Por que os Psicólogos não dão conselhos diretos?

Três macacos de pedra sentados em um banco de madeira

Categoria: Terapia online

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Em um período de soluções rápidas e gratificação instantânea, os pacientes normalmente iniciam a terapia querendo conselhos diretos, de modo que seu problema seja resolvido de uma maneira eficiente e rápida.

Publicidade

Afinal, é isso que os Psicólogos fazem, certo?! Porém, essa mentalidade é parte do problema que os leva à terapia. Quando os pacientes percebem que muitos Psicólogos não dão conselhos diretos (e eu afirmo que não deveriam), eles se sentem desapontados.

Leia também:  É melhor optar por um Psicólogo homem ou mulher?

A relação entre um psicólogo e seu paciente é baseada em confiança, confidencialidade e respeito mútuo. No entanto, é importante entender que o papel do psicólogo não é o de dar conselhos diretos ao paciente.

Neste artigo, discutiremos 10 motivos pelos quais um psicólogo não deve dar conselhos para seu paciente.

Autonomia do paciente

Um dos princípios fundamentais da psicologia é a promoção da autonomia do paciente. Ao dar conselhos, o psicólogo interfere na sua capacidade de tomar suas próprias decisões, prejudicando seu processo de crescimento e desenvolvimento pessoal.

Responsabilidade do paciente

O paciente é o único responsável por suas escolhas e ações. Ao dar conselhos, o psicólogo inadvertidamente assume a responsabilidade pelas decisões do paciente, o que vai contra a ética profissional e cria uma dependência prejudicial.

Individualidade do paciente

Cada pessoa é única, com experiências, valores e perspectivas individuais. Ao dar conselhos, o psicólogo impõe sua própria visão de mundo, ignorando sua individualidade e limitando suas possibilidades de crescimento.

Foco no processo terapêutico

O objetivo da terapia é ajudar o paciente a explorar seus próprios recursos internos e encontrar soluções para seus problemas. Ao invés de dar conselhos, o Psicólogo deve facilitar esse processo, encorajando o paciente a refletir e buscar suas próprias respostas.

Leia também:  O objetivo da terapia tem a ver com fazer mudanças

Neutralidade e imparcialidade

Um Psicólogo deve ser neutro e imparcial, oferecendo um espaço seguro para o paciente expressar seus pensamentos e emoções sem julgamento. Ao dar conselhos, ele introduz sua própria opinião e influencia a percepção do paciente sobre si mesmo e seus problemas.

Promoção da autoconfiança

Ao invés de dar conselhos, o Psicólogo deve ajudar o paciente a desenvolver sua autoconfiança e autoestima. Isso é essencial para que o paciente enfrente seus desafios de forma independente e construa uma vida satisfatória.

Respeito à subjetividade

Cada pessoa tem sua própria perspectiva e interpretação dos eventos. Ao dar conselhos, o Psicólogo desconsidera a subjetividade do paciente e impõe uma visão unilateral da situação.

Estabelecimento de limites

Ao evitar dar conselhos, o Psicólogo estabelece limites claros e saudáveis na relação terapêutica. Isso ajuda o paciente a desenvolver habilidades de tomada de decisão e a assumir a responsabilidade por sua própria vida.

Ética profissional

Por fim, é importante lembrar que dar conselhos vai contra os princípios éticos da prática psicológica. Os psicólogos são treinados para fornecer suporte emocional, orientação e técnicas terapêuticas, mas não para dar conselhos diretos.

Palavras finais

O aconselhamento direto, embora não intencionalmente, cria uma situação de perda/perda para a maioria dos Psicólogos e seus pacientes, como:

  • Desempoderamento do paciente;
  • Dependência e/ou raiva e responsabilidade do Psicólogo;
  • Sensação de potencial esgotamento e;
  • Sensação de ineficácia.
Leia também:  A falta na sessão de terapia é culpa do paciente ou do Psicólogo?

Por outro lado, ajudar os pacientes a se desvencilhar e encontrar seu próprio caminho é sempre a melhor opção. Isso cria resiliência e autoconfiança, que são os dons mais profundos que a terapia pode e deve produzir.

Em última análise, é a relação terapêutica que cura, não apenas a informação. Se a terapia fosse apenas conselhos, os Psicólogos não teriam empregos. Eles apenas forneceriam conteúdo aos pacientes e encerrariam o dia.

Afinal, você quer que seu Psicólogo lhe ensine como canalizar seu próprio potencial interior ou resolver seus problemas para você? Usar a terapia para descobrir as coisas por si mesmo é um dos esforços mais fortalecedores e de aumento de confiança que você experimentará.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *