Alerta! Instagram não substitui e nem é lugar para terapia

Tela de um celular com a página de login

Categoria: Terapia online

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Instagram não é lugar de terapia, e também não existe o “Psicólogo do Instagram”!

Existem Psicólogos corajosos, generosos e pioneiros que usam a rede social como plataforma para defender a reforma da saúde mental, tornar as informações mais acessíveis e comercializar seus serviços.

O Instagram, usado por 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, é considerado a pior rede social para sua saúde mental. Ele leva a:

Espera-se que os Psicólogos estejam perfeitamente cientes de que as informações que as pessoas consomem nesta plataforma afetam diretamente o funcionamento mental e da saúde geral.

O impacto psicológico da rede social é algo que os Psicólogos de todo o mundo enfrentam em seus consultórios diariamente.

Portanto, pode parecer estranho que em todo o mundo eles estejam abraçando esse tipo de mídia.

O Instagram é uma plataforma viável para Psicólogos?

A maioria dos profissionais de saúde mental é treinado para pensar pequeno e procurar riscos em todos os lugares.

Eles são treinados para procurar sintomas, fatores de risco e sinais de que as coisas não estão bem.

O Instagram está sendo usado para levar informações sobre saúde mental de dentro do consultório e colocá-las em evidência.

Leia também:  Relacionamento abusivo: como a terapia online pode ajudar?

Psicólogos com anos de treinamento estão dispostos a compartilhar seu conhecimento e experiência gratuitamente com pessoas que talvez não consigam acessar essas informações de outra forma.

A melhor parte? A maioria das pessoas que compartilham informações está bem informada e possui ótimas informações.

Precisamos dessas pessoas para continuar compartilhando.

Existem riscos e benefícios

Há vários artigos publicados sobre o surgimento de Psicólogos no Instagram.

A maioria rotulou incorretamente esse novo fenômeno como “terapia do Instagram”, identificando falsamente o que eles estão fazendo nesta plataforma, e enganando pacientes.

As críticas aos Psicólogos que usam o Instagram também são comuns. Alguns são baseados na realidade, outros no medo.

À medida que avançamos para uma nova fronteira da prática clínica que integra o uso de tecnologia e outras mídias, é importante que abordemos isso com curiosidade, compaixão e padrões éticos.

Devemos pesar as críticas recentes e os padrões antigos em relação aos possíveis benefícios, ao mesmo tempo em que consideramos as armadilhas, soluções e novas diretrizes éticas em potencial.

O Instagram pode ajudar as pessoas

As informações apresentadas no Instagram são frequentemente generalizadas e não podem ser personalizadas para um indivíduo.

Não há como saber exatamente como a outra pessoa interpretará a mensagem de um Psicólogo.

O mesmo risco pode ser encontrado em livros de autoajuda e outras formas de mídia.

Então é fundamental informar aos pacientes que o que eles estão lendo são dicas generalizados, e muitas vezes não podem ser aplicados a situações específicas.

Pesquisas e informações sobre saúde mental já estão sendo compartilhadas, muitas vezes por pessoas sem experiência ou licenças.

Os Psicólogos são um grupo demográfico confiável e treinado que pode fornecer informações de qualidade ao público em geral.

O Instagram permite compartilhar informações de uma forma fácil de entender e digerível para o público em geral.

É assim que a mídia está sendo consumida em 2021, e as informações de saúde mental precisam seguir o exemplo.

Leia também:  Os 5 maiores motivos pelos quais os pacientes abandonam a terapia

Muitos Psicólogos, jornalistas e leigos expressam preocupação sobre as situações de emergência tratadas via Instagram.

Essa mídia social não é uma terapia, não pretende ser, e não pode ser usado como um substituto para o tratamento de crises.

É necessário tomar medidas para garantir que essa mensagem seja clara para os seguidores. Também é importante ter uma política em vigor sobre como um Psicólogo lidará com situações potencialmente perigosas.

Desencorajá-los de usar as redes sociais não resolve esta preocupação. Isso apenas fará com que as pessoas desconheçam suas opções em uma crise, e provavelmente entrem em contato com fontes não confiáveis.

O tipo de informação consumida leva a resultados ruins

É difícil dizer que uma plataforma de rede social é inerentemente “ruim”. Muitas vezes, é o tipo de conteúdo consumido que leva aos efeitos nocivos descritos por muitos jovens que usam o aplicativo regularmente.

A maioria deles relatou que o uso excessivo leva a

  • Distúrbios do sono;
  • Imagem corporal ruim;
  • Bullying e;
  • Sentimentos de depressão ou;
  • Ansiedade.

Os Psicólogos tem o poder de tornar as informações sobre saúde mental mais acessíveis. Mais informações levam a uma maior conscientização.

A consciência leva à mudança.

É importante que os Psicólogos se apresentem nos espaços onde vivem os pacientes, e informá-los das suas opções de cura ou tratamento.

Pode-se fazer isso com ética e respeito pela profissão e pelas pessoas com quem interagem.

Publicidade

Diretrizes para quem consome informações de Psicólogos no Instagram

  • Sempre filtre as informações por meio de sua própria visão de mundo. Não há problema em questionar ou investigar o conteúdo. Nem todas as postagens serão aplicáveis ​​à sua vida ou situação atual. Não há problema em pegar o que você precisa e deixar o resto;
  • Siga contas confiáveis. Procure por Psicólogos registrados no Conselho Regional do seu Estado;
  • Lembre-se de que este não é um substituto para a terapia. Ler informações online pode ajudá-lo a entender melhor sua situação ou aprender algo novo intelectualmente, mas não é um substituto para a terapia formal;
  • O Instagram não é uma plataforma confiável para recorrer em uma situação de crise. Entre em contato com o pronto-socorro local se precisar de atenção imediata;
  • Os Psicólogos do Instagram não estão lá para fornecer terapia. Contate um Psicólogo local ou online para agendar uma consulta se desejar um feedback individualizado;
  • Lembre-se de que a confidencialidade não é garantida no Instagram. Se você optar por deixar um comentário ou compartilhar informações pessoais, elas serão públicas.
Leia também:  É normal ficar ansioso ao ir pela primeira vez no Psicólogo?

Diretrizes para Psicólogos que compartilham informações no Instagram

  • Desenvolva políticas claras sobre como você lidará com comentários e mensagens diretas;
  • Crie uma política para atuais e futuros pacientes que descreva a forma de uso da rede social e suas diretrizes, caso eles decidam segui-lo;
  • Crie uma página do Instagram profissional completamente separada, e decida o nível de informação que deseja compartilhar. Pergunte a si mesmo sempre que compartilhar algo: “Estou bem com um paciente ou estranho sabendo disso? Existe valor terapêutico para esta ação?”;
  • Identifique claramente seu CRP e suas qualificações em seu perfil;
  • Diga aos pacientes em potencial como entrar em contato com você para marcar um horário;
  • Crie uma isenção de responsabilidade que informe aos pacientes que suas postagens não são uma terapia nem um substituto para ela;
  • Evite usar esta plataforma para fornecer “terapia personalizada” por meio de comentários ou mensagens diretas.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *