Consumir conteúdo adulto frequentemente pode ser um vício?

Mulher de óculos e cabelos cursos olhando a tela de um notebook durante a noite

Categoria: Insegurança

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

O vício em conteúdo adulto é, em teoria, quando alguém não consegue parar de assisti-la, mesmo que queira. A obsessão chega ao ponto de interferir no trabalho, nos relacionamentos e em outras partes da vida cotidiana.

A Organização Mundial da Saúde classifica o comportamento sexual compulsivo como um distúrbio de saúde mental desde 2018. Ela não cita o termo “vício em conteúdo adulto” (ou qualquer outro), mas refere-se a atividades sexuais repetitivas que se tornam o foco central na vida de uma pessoa, levando à negligência da saúde, dos cuidados pessoais ou outros interesses, atividades e responsabilidades.

A mesma atividade cerebral que acontece na dependência em drogas ou álcool, quando os circuitos associados a recompensa, motivação e memória são ativados, acontece em quem consome muita pornografia.

Sinais do vício em conteúdo adulto

Seja um vício ou não, aqueles que consomem conteúdo adulto regularmente têm desejos intensos de sexo, e atribuem comportamento a insatisfação com os relacionamentos. As definições sobre quanto conteúdo adulto variam. Porém, a maioria dos Psicólogos concorda que, se isso atrapalhar as atividades diárias, então pode ser em excesso. Por exemplo, se:

  • O conteúdo adulto se tornar uma parte central da vida, fazendo com que a pessoa a substitua por coisas que gosta;
  • Levar a negligência dos cuidados pessoais;
  • Provocar a perde do interesse por outras atividades;
  • Houver menos interesse por encontros sociais;
  • Prejudicar os relacionamentos;
  • A pessoa abre mão de outras responsabilidades;
  • Afetar o trabalho ou a escola;
  • Assistir em lugares que não são apropriados, como trabalho ou escola.
  • A vida sexual ficar insatisfatória;
  • Houver desejo por cada vez mais;
  • Não conseguir parar de ver ou assistir conteúdo adulto, mesmo quando há tentativas;
  • A Pessoa tem visto ou assistido muito conteúdo adulto, por 6 meses ou mais;
Leia também:  As maiores razões que tornam uma namorada carente

Causas e fatores de risco para o vício em conteúdo adulto

O vício em conteúdo adulto não tem um conjunto claro de possíveis causas. Porém, há algumas pistas que levam ao comportamento sexual compulsivo. Coisas que levam ao vício em conteúdo adulto envolvem:

  • Desequilíbrio químico cerebral. Substâncias como serotonina e norepinefrina controlam o humor. Níveis altos estão ligados a comportamento sexual compulsivo, incluindo o consumo desenfreado de conteúdo adulto;
  • Mudanças nas vias cerebrais. Quando alguém se vicia, há mudanças na maneira como os circuitos do seu cérebro funcionam. Uma condição de vício significa ver conteúdo adulto com cada vez mais frequência, de modo a obter o mesmo nível de satisfação;
  • Doença cerebral. Condições como epilepsia, demência e tratamento para Parkinson danificam a parte do cérebro que controla o comportamento sexual.
Leia também:  3 sinais de quando alguém tem medo da intimidade

Coisas que tornam o vício em conteúdo adulto mais provável incluem:

  • Facilidade de acesso. Graças à internet, o acesso ao conteúdo adulto está a um clique de distância;
  • Privacidade. Consumir conteúdo adulto em particular é mais fácil do que nunca. Comportamentos compulsivos prosperam em segredo.

O vício em conteúdo adulto também pode ser mais provável se a pessoa tiver:

  • Problemas com o abuso de drogas ou álcool, ou casos na família;
  • Outros problemas de saúde mental, como transtorno de humor, depressão ou vício em jogos de azar;
  • Conflito familiar;
  • Histórico de abuso físico ou sexual.

Complicações do vício em conteúdo adulto

Não obter ajuda levará a problemas como:

Publicidade
  • Culpa, vergonha e baixa autoestima;
  • Problemas de saúde mental, como depressão, ansiedade e pensamentos suicidas;
  • Negligenciar o parceiro;
  • Relacionamentos prejudiciais;
  • Perder o foco no trabalho;
  • Perda de emprego por assistir conteúdo adulto na Internet do trabalho;
  • Problemas com abuso de substâncias.

Tratamento para o vício em conteúdo adulto

Como o consumo compulsivo de conteúdo adulto não é um distúrbio oficial, as opções de tratamento ainda não estão totalmente estabelecidas. Contudo, falar com um profissional de saúde mental é uma das maneiras mais eficazes de controlar os comportamentos negativos.

Leia também:  A insegurança em homens com borderline

Além disso, o uso de técnicas terapêuticas ajudam a lidar com os meandros dessa condição. A orientação profissional ajuda a superar os sentimentos de culpa e compulsão. Também ajudam a administrar os desafios emocionais e de intimidade causados ​​pelo hábito. Embora possa haver alguma vergonha ao não conseguir reduzir o consumo de conteúdo adulto, é importante ser capaz de falar abertamente sobre o assunto.

Consumir conteúdo adulto em excesso é facilmente ignorado como uma forma inofensiva de saciar os impulsos. No entanto, quando esses impulsos se apoderam do livre-arbítrio, exigindo que sejam satisfeitos independentemente do conforto, então há prejuízo ao bem-estar.

Pelo lado positivo, apesar da aparência dominadora, o vício em conteúdo adulto pode ser controlado com determinação e com a ajuda certa de profissionais confiáveis. Se você acredita que alguém que conhece está exibe alguns dos sinais de vício em pornografia, busque um Psicólogo ainda hoje.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *