Saiba como é o casamento de pessoas com borderline

Uma noiva com cara de felicidade enquanto tem o pulso amarrado ao do noivo

Categoria: Borderline

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Apesar dos diferentes tipos de relacionamentos românticos que são afetados pelo transtorno de personalidade borderline, o casamento é o que causa mais problemas.

Viver com alguém que tem transtorno de personalidade borderline gera confusão e ansiedade. Muitas vezes, também leva à rupturas nas relações pessoais e até mesmo problemas para manter o emprego e, consequentemente, problemas financeiros.

Pior ainda quando um ou ambos os parceiros têm o transtorno.

É possível ter um casamento saudável com um borderline?

Sim, é possível. Alguém viver com borderline não significa que não possa estabelecer relacionamentos estáveis ​​e saudáveis.

Leia também:  As pessoas com personalidade borderline são reféns da vergonha

As pessoas, em geral, não entendem por que alguém quer permanecer em um casamento com alguém diagnosticado borderline. A vida já é complicada e dura demais, e se adicionar a imprevisibilidade do comportamento de seu parceiro, fica ainda pior.

Porém, embora o relacionamento romântico com alguém com borderline seja, em uma palavra, tempestuoso, ele também pode ser excepcionalmente atencioso, compassivo e afetuoso.

Sofrer de transtorno de personalidade borderline não significa ser uma pessoa má.

O casamento sempre será um desafio significativo para quem tem borderline. Mas, esse desafio pode ser gerenciado, geralmente com suporte profissional.

Ter borderline não é um determinante para a falta de amor ou relacionamentos tóxicos.

Gerenciar os gatilhos é a chave para o sucesso

Fazer um esforço para entender o que o borderline está experimentando, e de onde vêm esses sentimentos ajuda a evitar episódios desencadeantes. Os gatilhos podem ser:

Desencadeados pelo relacionamento

Onde o borderline faz com que alguém reaja aos eventos que o fazem se sentir mal. Um exemplo pode ser o cônjuge que planeja uma noite com os amigos e não convida o borderline.

Leia também:  Diferenças e semelhanças entre o Narcisista e o Borderline

Embora provavelmente pareça razoável que ele não seja convidado por padrão, isso causará uma série sentimentos de rejeição, gerando um furacão emocional.

Desencadeado por aspectos cognitivos

Quando a superanálise interna de sentimentos ou palavras causam uma espiral. Embora pareça que o borderline tenha uma imaginação hiperativa ou esteja sendo excessivamente dramático, a crise é uma reação baseada em memórias ou imagens de eventos passados, que é muito real para ele.

Publicidade

O gerenciamento bem-sucedido dos gatilhos requer um trabalho de ambos os cônjuges. A comunicação durante momentos mais calmos é útil para identificar o que causa os sentimentos ou pensamentos geradoras de crises.

Além disso, a combinação de terapia de casal e medicação para o borderline oferecem mais possibilidades de um bom convívio.

Você e seu parceiro podem buscar orientação de um Psicólogo para identificar as possibilidade de mudanças positivas.

Como lidar com o borderline no casamento?

Dicas que ajudam a lidar com um cônjuge borderline incluem:

  • Frequentar terapia de casal juntos;
  • Apoiar e encorajar o desejo do borderline em buscar tratamento;
  • Aprender mais sobre os sintomas e comportamentos do borderline;
  • Oferecer apoio e paciência durante as crises emocionais;
  • Manter a calma durante as discussões;
  • Estabelecer e explicar os limites para prevenir comportamentos tóxicos;
  • Reservar tempo para o autocuidado e as atividades que lhe trazem alegria;
Leia também:  Consequências de ser criado por um pai borderline

Considerações finais

Quando seu cônjuge vive com transtorno de personalidade borderline, o casamento se encontrará em um constante ciclo de altos e baixos.

Lembre-se que seu parceiro não está deliberadamente tentando machucar você ou o casamento. Frequentemente, ele é muito crítico internamente, culpando a si mesmo e não a você.

Embora o casamento possa ser desafiador quando um ou ambos os parceiros têm borderline, vínculos saudáveis ​​ainda são possíveis.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *