O que há em comum entre todas as pessoas que traem?

Um casal sentado em um banco enquanto o homem segura a mão de uma segunda mulher

Categoria: Infidelidade

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Se há uma coisa que os infiéis têm em comum é o fraco controle de impulsos. Eles são tentados por oportunidades e carecem da maturidade emocional necessária para resistir a essa tentação.

Embora a mente diga à eles que a infidelidade é errada, a falta de autocontrole torna impossível para lutarem contra o desejo.

Enquanto todos nós cometemos erros, e às vezes machucamos aqueles que amamos, os infiéis sabem que suas ações causarão dor, mas o fazem mesmo assim.

Infelizmente, os infiéis compulsivos sempre cederam aos seus impulsos e falharam em desenvolver os valores morais e a empatia necessárias para resistir à tentação.

Como resultado, sentem que seu comportamento é completamente justificado simplesmente porque suas emoções lhes dizem que é a coisa certa a fazer.

Mas, além da da impulsividade, os infiéis também:

  • Protegem cuidadosamente sua vida privada: eles mantém segredos sobre onde e com quem estiveram conversando;
  • Seus telefones geralmente são bloqueados: a intenção é manter os olhares indiscretos afastados;
  • Têm grande habilidade de mentir: quando as pessoas são infiéis, elas também precisam mentir, inventando histórias para explicar seu comportamento e fracasso;
  • Racionalizam o próprio comportamento: mesmo quando pegos, eles se recusam a admitir qualquer irregularidade. Em vez disso, justificarão a traição colocando a culpa na porta do parceiro.
  • Não se sentem amados: suas inseguranças e baixa autoestima os levam a concluir que não são dignos de amor. Trair é uma forma de obter a segurança e a atenção que eles desejam sem se tornarem vulneráveis.
Leia também:  Flertar pode ser considerado uma forma de traição?

Os traços de personalidade de um infiel

Além de exibir certos comportamentos e hábitos, os infiéis compartilham alguns traços de personalidade específicos.

Isso não quer dizer que toda pessoa com baixa autoestima traia, mas aqueles que se consideram indignos são mais propensos a buscar conforto fora de seu relacionamento.

Existem vários traços de personalidade que os infiéis têm em comum:

  • Tendências narcisistas: os infiéis crônicos têm muito em comum com os narcisistas. Ambos têm um “senso inflado de auto-importância ” e carecem de empatia pelos sentimentos dos outros;
  • Baixa autoestima: eles são emocionalmente dependentes de seus parceiros e têm medo de perdê-los. O medo é tanto de ficar sozinhos que se protegem tendo vários parceiros;
  • Eles sempre querem mais: então embarcam em um caso extraconjugal em busca de mais emoção, mais atenção e mais reconhecimento. A necessidade de ser visto e apreciado está acima de tudo;
  • Sente ciúmes: Alguém que trai geralmente projeta esse comportamento no parceiro. Por exemplo, em vez de admitir que chegou tarde em casa porque está saindo com outra pessoa, eles vão acusá-lo da mesma coisa.
  • Flertes ocasionais: embora o flerte não leve necessariamente à traição, ele atinge objetivos semelhantes. Ele dá ao infiel a atenção que precisa.
  • Visão distorcida da realidade: Na visão deles, a infidelidade é perfeitamente aceitável. Em sua mente, o caso ocorreu por causa das deficiências do parceiro e não por culpa própria;
Leia também:  Os 5 sinais de que você namora um narcisista infiel

Conclusão

A única coisa que todos os infiéis têm em comum é a falta de controle dos impulsos.

Infelizmente, eles também tendem a ser oportunistas e com um senso inflado de sua própria importância.

Publicidade

Os infiéis em série não apenas adotam hábitos comportamentais semelhantes, mas também compartilham vários traços de personalidade.

Por exemplo, eles geralmente têm baixa autoestima, uma sensação de que não merecem ser amados e uma incapacidade de expressar suas emoções com clareza.

Em vez de tentar estabelecer um relacionamento profundo e significativo, eles se escondem atrás de uma série de casos extraconjugais sem sentido, esperando que preencham os buracos em sua vida emocional.

Leia também:  Como fazer um narcisista admitir que traiu?

Então, para se salvar, buscam validação em outro lugar, culpando seus parceiros por sua própria infelicidade, enquanto usam isso para justificar a traição.

Os infiéis acham difícil estabelecer um relacionamento estável e amoroso.

Então, por carecerem de autoestima, sentem-se indignos de amor e têm pavor de ficarem sozinhos.

Para se protegerem dessa eventualidade, correm o risco de perder o que mais desejam: alguém que os ama.

Estar em um relacionamento com um infiel é exaustivo. Sua necessidade constante de atenção e afirmação é desgastante, levando a desconexão emocional.

A única maneira de salvar um relacionamento com um infiel é por meio da comunicação franca e honesta, que geralmente é exatamente o que eles estão evitando.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *