Quais são os sinais de baixa inteligência emocional?

Silhueta de um homem ao pôr-do-sol, com uma coroa na cabeça o pé acorrentado à um peso.

Categoria: Inteligência emocional

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

A baixa inteligência emocional refere-se à incapacidade de perceber com precisão as emoções em si e nos outros, bem como usar essas informações para orientar os próprios pensamentos e ações.

Você conhece alguém que não é capaz de controlar as próprias emoções ou entender os sentimentos dos outros? Ou está sempre julgando os outros, mas têm dificuldade em aceitar críticas?

A pessoa parece estar constantemente fazendo ou dizendo as coisas erradas, na hora errada.

Se isso descreve alguém que você conhece, há grandes chances de que ela sofra de baixa inteligência emocional.

A inteligência emocional é essencial para basicamente todos os aspectos da vida.

Como tal, ter baixa inteligência emocional vai impactar negativamente não apenas os relacionamentos interpessoais, mas também a saúde mental e física.

Leia também:  Como utilizar a inteligência emocional no trabalho?

Quando alguém tem baixa inteligência emocional, ela apresenta muitos sinais identificáveis. A seguir estão alguns sinais clássicos de pessoas com baixa inteligência emocional:

A pessoa sempre tem que estar “certa”

Você provavelmente conhece alguém que sempre entra em discussões com os outros. Amigos, familiares, colegas de trabalho e até estranhos se envolvem em disputas argumentativas com ele.

As pessoas com baixa inteligência emocional argumenta até a morte, enquanto se recusam a ouvir o que os outros têm a dizer.

Mesmo se você fornecer a eles provas de que estão errados, argumentarão que seus fatos estão errados.

Elas precisam vencer a todo custo, e acham impossível simplesmente “concordar em discordar”.

Isso é particularmente verdadeiro se outros a criticarem como um indivíduo que não entende o que os outros estão sentindo.

A pessoa é alheia aos sentimentos dos outros

As pessoas com baixa inteligência emocional são alheias aos sentimentos dos outros. Elas ficam genuinamente surpresas com o fato de seu parceiro estar com raiva ou de seus colegas de trabalho não gostarem delas.

Não apenas isso, mas elas também se irritam quando os outros esperam que saibam como estão se sentindo.

A pessoa é insensível

Na maioria das vezes, pessoas com baixa inteligência emocional não sabem a coisa certa a dizer. Elas também não compreendem o momento apropriado e o momento inapropriado para dizer as coisas.

Por exemplo, dizer algo insensível em um funeral ou fazer uma piada logo após um evento trágico. Se você reagir de maneira negativa, elas dirão que você é excessivamente sensível.

Leia também:  Como a inteligência emocional reflete o controle das emoções?

Como elas têm dificuldade em entender as emoções dos outros, não é surpresa que sejam incapazes de interpretar e responder adequadamente ao tom e à atmosfera emocional.

A pessoa culpa os outros por seus problemas

Pessoas com baixa inteligência emocional têm pouca percepção de como suas emoções levam a problemas, fazendo-as não se sentirem responsáveis por suas ações.

Quando algo dá errado, a primeira reação é encontrar alguém ou outra coisa para culpar.

Podem sugerir que não tiveram outra escolha para o que fizeram, bem como que os outros simplesmente não entendem a situação.

Por exemplo, se lerem suas mensagens de texto, a culpa é sua por deixar o telefone desbloqueado. Se falharem em uma tarefa, não conseguirem um emprego ou queimarem o jantar, de alguma forma, culparão outra pessoa.

A pessoa tem insuficientes habilidades de enfrentamento

A incapacidade de lidar com situações carregadas de emoção, emoções fortes, sejam elas próprias ou dos outros, são um indicador de baixa inteligência emocional.

Esses indivíduos frequentemente se afastam para evitar ter que lidar com as consequências emocionais. Esconder as verdadeiras emoções também é muito comum.

A pessoa tem explosões emocionais

A capacidade de regular as emoções é um dos componentes da inteligência emocional.

Pessoas com baixa inteligência emocional lutam para entender e controlar as próprias emoções. Elas atacam de forma reativa, sem entender o que realmente estão sentindo ou por que estão tão chateadas.

Elas também têm explosões emocionais inesperadas, que parecem exageradas e incontroláveis. As menores coisas desencadeiam um discurso que dura minutos ou até horas.

Leia também:  Os 7 hábitos de uma pessoa emocionalmente inteligente

A pessoa tem problemas de relacionamentos

Pessoas com baixa inteligência emocional geralmente têm poucos amigos íntimos.

Isso ocorre porque essas amizades exigem um mútuo dar e receber, compartilhamento de emoções, compaixão e apoio. Características que os indivíduos com baixa inteligência emocional normalmente não possuem.

Em vez disso, elas costumam ser abrasivas e insensíveis.

A pessoa direciona as conversas para si mesma

Pessoas com baixa inteligência emocional tendem a dominar a conversa. Mesmo que façam perguntas e pareçam ouvir atentamente, sempre encontram uma maneira de trazer a atenção para si.

Normalmente elas têm que provar que, seja o que for que o outro esteja passando, elas sempre passaram por uma situação melhor ou pior.

Não importa o que se diga, elas estiveram lá, fizeram isso. Você esteve em um acidente de carro? Elas também… e o cachorro morreu. Vai escalar o Monte Kilimanjaro? Elas escalaram o Monte Everest há quatro anos.

Palavras finais

A baixa inteligência emocional causa problemas em muitas áreas da vida.

Felizmente, existem coisas que se pode fazer para aumentá-la. Desenvolver as habilidades melhora os relacionamentos pessoais e profissionais.

Publicidade

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *