16 consequências psicológicas de se ter pais autoritários

Garoto com as mãos na cabeça enquanto ao fundo seus pais autoritários falam

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Eu tive um amigo na faculdade que sempre estava deprimido. Embora fosse um cara legal e de fácil convivência, sua excessiva autocrítica era intrigante. Então, quando conheci os seus pais, tudo fez sentido. Algumas horas com eles foram difíceis de suportar, pois eram pais autoritários, insistentemente críticos e condescendentes.

Publicidade

Crescer pais assim tem efeitos duradouros. As 16 consequências de se ter pais autoritários a seguir são baseados em minhas observações como Psicólogo.

  1. Dificuldades em confiar em si mesmo. A crítica constante no início da vida deixa a impressão de que o que se pensa, sente ou se faz é de alguma forma errado. Como resultado, a pessoa é atormentada por dúvidas;
  2. Hesitação em aceitar novos desafios. A falta de confiança torna difícil confiar na própria capacidade de enfrentar novas ocasiões. A pessoa acaba optando por não tentar, em vez de correr o risco de falhar;
  3. É difícil se recuperar dos erros. Errar é humano, mas quando o erro é seu, é como confirmar uma falha. Mesmo um simples erro lembra todas as outras falhas do passado, afinal o senso de autoestima está baixo;
  4. Fixação no perfeccionismo. Os esforços para ser perfeito não são motivados pelo orgulho do trabalho, mas pelo medo de errar e revelar uma inadequação;
  5. Morosidade para concluir uma tarefa. Elaborar um e-mail, escolher um cartão de aniversário, escrever em um papel ou qualquer outra coisa leva muito tempo, devido à excessiva preocupação em não cometer um erro;
  6. Pedidos de desculpa constantes. Como pais autoritários são rápidos em fazer o filho sentir que está errado, então será fácil para ele presumir que os outros o verão da mesma forma;
  7. A pessoa costuma ficar na defensiva. É claro que o filho se sente na defensiva, pois aprendeu a estar altamente sintonizado com possíveis ataques e se proteger deles. Essas reações defensivas levam os amigos ou parceiro a ficarem chateados por ele “sempre levar as coisas da maneira errada”;
  8. Dificuldades em acreditar nas outras pessoas. Mesmo quando amigos e familiares expressam o amor pela pessoa, no fundo ela suspeita que estão fartos. Essa tendência é especialmente forte se os pais autoritários emitiram mensagens confusas, com gentileza em um momento e palavras duras no outro;
  9. Levar elogios muito a sério. Quando alguém diz algo bom, o filho de pais autoritários encontra uma maneira de desviar, geralmente com uma autocrítica. Se alguém disser que gostou da sua camisa nova, por exemplo, ele diz que a cor não é legal. De uma forma ou de outra, ele sempre neutraliza qualquer positividade;
  10. Sentimento excessivos de ansiedade social. Como resultado de não confiar na consideração positiva dos outros, ele frequentemente teme um julgamento ou crítica. Há uma preocupação em passar vergonha no trabalho, fazer algo humilhante em público ou parecer estranho em conversas;
  11. Existência de um crítico interno severo. A voz dos pais autoritários é internalizada, e agora a crítica deles vem de dentro. Se ouvir com atenção, o filho ouvirá ecos da voz dos pais em sua própria conversa interna;
  12. Propensão à depressão. Toda essa conversa interna negativa e a sensação de inadequação cobram seu preço e, como consequência, o humor sofre. Infelizmente, pode haver crítica mesmo estando deprimido, levando a uma espiral descendente de mau humor e auto-aversão;
  13. Tendência a ser crítico com os outros. Por mais que não goste de ser criticado, é difícil para o filho de pais autoritários não fazer isso com os outros. Para ele, é fácil e automático ver falhas nas outras pessoas, e a própria autocrítica se reflete nas suas atitudes em relação aos outros;
  14. O relacionamento com seus irmãos é tenso. É lamentável que o mau tratamento dos pais seja retransmitido para os relacionamentos entre irmãos. Embora haja períodos de proximidade e conexão, faltará um senso fundamental de confiança;
  15. Pensamento demasiado sobre as coisas. Dúvida e desconfiança levam a gastar muito tempo pensando, analisando, revisando, questionando. O filho da pais autoritários passa tanto tempo introspectivo que até se sente isolado do próprio corpo;
  16. Necessidade de provar a si mesmo. Em um nível básico, não há sentimentos de ser “o suficiente”: não é inteligente o suficiente, bonito o suficiente, bem-sucedido o suficiente, rico o suficiente. Há uma compensação por meio de muito trabalho.
Leia também:  O que fazer quando alguém disser que não te ama mais?

Nem todo mundo que foi criado por pais autoritários desenvolverá essas consequências, e ter algumas também não significa necessariamente que se teve um pai crítico. Mesmo que você se reconheça em muitas dessas descrições, reserve um momento para avaliar sua história, e como ela contribuiu para as lutas contínuas.

Tenha coragem: essas consequências não são imutáveis. Você pode não revertê-las completamente, mas com consciência e prática consistentes, aprenderá novas maneiras de ser.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *