Questão: Sempre fui uma pessoa muito nervosa. Mas às vezes não sei se ainda é apenas nervosismo ou se evoluiu para um ataque de pânico.

Quando meus colegas de trabalho me fazem perguntas simples, começo a ficar nervoso, mesmo que eles ainda não tenham terminado de me perguntar. Também fico muito nervoso se tenho que enfrentar alguns desafios na vida ou certas situações que sei que não serei capaz de superar. Eu fico muito agitado.

Eu começo a suar, principalmente minhas mãos. Meu coração bate mais rápido. Às vezes não consigo pensar direito e perco o foco. E depois de sentir tudo isso, sinto arrepios. Como se eu só quisesse deitar na minha cama, me enrolar no cobertor e dormir o dia todo. Às vezes eu só quero sumir.

Minha mente está vazia ou às vezes fico todo nervoso e corro como um lunático, mesmo que as pessoas me peçam várias vezes para me acalmar, mas eu não consigo. O que devo fazer para superar isso?

Resposta: Imagino que você tenha tentado tudo que pode para controlar sua ansiedade, mas com resultados mistos. Você foi inteligente em pedir ajuda neste momento.

O que você está descrevendo não é um simples nervosismo, pois incluem uma série de sintomas físicos. Isso sugere que as coisas caminharam na direção à uma fobia social. Contudo você não está sozinho, pois muitas pessoas com fobia social relatam sintomas semelhantes aos seus: aumento da frequência cardíaca, náuseas e suor. Muitos também têm ataques de pânico.

A raiz da fobia social é o medo de ser julgado por outras pessoas. Embora você não tenha mencionado isso especificamente, você mencionou que é responder às perguntas dos outros ou enfrentar os desafios da vida que desencadeiam seus episódios. Suponho que você esteja com medo de fazer ou dizer a coisa errada. Você fica tão nervoso que prefere se retirar da situação (passivamente, indo para a cama, ou ativamente, ficando muito agitado para pensar) do que errar.

A boa notícia é que a fobia social pode ser superada. Um médico pode prescrever um medicamento ansiolítico para acalmá-lo um pouco. Mas a medicina apenas alivia os sintomas. Não chega à raiz do problema. Para uma solução mais permanente (e potencialmente sem medicação), você precisa de informações e apoio de um Psicólogo, material de leitura e talvez de um grupo de apoio.

Se você não conseguir consultar um Psicólogo, existem excelentes livros e apostilas disponíveis em livrarias online. Também há apostilas de autoajuda disponíveis, e reservar uma hora por dia para fazer os exercícios recomendados pode ajudar.

Outra opção para você é ingressar em fóruns para obter suporte e aconselhamento. Pessoas de todo o mundo oferecem apoio e idéias úteis umas às outras para gerenciar seus problemas.

Dê os próximos passos e siga estas recomendações. Você merece viver a vida sem essa reação debilitante ao estresse.

Desejo que tudo termine bem !

Compartilhe este artigo !

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *