Diferenças entre o mentiroso patológico e o mentiroso compulsivo

Homem com nariz comprido, igual do pinóquio, falando ao celular

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Abaixo estão as principais diferenças ou sintomas entre mentirosos compulsivos e patológicos.

Quais são os três tipos de mentirosos?

Existem três principais mentirosos:

  • Mentirosos naturais: este é o tipo mais comum de mentiroso. Ele é uma pessoa que mente com grande sucesso e habilidade. Ele não acredita em suas próprias mentiras, mas é bom em mentir;
  • Mentirosos patológicos: a mentira patológica costuma ser um sinal de alerta de transtorno de personalidade antissocial (comumente conhecido como psicopata). Um mentiroso patológico é geralmente considerado manipulador, egoísta e astuto;
  • Mentirosos compulsivos: mentirosos compulsivos distorcem a verdade sobre tudo. Para um mentiroso compulsivo, dizer a verdade é muito estranho e desconfortável, enquanto mentir parece o certo.

Mentiroso patológico

Aquele que mente incessantemente para conseguir o que quer, e o faz com pouca consciência:

  • É visto como um mecanismo de enfrentamento desenvolvido na primeira infância e frequentemente associado a algum outro tipo de transtorno de saúde mental, como um transtorno de personalidade antissocial. Pode ser minta para evitar algo traumático, como abuso, ou a condição pode ser genética;
  • Quando se trata de um mentiroso patológico, observa-se que a pessoa que têm transtorno de personalidade antissocial e transtorno de personalidade narcisista mente;
  • Um mentiroso patológico geralmente é orientado para um objetivo, ou seja, focado, alguém que conta mentiras para conseguir o que quer;
  • Ele têm muito pouca consideração ou respeito pelos direitos e sentimentos dos outros;
  • Ele é frequentemente considerado manipulador e astuto;
  • Ele cria histórias extravagantes que são mantidas ou ajustadas ao longo do tempo, e muitas vezes acredita em suas mentiras, ou têm um fraco controle sobre a realidade;
  • Ao contrário do mentiroso compulsivo, o mentiroso patológico é quase impossíveis de ser pego em flagrante. Ele é um excelente mentiroso porque mente constantemente e inventa histórias desnecessariamente. Muitas vezes, torna-se extremamente difícil distinguir a verdade das declarações falsas;
  • O mentiroso patológico sabe como ser confiante enquanto mente, e usa seu traço patológico como um mecanismo de defesa (por exemplo, fixar o olhar em você);
  • Alguns dos sintomas de um mentiroso patológico são: mente para ganhar alguma coisa, exagera as coisas, vive mudando suas histórias e vive em uma falsa sensação de realidade. Se confrontado, ele age na defensiva e nunca admite que é um mentiroso. Por fim, ele não têm valor para a verdade.
Leia também:  Responda essas 36 perguntas para melhorar o autoconhecimento

Mentiroso compulsivo

É aquele que mente por hábito:

  • O mentiroso compulsivo distorce a verdade sobre tudo. Para ele, dizer a verdade é muito estranho e desconfortável, enquanto mentir parece certo;
  • Acredita-se que a mentira compulsiva geralmente se desenvolve na primeira infância, devido ao fato de ser colocado em um ambiente onde mentir era necessário e rotineiro;
  • Ele acha fácil evitar confrontos com a verdade, por isso se limita a mentir;
  • O mentiroso compulsivo podem ou não ter um transtorno mental. Normalmente observa-se que pessoas com transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, transtorno bipolar e transtorno de personalidade borderline recorrem à mentira compulsiva;
  • Ele não é excessivamente manipulador e astuto, mas simplesmente mente por hábito. Uma resposta automática difícil de quebrar e que prejudica relacionamentos;
  • O mentiroso compulsivo mente por vários motivos. No entanto, pode sempre ser fácil descobrir se ele está mentindo porque suas histórias geralmente não fazem sentido;
  • Ele também exibe comportamentos clássicos da mentira, como evitar contato visual, suar, se enrolar em suas palavras ou divagar;
  • Frequentemente mente sem um motivo claro e, às vezes, sem nenhum benefício real. Ele inventam mentiras mais espontaneamente, não pensa muito e prefere contar o tipo de mentira que acha que as pessoas querem ouvir;
  • Ele sabe a diferença entre realidade e mentira;
  • Ele é mais propenso a admitir que está mentindo quando confrontado, embora isso não o impeça de continuar fazendo.
Leia também:  Como saber se o Psicólogo está apaixonado pelo paciente?

Como identificar sinais de mentira patológica

Pode ser difícil detectar mentiras patológicas. Afinal, a pessoa que faz isso está tão acostumada a contar mentiras aleatórias que ela mesma pode nem estar ciente de suas ações.

Algumas características de um mentiroso patológico incluem o seguinte:

  • Mentira sobre detalhes insignificantes;
  • Tendência a se contradizer;
  • Parece ter pouco ou nenhum arrependimento sobre como suas mentiras afetam os outros;
  • Pode ficar na defensiva ou com raiva se confrontado, mesmo que haja provas.

O que faz com que mentirosos patológicos mintam deliberadamente?

Mentirosos patológicos têm mais substância branca em seu córtex pré-frontal, que é a parte frontal do cérebro.

Essa substância está ligada a conexões mais rápidas, fluência linguística e processamento de pensamento, o que pode explicar por que alguém com mais substância branca está propensa a mentir.

Tratamento para mentirosos compulsivos e patológicos

O sucesso do tratamento depende se a pessoa realmente concorda que é um “mentiroso compulsivo” ou um “mentiroso patológico”. As opções de tratamento incluem:

  • Terapia;
  • Medicamentos antipsicóticos;
  • O apoio da família também ajuda bastante na superação desse hábito, junto com o tratamento.

Elas também podem ser usadas em combinação, dependendo da condição psiquiátrica subjacente.

Um mentiroso patológico pode amar alguém?

Embora mentir de vez em quando seja normal, um mentiroso patológico vai muito além disso.

Ele o faz sem motivo aparente, pois a mentira está arraigada nele, e contá-las é mais natural do que dizer a verdade.

Embora o mentiroso patológico possam amar alguém, muitas vezes é difícil para ele manter um relacionamento honesto e saudável.

Isso resulta em relacionamentos tóxicos, causam estresse e machucam os parceiros.

Qual é a diferença entre mentiras inocentes e mentiras patológicas?

Mentiras inocentes costumam ser contadas para evitar ferir os sentimentos de alguém ou sair de situações desconfortáveis.

Elas costumam ser inócuas e às vezes até necessárias. Por exemplo: elogiar a comida do seu anfitrião, mesmo que você não goste, é inofensivo e até um sinal de inteligência social.

Leia também:  Como superar o medo de falar em público?

No entanto, o mentiroso patológico geralmente carece de empatia e suas mentiras são mais calculadas, muitas vezes causando danos às suas vítimas.

Eles são frequentemente motivados por desejos egoístas e de manipular os outros.

Alguns mentirosos patológicos têm dificuldade em manter carreiras de longo prazo, vagam por empregos e relacionamentos, pois suas mentiras eventualmente são descobertas.

Mentirosos patológicos podem ter relacionamentos?

Estar em um relacionamento com um mentiroso patológico é exasperante. Você pode achar difícil confiar nele, especialmente se notar um padrão em suas mentiras e enganos.

Publicidade

As dicas a seguir vão ajudá-lo a lidar com a situação:

  • Denuncie-o: quando você descobrir uma mentira, deixe-o saber que você sabe que ele está mentindo. No entanto, tenha em mente que isso vai causar ressentimento. Fique calmo e ajude-o a entender por que está mentindo, e encoraje-o a procurar ajuda fora do relacionamento;
  • Não discuta: embora lidar com um mentiroso seja extremamente doloroso, debater com alguém que vive em um mundo de sonhos não vai mudá-lo. Começar uma briga com alguém que pode nem saber o que está fazendo não vai ajudar ninguém;
  • Afaste-se: você pode precisar terminar o relacionamento se um mentiroso patológico continuar a mentir, mesmo depois de você ter expressado suas preocupações. As mentiras são devastadoras para um relacionamento, e ele precisa entender isso se quiser manter as pessoas de quem gosta ao seu lado.

Pode ser necessária ajuda profissional para que o mentiroso patológico perceba e lide efetivamente com questões profundas.

Se a mentira patológica for sintoma de um transtorno mental subjacente, o tratamento incluirá terapia, medicamentos ou ambos.

Se você está em um relacionamento romântico, a terapia de casal também é uma excelente alternativa.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

2 comentários em “Diferenças entre o mentiroso patológico e o mentiroso compulsivo”

  1. Quanto é a consulta online? O tratamento seria para meu filho. Mente desde a infância. Não vive a realidade e consegue fazer diversas dívidas. Porque tudo que faz não dá certo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *