH e procrastinação, isso não significa que alguém com o transtorno deva continuar a procrastinar.

Aqui estão algumas dicas importantes:

  • Dividir as tarefas maiores em tarefas menores: isso ajuda a evitar que as tarefas pareçam muito difíceis;
  • Criar uma recompensa: isso ajuda a superar as emoções negativas que causam a procrastinação, porque no final há algo bom;
  • Limitar as distrações ao realizar tarefas: silencie o celular, desligue a televisão e comunique os outros que não quer ser interrompido enquanto trabalhar;
  • Procure ajuda profissional: a terapia ajuda a aprender a aceitar pensamentos ou circunstâncias negativas enquanto, ao mesmo tempo, comprometer-se com comportamentos mais saudáveis.

Palavras finais

TDAH e procrastinação andam de mãos dadas.

Portanto, reconhecer a relação que existe entre os dois é fundamental para entender como interagem.

Também é um bom primeiro passo encontrar maneiras de superar a tendência de procrastinar.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *