Razões pela qual um Psicólogo não quer atender um novo paciente

Marca da palma de uma mão em tinta branca

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

É possível ter como certo que um Psicólogo escolhe quem ele quer atender e sob quais condições. Existe uma variedade de razões pela qual um Psicólogo não quer atender um novo paciente.

Por exemplo, a maioria dos Psicólogos evita o chamado “relacionamento duplo”. Um “relacionamento duplo” é aquele em que ele não é apenas um Psicólogo, mas também pode ser um amigo, amante, parceiro de negócios ou ter algum outro papel na vida do paciente.

Publicidade

Então, o Psicólogo não atenderá pessoas no qual tem um relacionamento duplo, e isso também funciona ao contrário. O Psicólogo nunca deve se oferecer para se tornar um amigo, amante, parceiro de negócios, etc.

Embora isso possa parecer rejeição, não se deve levar para o lado pessoal. Os Psicólogos geralmente evitam ver certas pessoas para garantir que o paciente seja tratado com o devido respeito e dignidade. Aqui estão outras razões pela qual um Psicólogo não quer atender um novo paciente.

Leia também:  Como lidar com o tédio nos momentos de ociosidade?

O Psicólogo tem um relacionamento não terapêutico com o paciente

Como mencionado na introdução, um bom Psicólogo sempre evitará relacionamentos duplos, especialmente quando há vínculo pré-existente em um nível não profissional.

Embora isso possa parecer não fazer sentido, é preciso imaginar o pior cenário. O que aconteceria se seu melhor amigo, que agora é seu Psicólogo, lhe dissesse algo que você não quer ouvir ou discorde veementemente? A quem você vai recorrer?

Relacionamentos duplos raramente terminam bem, então é por isso que os Psicólogos são ensinados a evitá-los.

Este também é um bom momento para lembrar que os Psicólogos evitam entrar em qualquer tipo de relacionamento com alguém que já foi seu paciente. Como eles compartilham um vínculo terapêutico único com essa pessoa, eles tem o potencial de prejudicar o paciente se um novo tipo de relacionamento for transposto em cima dele mais tarde.

O Psicólogo já atende uma pessoa próxima do paciente

A menos que o Psicólogo esteja especificamente fazendo aconselhamento familiar, infantil ou de casais, a maioria deles evita ver pessoas que se conhecem de maneira próxima ou íntima.

Isso pode causar muitos problemas, tanto para o Psicólogo quanto para o paciente, pois ele guardará segredos sobre as duas partes, e inadvertidamente acabar divulgando.

Leia também:  Por que Psicólogos falham em ajudar pessoas?

É especialmente difícil se você foi primeiro a se consulta com o Psicólogo e depois o recomendou a um amigo próximo ou membro da família. Ele termina a terapia com você e começa com um novo paciente, que é seu amigo ou membro da família.

O Psicólogo não quer atender um novo paciente enquanto estiver vendo essa outra pessoa. Pode não parecer justo, mas eles fazem isso para manter os limites bem definidos e evitar conflitos de interesse.

O paciente tem um traço de personalidade ou componente de sua história com o qual o Psicólogo opta por não trabalhar

Os Psicólogos também são humanos e, embora sejam cuidadosamente treinados para reconhecer suas próprias fraquezas e “problemas” enquanto conduzem a terapia, há momentos em que simplesmente não vai funcionar.

Bons Psicólogos reconhecem que não podem trabalhar com certos pacientes e os encaminham a um colega para continuar o tratamento.

O Psicólogo provavelmente não compartilhará o problema específico que o impede de trabalhar com um tipo de paciente. Conheço Psicólogos, por exemplo, que se recusam a atender qualquer pessoa com transtorno de personalidade, por causa das complicações que isso pode trazer ao tratamento.

O Psicólogo já trabalhou com um paciente no passado e sente que fez tudo o que podia

Às vezes, os Psicólogos sentem que já fizeram tudo o que podiam por uma pessoa após o término da terapia, e não veem sentido em atendê-la novamente.

Isso pode parecer que eles não estão sendo justos, ou que devem assumir pacientes antigos. Porém os Psicólogos, às vezes, precisam tomar uma decisão sobre quem atender, e se a pessoa se beneficiará de terapia adicional.

Leia também:  Como o medo do abandono aparece nos relacionamentos?

Embora a maioria dos Psicólogos aceite de bom grado ver um ex-paciente, nem todos o farão. Pode ser devido a uma decisão consciente de sua parte, ou simplesmente porque sua agenda está lotada e ele não têm espaço para “novos” pacientes (mesmo que você não seja realmente novo).

O Psicólogo não quer mais trabalhar com pessoas que ameacem a sua segurança

As ameaças podem ser diretas ou indiretas. Os pacientes podem dizer ou fazer coisas que intimidem os outros sem nunca estarem cientes disso.

Muitos Psicólogos trabalham com pacientes ao longo do tempo no desenvolvimento da confiança necessária para fornecer feedback sobre o impacto que eles podem ter em outras pessoas. Esta é uma parte essencial e extremamente útil do tratamento.

No entanto, se um paciente fez algo em uma consulta inicial que deixou o Psicólogo inseguro, ele pode achar que é melhor encaminhá-lo para outro profissional sem fornecer esse feedback específico.

Se um Psicólogo considerar que não é a combinação certa, ele deve informar isso o mais rápido possível para que o paciente possa obter o melhor atendimento e encontrar outro profissional.

Bons Psicólogos oferecerão referências se acharem que ele e o paciente não devam trabalhar juntos.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *