Narcisistas buscam um troféu no relacionamento romântico

Estante com vários degraus, onde cada um deles possui uma fileira de troféus do oscar

Categoria: Narcisismo

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Há muitos anos atrás, o scrapbooking estava na moda. As pessoas cuidavam de suas fotos, redigiam legendas espirituosas ou cheias de emoção. Em seguida, organizavam essas fotos, colocavam recortes e decorações na página de um diário, ou em um álbum de fotos, de forma a marcar a importância ou o significado da pessoa ou evento capturado.

Antes que “scrapbooking” se tornasse um passatempo interessante que envolvia tempo, dinheiro e esforço criativo, as pessoas colecionavam caixas de fósforos, guardanapos de boates, canhotos de ingressos ou flores que secavam até esfarelar, mas que representavam lembranças de um evento ou alguém especial.

Esse desejo de manter “lembranças” de eventos importantes da vida é definitivamente uma característica humana comum. No entanto, as razões por trás da coleta de souvenirs podem ser muito diferentes na comparação entre os narcisistas com aqueles que não o são.

Existem duas categorias principais de narcisistas:

  • Narcisistas grandiosos: se alimentam de elogios e têm níveis notavelmente altos de autoestima, autoconfiança e autopromoção. Eles basicamente acreditam em todos os elogios arrogantes que encorajam os outros a oferecerem a eles. Eles não podem ver seus defeitos e, mesmo que o façam, têm habilidades de autopreservação suficiente para nunca reconhecer uma fraqueza;
  • Narcisistas vulneráveis: ​​carecem do senso de autoconfiança que os narcisistas grandiosos carregam. Na verdade, a autoestima de um narcisista vulnerável já é bastante abalada e, embora eles criem grandes expectativas do que podem realizar ou tenham expectativas exageradas sobre os direitos e o que os outros devem a eles, eles têm dificuldade em gerenciar suas reações e respostas quando a realidade desaba sobre suas falsas crenças.
Leia também:  Quem tira muita selfie também é um narcisista?

Os narcisistas anseiam por parceiros que confirmem sua glória imaginada, e também que acreditem em todas as fantasias que criam sobre si mesmos.

Publicidade

Relacionamentos terminam, mas como o narcisista lida com o fim dele é que é um pouco diferente se comparado com a pessoa média.

Lembranças de relacionamentos fracassados

O que você faz com as fotos, presentes e lembranças de seus relacionamentos românticos que terminaram?

  • Você rasga as fotos do seu ex?
  • Você corta seu ex das fotos com vocês dois?
  • Você junta todas as lembranças, cartas de amor e cartões engraçados que recebeu e queima tudo?
  • Ou você se apega as fotos emolduradas, os presentes que recebeu e os cartões?

Para muitos de nós, as respostas às perguntas anteriores determinam como decidimos lidar com os “detritos” do relacionamento.

  • Se for um final amigável: ficamos com algumas das fotos ou presentes que recebemos, e essas lembranças carregarão significados e memórias positivas;
  • Se um relacionamento terminou abruptamente em uma tempestade de drama ou um coração partido: estaremos dispostos a destruir tudo o que o ex deixou para trás.
Leia também:  Como um narcisista manipula o conceito de linguagem do amor?

Os narcisistas colecionam troféus, não lembranças

  • Memórias e nostalgia: Um dos motivos mais comuns para guardar lembranças de relacionamentos passados ​​é simplesmente usar o objeto como um lembrete dos momentos felizes que alguém teve ​​com o ex. Ver esses itens pode trazer de volta sentimentos positivos sobre as partes da vida que foram compartilhadas com alguém de quem antes importava profundamente. Isso também pode oferecer evidências de que alguém é capaz de valorizar esse aspecto do relacionamento;
  • Parceiros substitutos: se alguém está segurando aquele suéter macio que o ex deixou para trás, e se aninhando nele quando está se sentindo mal, isso reflete o uso da “lembrança” como uma espécie de substituto. O narcisista pode guardar lembranças por esse motivo. À medida que ele objetifica outras pessoas, então ele estará se apegando desesperadamente a lembrança de um relacionamento fracassado. Privá-lo da atenção que ele anseia para manter a sobrevivência de seu ego é uma das feridas mais profundas que um ex pode causar;
  • Exibição de troféus: é aqui que o narcisista realmente brilha em sua habilidade de usar o ex para um contínuo aprimoramento e engrandecimento. Ele se agarrará a objetos dos relacionamentos com parceiros de alto status como um meio de provar sua autoestima, atratividade, poder e proezas sexuais. Quando o relacionamento chegar ao fim, ele exibirá suas lembranças como um grande caçador exibe seus troféus de caça.
Leia também:  Quais as regras para se conviver em um lar narcisista?

O término da relação fere o ego, e não o coração do narcisista

Quando um narcisista experimenta um relacionamento fracassado, seu ego sofre um golpe que pode ser temporariamente debilitante. Então, ao invés de ter o coração partido, ele fica com o ego partido, além de perdido e sozinho.

Guardar qualquer lembrança do relacionamento fracassado é uma forma de “manter a posse do ex”, como em uma espécie de coleção de troféus. É o coração frio e o ego que leva um narcisista a manter e exibir lembranças, e não uma “natureza romântica”.

Uma dica: quando um novo interesse romântico se gaba de seu sucesso em relacionamentos anteriores, ou do status e superioridade de amantes anteriores, então saiba que você apenas mais um que está na mira do narcisista.

Após uma provável e inevitável divórcio, você será apenas mais um troféu a ser exibido orgulhosamente para o próximo alvo que ele tiver em vista.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *