O que são, exatamente, os pensamentos intrusivos?

Mulher com as mãos na cabeça, os cabelos revirados e gritando

Categoria: Outros

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Pensamentos intrusivos são pensamentos indesejados, que aparecem sem aviso prévio e a qualquer momento. Eles costumam ser repetitivos, perturbadores e angustiantes.‍

Pessoas com sintomas de ansiedade ou depressão têm maior probabilidade de apresentá-los, mas também acontece com qualquer pessoa.

Embora inofensivos em si mesmos, os pensamentos intrusivos têm um efeito negativo em nossa qualidade de vida e afetam a maneira como nos comportamos.‍ Eles podem estar na forma de imagens, sons ou declarações.

O que causa pensamentos intrusivos?

Pensamentos intrusivos podem não ter exatamente uma causa e simplesmente acontecerem aleatoriamente. E, então, com a mesma rapidez que surgiram, eles desaparecem, sem deixar nenhuma impressão duradoura.

Sendo menos comum, eles estão relacionados a uma condição de saúde mental subjacente, como transtorno obsessivo-compulsivo.

Leia também:  A busca por aprovação e a ameaça ao relacionamento romântico

Os sinais de que pode há uma causa subjacente mais séria incluem pensamentos intrusivos que:

  • Duram mais do que um breve momento;
  • Continuam a aparecer repetidamente em sua cabeça;
  • Causam angústia ao longo do tempo ou;
  • Faz você sentir que precisa controlá-los.

Esses pensamentos não são motivos para se envergonhar, mas são um motivo para procurar um diagnóstico e tratamento.

Os diferentes tipos de pensamentos intrusivos

As pessoas geralmente têm pensamentos intrusivos sobre:

  • Germes, infecções ou outros tipos de contaminação;
  • Atos violentos, agressão ou causar danos a outras pessoas;
  • Dúvidas sobre fazer tarefas erradas ou deixar tarefas inacabadas;
  • Religião, blasfêmia ou ser uma pessoa imoral;
  • Atos ou situações sexuais;
  • Agir ou dizer uma coisa errada em público.

Também há outros tipos que não se enquadram nessas categorias.

Pessoas que experimentam pensamentos intrusivos ficam preocupadas com o que eles significam. Isso as leva a tentar controlá-los ou interrompê-los. Elas também sentem vergonha e querem mantê-los em segredo dos outros.

A imagem ou pensamento pode ser perturbador, mas se você não tem desejo ou intenção de agir de acordo com ele, então não há nada com que se preocupar.

As mais brandas vêm na forma de nossa própria voz crítica, aquela em nossas cabeças que nos diz coisas como:

  • “Você nunca conseguirá esse emprego.”;
  • “Você não é bom o suficiente.”;
  • “Você vai parecer estúpido se você fizer isso.” ou;
  • “Eles não gostam e estão falando de você pelas costas”.
Leia também:  Por que o paciente mente para o Psicólogo?

‍Pensamentos intrusivos são normais

Ter pensamentos intrusivos é um fenômeno humano perfeitamente natural. Eles têm um propósito prático: manter-nos seguros, ajudando-nos a antecipar e prevenir problemas e perigos, e a planejar com antecedência e lembrar de coisas que possamos ter esquecido.

Eles também são chamados de “ego distônico”, isto é, são o oposto do que realmente queremos e pretendemos fazer: podem ser chocantes e assustadores, mas não significam nada e somos capazes de ignorá-los.‍

Embora pensamentos intrusivos geralmente não sejam motivo de preocupação, às vezes eles podem começar a interferir na vida diária.

Pessoas que sentem medo ou culpa por seus pensamentos intrusivos, ou sentem que precisam agir para controlá-los, podem estar passando por algo mais sério. Se for esse o caso, é uma boa ideia falar com um Psicólogo.

Como gerenciar pensamentos intrusivos?

A melhor maneira de gerenciar pensamentos intrusivos é reduzir sua sensibilidade ao pensamento e ao seu conteúdo. As seguintes estratégias sempre ajudam:

  • Fazer terapia. Em um ambiente controlado, o Psicólogo vai expô-lo a gatilhos para seus pensamentos, de modo que você aprenda a reagir a eles de maneira mais saudável;
  • Medicamento. Medicamentos são usados ​​para tratar condições como transtorno obsessivo compulsivo ou transtorno de estresse pós-traumático;
  • Autocuidados. É possível aprender a reconhecer que eles não são o mesmo que intenção ou comportamento. Isso ajuda a reduzir sua frequência e intensidade.
Leia também:  5 razões pelas quais os livros de autoajuda não funcionam

Qual é a perspectiva se você tiver pensamentos intrusivos?

Pensamentos intrusivos são angustiantes, mas se só aparecem de vez em quando, então não há motivos para preocupação. Geralmente eles não são causados ​​por nada em particular.

Publicidade

Quando eles estão relacionados a problemas de saúde subjacente, buscar um diagnóstico preciso e iniciar tratamento levará algum tempo.

Seguir um plano de tratamento ajudará a aliviar os sintomas e torná-los menos frequentes. Opções como medicação e terapia ajudam a lidar com eles.

Se os pensamentos intrusivos estão interferindo em sua vida cotidiana, converse com um Psicólogo sobre essas experiências.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *