6 sinais de que você está ignorando uma depressão

Mulher sentada em um sofá, com as pernas encolhidas e expressão de preocupação.

Categoria: Depressão

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Os estereótipos prejudicam nossa capacidade de reconhecer problemas. A maioria das pessoas tem uma imagem de como é estar deprimido, mas essa imagem pode não corresponder à realidade. Se você acredita que pessoas deprimidas são tristes, têm pouca energia e geralmente se comportam de maneira negativa, talvez não reconheça os sinais reais nos outros ou em si mesmo.

É interessante o que percebemos nos outros, mas deixamos de reconhecer em nós mesmos. Mesmo que admitamos alguns sinais de depressão em uma avaliação de triagem, isso não significa necessariamente que acreditaremos que estamos deprimidos. Somos muito bons em ignorar o que sentimos e em seguir em frente como se nada estivesse errado.

Em inúmeras ocasiões, perguntei a pacientes diagnosticados com depressão se eles se consideravam deprimidos. A resposta quase universal é “não”. Portanto, os profissionais de saúde e os pacientes precisam de outra maneira de reconhecer a depressão, e explicar o que está acontecendo para que uma pessoa alcance um estado deprimido.

É sempre melhor ajudar uma pessoa a reconhecer a depressão por conta própria do que tentar convencê-la nós mesmos. Se alguém não consegue ver que está deprimido, então mesmo a prova mais convincente não a ajudará a mudar de ideia.

A chave para ajudar os outros a reconhecer uma depressão é:

  • Compartilhar informações sobre como a mente funciona;
  • Como ela se desvia e;
  • O que podemos fazer para nos colocar em um modo mais flexível e adaptável, de modo a enfrentar os problemas da realidade e seguir em frente.
Leia também:  O que significa e o que fazer ao sentir-se vazio?

A maioria das pessoas está genuinamente interessada em aprender sobre si mesma, mas ficam imediatamente na defensiva diante de qualquer indício de culpabilização. Uma abordagem sem julgamento e com foco em como a mente funciona construirá confiança.

Aqui estão 6 sinais de que você está deprimido, mas não reconhece que está preso em um ciclo do qual é difícil escapar:

  1. Você se sente desconectado do que é importante. Você tem pessoas, ideias e atividades que tornam sua vida rica e significativa, mas luta para se concentrar nessas áreas por causa das pressões da vida. Quando você perde de vista seus valores, senso de propósito e direção, é normal sentir angústia. Infelizmente, como ela começa a chamar nossa atenção, fica mais difícil focar no que é importante;
  2. Existe uma lacuna entre o que você quer e o que você tem, ou entre quem você é e quem você quer ser. Não há nada de errado em ter esse tipo de lacuna. Em geral, ela nos motiva a crescer e mudar. Mas ela também pode ser angustiante, pois nossa mente nos diz que estamos presos, que a vida não vai mudar e que as barreiras que enfrentamos são todas culpa nossa;
  3. Você sempre trata seus pensamentos, sentimentos e sensações físicas como verdadeiros, válidos e importantes. Quando se está angustiado, a mente tenta buscar uma explicação. Com muita frequência você ouve a explicação dela como se fosse uma verdade absoluta. Por exemplo, sua mente pode lhe dizer que a vida deveria tratá-lo com justiça e, como não o faz, você deve se sentir miserável. Embora isso possa parecer uma explicação razoável de por que você está chateado, definitivamente não é útil;
  4. Você evita e controla sua aflição. Uma vez que sua mente barulhenta e inútil está ativa, sua angústia é amplificada. Naturalmente, queremos evitar esse tipo de sentimento. Cada pessoa tem uma maneira única de evitar e controlar o sofrimento, mas os métodos típicos incluem:
    • Argumentar com sua mente, tentando se convencer com pensamento positivo;
    • Distrair-se com entretenimento e atividades irracionais como compras, jogos ou jogos de azar;
    • Acalmar-se com substâncias como comida, álcool, drogas, medicamentos ou tabaco;
    • Optar por não fazer coisas e ir a lugares; ou
    • Envolver-se em automutilação.
  5. Você evita e tenta controlar sua angústia. Netflix, sexo, álcool e cheesecake ajudam a se sentir menos mal no momento, mas isso é tudo o que seus efeitos positivos oferecem. Assim que o estado positivo causado por essas estratégias de evitação e controle desaparecem, você volta a se sentir infeliz, mas agora com problemas adicionais. Normalmente, as coisas que fazemos para evitar e controlar a angústia piorarão nossa vida a longo prazo. Elas nos custam tempo, dinheiro e saúde. E esses problemas acabarão por custar nossos relacionamentos;
  6. Você acredita que deve se livrar da angústia antes de seguir em frente novamente. Presumimos que a felicidade é um estado de vida normal e contínuo, e que algo está errado conosco se não estivermos felizes. Também assumimos que devemos ser capazes de controlar nossos pensamentos, sentimentos, e que devemos nos livrar deles antes de seguir em frente. Tentar controlar e evitar os pensamentos e sentimentos só pioram as coisas.
Leia também:  A ligação entre o consumo de conteúdo adulto e depressão

Depois de explicar esses sinais, sempre ouço as pessoas fazerem este reconhecimento sincero: “Todas as manhãs eu acordo e sei que hoje vai ser tão difícil quanto ontem. E estou convencido de que amanhã não será diferente de hoje. É assim que a depressão se parece? Porque se for, estou deprimido.”

Essas pessoas não são indivíduos que parecem tristes, ficam deitados o dia todo ou falam negativamente. Elas são pessoas trabalhadoras, pais lutando para manter suas famílias unidas, professores que se dedicam à vida dos alunos, profissionais de saúde fazendo tudo o que podem para se manterem positivos para si e para os outros.

No entanto, quando confrontados com a realidade do “ciclo de luta”, essas mesmas pessoas reconhecem que estão presas na roda do hamster da depressão e precisam sair dela.

Leia também:  13 causas comuns da depressão

Passos para a mudança

Se esses sinais de depressão estão aparecendo em sua vida, tenha certeza de que você não está sozinho. A maioria de nós fica presa nesse ciclo em vários momentos da vida.

O primeiro passo para se libertar e controlar sua depressão é muito simples: aprender ter compaixão por si mesmo. Nossas mentes são magistrais em nos espancar, mas não tão boas em compaixão, ou em ver o que há de bom dentro de nós.

Em segundo lugar: pergunte a si mesmo se seus hábitos de evitar e controlar o sofrimento são úteis ou não. Eles estão movendo você na direção que deseja ir? Provavelmente não. Em seguida, faça uma avaliação honesta de quanto seus hábitos de evitação e controle estão lhe custando.

Publicidade

Por fim, abandone seus esforços para controlar a aflição. Em vez disso, traga sua angústia ao dar pequenos passos na direção que deseja seguir. Isso ajudará.

Lembre-se, você não é seus pensamentos; você não precisa ser controlado pelo que eles dizem. Você é o autor da sua história, não a vítima dela.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *