Como transformar as emoções negativas em autodescoberta?

Várias pessoas sentadas um ao lado da outra e com vários emoticons no lugar de suas cabeças

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Nossas emoções estão constantemente explodindo, com dados inestimáveis ​​que simplesmente não podemos obter por meio do tato, paladar, olfato, visão ou audição. Porém, somos ensinados que elas são, na maioria das vezes, um problema:

  • “Não fique com raiva.”;
  • “Pare de se lamentar.”;
  • “Você não pode se sentir mal.”;
  • “Não fique triste.”;
  • “Pare de ser tão emotivo!”.

Nós fomos enganados com a mentira de que é uma virtude e uma arte não se importar. Mas, e se nossas chamadas “emoções negativas” não forem um problema?

As emoções negativas são valiosas

Emoções são as sensações mais puras e viscerais que nos acontecem. Assim como as cores, elas não precisam de explicação, simplesmente são. Pense em um emoji: Feliz. Triste. Nojo. Confusão. Alegria. Ódio.

Já os sentimentos são emoções adicionados de uma história, e a história que contamos a nós mesmos muitas vezes não é verdadeira ou útil. As emoções também são separadas dos comportamentos. É possível experimentar uma raiva intensa, verdadeira e pura sem se tornar violento ou ter um acesso de raiva.

Leia também:  O Psicólogo pode abraçar um paciente?

Um flash de microexpressão no rosto do parceiro envia à você uma grande quantidade de “dados emocionais”. De repente há uma combinação de medo, curiosidade, aborrecimento, desconfiança, antecipação, compaixão, tristeza e um pouco de esperança. Esses dados puros, muito parecidos com os fornecidos pelos nossos outros sentidos, são instantaneamente filtrados e processados pelo:

  • ​​Corpo;
  • Memórias emocionais de nosso passado;
  • Passado de nosso parceiro;
  • Nosso status de relacionamento atual e;
  • Senso de apego.

Podemos sentir um aperto no peito, calafrios na espinha, frio na barriga ou uma sensação repentina de náusea.

Publicidade

Neste exemplo, notamos uma enxurrada de emoções desagradáveis ​​que naturalmente queremos evitar. Em vez de nos dizermos instantaneamente para “manter-nos positivos” ou “focar no bem”, devemos parar por um momento e simplesmente reconhecer a verdade de nossas emoções com curiosidade. Seremos, então, capazes de ver mais claramente antes de realizar qualquer ação ou tomar uma decisão.

As emoções fornecem os dados que precisamos

Antes de interpretarmos e analisarmos nossos dados emocionais, eles são pura informação. Assim como os visuais, embora as cores do arco-íris em si sejam verdadeiras, esses dados podem ser confusos, distorcidos, processados ​​incorretamente ou enganosos. Portanto, torna-se essencial confiar em nossos sentidos, assim que começamos a perceber o que eles são.

Nunca deixa de me surpreender como é difícil nomearmos nossas emoções. Quando pergunto a um paciente quais são suas emoções em meio a uma situação dolorosa, ele se desvia e fala por muitos minutos sem nomeá-la. Gosto de começar por aí, encorajando-os a identificar suas principais emoções sem nenhuma explicação. Simplesmente dar nome ao que estamos sentindo é extremamente poderoso.

Leia também:  3 dicas para abandonar suas tendências passivo-agressivas

Treinar meus pacientes para nomear suas emoções e avaliar a intensidade de cada uma sem tentar explicar, consertar ou evitar é incrivelmente validador. Eles começam a aprender como construir confiança com sua intuição.

E as emoções “negativas”?

Estar mais sintonizado com nossas emoções felizes é ótimo, mas como podemos nos livrar das dolorosas, assustadoras ou desagradáveis? Não tenho certeza se você deveria querer. Deixe-me explicar o porquê.

A maioria das terapias e livros de autoajuda tem como objetivo ajudar as pessoas a “lidar com” suas emoções “ruins”. A suposição inquestionável parece ser que as emoções “nojentas” são uma parte infeliz da vida que temos de tolerar de alguma forma.

Ao mergulhar na aceitação emocional radical, fiquei fascinado com a ideia de que quaisquer emoções, como as cores, não são intrinsecamente “ruins”. Em vez disso, de certa forma, todas elas são realmente boas. Fornecem informações inestimáveis ​​que nos dizem algo. Evito o uso a palavra “negativo” para descreve-las.

O que há de bom em uma emoção dolorosa?

Reconhecidamente, algumas emoções são bastante dolorosas, desagradáveis ​​e até cáusticas. Mas se começarmos a ter uma visão de que elas são nossas amigas, então, assim como seu melhor amigo é o único disposto a te criticar, as emoções negativas vão nos acordar.

Após uma separação devastadora, essa emoção está nos revelando algumas verdades profundas: esse relacionamento foi muito importante para nós. A perda de um relacionamento é como uma morte. Passamos por um processo de luto sério.

E o mais importante, para cada emoção desagradável, por outro lado, existe um desejo. Desejamos intimidade, confiança, companheirismo e amor. A intensidade do desespero se transforma diretamente em nossa motivação para buscar as necessidades e desejos emocionais que atualmente nos faltam.

Leia também:  Você deve bloquear alguém que te bloqueou nas redes sociais?

Portanto, sintonizar nossas “emoções negativas” é essencial para nos guiar no caminho certo, para satisfazer nossas necessidades e desejos emocionais. Envolve tomar algumas decisões difíceis ou mudanças no relacionamento, ou até mesmo deixar o relacionamento completamente.

A aceitação emocional radical

A aceitação emocional radical diz respeito a todas as emoções, seja uma explosão ou um revirar de olhos. Se você ficar um pouco irritado quando seu colega de trabalho fala muito alto em sua mesa, pode optar por dizer: “simplesmente não dou a mínima para coisas pequenas”, ou pode reservar um momento e nomear as emoções de aborrecimento, frustração e medo de não conseguir terminar seu trabalho, abraçando-as alegremente como um mensageiro que sabe algo sobre você.

A maioria dos meus pacientes não precisa de muita ajuda sobre o que fazer depois de torna-se consciente e validar o que sua intuição diz.

Depois de alguns momentos fazendo seu inventário emocional, nomeando as emoções agradáveis ​​e especialmente as desagradáveis ​​e sentindo a intensidade de cada uma, comece a se ver com clareza. Adicione um pouco de curiosidade a esses dados emocionais, e assim estará em condições de tomar as melhores decisões com base na sabedoria de suas emoções.

Em um mundo de farsantes, é uma maneira radical e surpreendente de viver.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *