Flertar pode ser considerado uma forma de traição?

Uma mulher em frente ao notebook flertando com um homem ao celular

Categoria: Infidelidade

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Se você está em um relacionamento há algum tempo, provavelmente já teve aquela velha conversa sobre flertes. Isso envolve você e seu parceiro dividindo o que cada um define como flerte, e até onde estão dispostos a tolerar.

Tipos de traição

Há basicamente quatro tipos de traição comuns nos relacionamentos românticos:

Microtraição

Esse é um termo que surgiu nos últimos anos e se refere aos pequenos comportamentos que tornam uma pessoa vulnerável à traição.

Por exemplo: pequenos flertes que levam um parceiro a se aproximar cada vez mais de uma pessoa fora do relacionamento, até que ocasione um envolvimento emocional.

Traição emocional

A traição emocional caracteriza-se por uma intimidade e interesse sexual que não é colocada em prática, mas cuja extensão deve ser mantida em segredo.

Leia também:  4 razões pelas quais os mentirosos conseguem nos enganar

Ela é um conceito mais vago e complexo do que a traição sexual. Homens e mulheres têm ideias muito diferentes sobre o que a constitui.

Publicidade

Traição física

Caracteriza-se pelas interações sexuais com outra pessoa, mas não há envolvimento emocional ou pessoal com ela.

Traição físico-emocional

Envolve um relacionamento com outra pessoa que é sexual e emocionalmente íntimo. Esse tipo de relacionamento também é mantido em segredo.

Como homens e mulheres veem o flerte?

Embora isso não pareça uma questão particularmente polarizadora para homens e mulheres, o flerte causa problemas significativos nos relacionamentos. Uma razão para isso é o fato de que homens e mulheres entendem a traição emocional e física de formas diferentes.

Enquanto os homens se sentem mais culpados após a traição sexual, as mulheres se sentem mais culpadas após a traição emocional. No entanto, tanto homens quanto mulheres têm mais dificuldade em perdoar seus parceiros pela traição de natureza sexual.

Embora os homens possam não se sentir tão culpados pela traição emocional, eles tendem a ter uma definição mais ampla do que constitui flerte. Também são mais propensos a perceber as interações como sexuais, bem como mais propensos a perceber a amizade nas mulheres como sedução ou interesse sexual.

Isso mostra como é importante que os casais falem sobre seus limites, pois um dos parceiros pode nem perceber que o que está fazendo é percebido como flerte.

Como falar com o parceiro sobre flertar?

Embora seja difícil conversar com seu parceiro sobre flerte, essa é a melhor maneira de evitar discussões e manter um relacionamento saudável. Limite-se a identificar as preocupações e a discutir o que não é negociável.

Entenda a lógica do outro

Mais do que entender as escolhas do outro, os casais precisam entender por que alguém quer flertar, mesmo que discorde do raciocínio.

Leia também:  As consequências de se envolver com uma pessoa casada

As pessoas são mais propensas a insistir e se recusar a fazer concessões se se sentirem incompreendidas. Além disso, pergunte se há alguma necessidade que ele está tentando satisfazer por meio do flerte.

Identificar preocupações

Identifique as razões específicas pelas quais flertar incomoda você. Faça a si mesmo estas perguntas:

  • Isso me deixa ansioso porque acho que meu parceiro vai realmente trair?
  • Isso me irrita porque é algo que eu não faria?

Depois de identificar esses problemas, descreva ao parceiro como isso faz você se sentir e por quê. Isso vai ajudá-los a entender melhor quais soluções estão disponíveis.

Esclarecer o que não é negociável

Seja específico sobre o que não é negociável. Em vez de dizer para parar de flertar, deixe-o saber que você se sente desconfortável quando ele toca fisicamente alguém, mesmo por brincadeira, ou tenta impressionar um colega de trabalho com piadas repetidas.

O que fazer se discordarem sobre o flertar?

Homens e mulheres têm idéias diferentes sobre o que constitui flerte, então é compreensível que sua definição seja diferente da definição de seu parceiro. Isso não significa que não possam superar esse problema.

Leia também:  O que leva um homem a pensar em traição?

Vocês dois podem nunca concordar em definições compartilhadas de flerte ou traição. Mas, o importante é como vocês se comunicam sobre o problema, bem como o que ambos estão dispostos a fazer para mantê-lo administrável e não consuma o relacionamento.

Esclarecer os itens não negociáveis, conforme mencionado anteriormente, é uma maneira de garantir que vocês fiquem confortáveis. Também é importante considerar se estão ansiosamente apegados, gerando hiperfoco nos comportamentos um do outro e, consequentemente, fazendo acusações sem sentido.

Se essa for uma possibilidade, você deve procurar ajuda de um Psicólogo para aprender a reconhecer e lidar com esses comportamentos.

O mais importante é que os casais que discordam sobre suas definições de flerte não recorram ao desprezo, à crítica e à irritação. Isso vai levar uma pessoa a flertar em segredo, tornando-o mais propenso à traição.

Palavras finais

Embora pareça prejudicial no início, flertar com outras pessoas de fora do relacionamento é um assunto complicado. Em caso de dúvida, considere os fatores culturais e religiosos com seu parceiro, e comunique-se de forma clara e corajosa sobre o que é mais ou menos aceitável.

Defina o que constitui flerte, estabeleça limites em relação a isso e busque o apoio de um Psicólogo, se e conforme necessário, para ajudar a reparar quaisquer rupturas.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *