Como os Psicólogos trabalham com pacientes narcisistas?

Como os Psicólogos trabalham com pacientes narcisistas?

Uma variedade de terapias são capazes de ajudar a mudar os comportamentos do narcisista para melhor, desde que obedeçam um plano central.

Assim como acontece com todos os Transtornos de personalidade, os traços narcisistas existem em um continuum. Ou seja, nem todas as pessoas com narcisismo são iguais e as abordagens de tratamento variam de indivíduo para indivíduo.

A seguir estão algumas etapas que um Psicólogo segue para tratar um paciente com narcisismo:

Entendendo o narcisismo

O Psicólogo precisa ser bem versado sobre o que significa estar em um relacionamento narcisista. Uma coisa é ler sobre o narcisismo, outra é ter um relacionamento próximo com alguém com qualidades narcisistas.

Muitos Psicólogos não têm ideia de como a vida com uma pessoa narcisista pode ser inebriante, excitante e comovente. É fundamental entender que as três principais características do narcisismo são senso de direito, falta de percepção e falta de empatia.

Construindo a aliança terapêutica

O Psicólogo deve exigir duas coisas da aliança terapêutica com uma pessoa com tendências narcisistas: respeito e colaboração.

Embora o respeito e a colaboração com os outros seja um desafio, ou até mesmo impossível, para as pessoas com narcisismo, ele aprenderá a praticar essas habilidades interpessoais em tempo real, in vivo, no relacionamento com o Psicólogo.

Publicidade

Identificando as defesas

As defesas da pessoa narcisista vêm na forma de modos de personalidade ou personas (pense em personalidades múltiplas, mas diferentes). O Psicólogo precisa se esforçar para ajudar a pessoa a identificar alguns dos modos de personalidade protetora que utiliza ao longo da vida.

Leia também:  A codependência e o narcisismo são mais comuns do que se pensa

Aqui estão alguns exemplos comuns:

  • O crítico;
  • O juiz;
  • A personalidade desapegada;
  • O dependente;
  • O mulherengo;
  • O titular;
  • A vítima;
  • O abusador;
  • O manipulador;
  • O viciado em raiva;
  • O superior;
  • O entediado.

Todas as personas listadas são usadas para proteção emocional. Os dois sentimentos que as pessoas com narcisismo evita a todo custo são a carência e a vulnerabilidade.

Identificando os gatilhos subjacentes

Os gatilhos subjacentes são os que causam a necessidade de personas protetoras. Pense neles como botões que são acionados quando alguém causa o que é conhecido como “ferida narcisista”.

Aqui estão alguns gatilhos comuns em pessoas identificadas com o narcisismo:

  • Abandono emocional;
  • Deficiência interior;
  • Falta de controle ou segurança;
  • Privação emocional;
  • Medo do ridículo ou da vergonha.

Por meio de modelos de comportamento e de psicoeducação, o Psicólogo ensinará o narcisista sobre a necessidade de reparar as primeiras feridas de apego que ele experimentou.

É difícil identificar esses gatilhos subjacentes porque o narcisista é alguém que com pouca percepção e que está emocionalmente “dividido” ou “bloqueado” de sentir essas emoções vulneráveis ​​e devastadoras.

Leia também:  Como os narcisistas reagem quando cometem uma falha?

É essencial ajudar a pessoa com narcisismo a gerir estes sentimentos subjacentes de vergonha, ensinando autocompaixão e oferecendo estratégias saudáveis ​​de auto-apaziguamento.

Desenvolvendo um adulto/pai interior saudável

A função da terapia é ajudar o narcisista a aprender a cuidar de sua criança interior ferida. A criança interior está respondendo a um trauma de apego precoce ou a algum outro tipo de falta de sintonia emocional.

Sem entrar numa análise completa das causas do narcisismo, basta dizer que existe um componente disfuncional do desenvolvimento. Desse ponto de vista, quando criança, o narcisista não se regulou adequadamente no relacionamento com o(s) pai(s). Isso fez com desenvolvesse personalidades protetoras “divididas” como defesas.

Ensinar o narcisista a cuidar de sua feria interior, por meio do processo de imaginação, é eficaz e poderoso para iniciar uma mudança saudável.

Desenvolvendo um plano de tratamento

Não só é essencial curar o mundo interior do narcisista, como também identificar todos os “comportamentos finais” e iniciar um “plano de tratamento”. Em essência, tratar os sintomas narcisistas como parte de uma espécie de dependência que precisa ser colocado em remissão.

Aqui está uma lista de alguns itens possíveis para entrar na lista de abstinência do narcisista:

  • Senso de direito;
  • Culpa;
  • Abuso de substâncias;
  • Gritos;
  • Tratamentos silenciosos;
  • Términos dramáticos;
  • Comportamentos passivo-agressivos;
  • Manipulação;
  • Defensividade.
Leia também:  O que os narcisistas fazem quando ninguém está olhando?

Perguntas frequentes

Qual terapia é melhor para o narcisismo?

Não existe uma modalidade de terapia considerada melhor para o tratamento do narcisismo. O que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. Somente um profissional de saúde mental qualificado poderá encontrar a abordagem certa.

O narcisismo pode ser tratado ou curado?

Com o plano de tratamento certo, o narcisista pode aprender a reconhecer seus gatilhos, mecanismos de enfrentamento ou mudanças comportamentais que causam um impacto positivo e duradouro em sua vida.

Como saber se alguém é narcisista?

Existem certas características comumente associadas ao narcisismo, como falta de empatia, ego grande, baixa autoestima subjacente ou necessidade de atenção.

No entanto, as pessoas podem apresentar essas características e não serem narcisistas. Somente um profissional de saúde mental pode dar um diagnóstico preciso.

Palavras finais

O narcisismo é uma condição de saúde mental caracterizada por ideias grandiosas, falta de empatia e necessidade de admiração. Apesar do uso frequente da palavra “narcisismo”, o distúrbio real é incomum.

O comportamento narcisista afeta os relacionamentos e a qualidade de vida. Mas, uma variedade de terapias podem ajudar a mudar os comportamentos para melhor. Geralmente, são tratamentos de longo prazo que dependem da vontade de continuar.

Marcar consulta online

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima