A negatividade das redes sociais aumenta a sensação de solidão

Homem com um celular na mão e segurando a cabeça

Categoria: Solidão

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

A negatividade das redes sociais aumenta a sensação de solidão. Elas deveriam, aparentemente, conectar pessoas.

Porém não é isso que acontece, e parecem estar diretamente ligada ao aumento nas sensações de solidão, principalmente quando a experiência é negativa.

Para se ter uma ideia, a relação entre experiências negativas e positivas nas redes sociais é:

  • A cada aumento de 10% nas experiências negativas, há um aumento de 13% nos sentimentos de solidão e;
  • A cada aumento de 10% nas experiências positivas, não há mudanças nos sentimentos de solidão.
Leia também:  A importância de se ter um tempo sozinho para a saúde mental

Isto é: as experiências negativas com as redes sociais são mais capazes de provocar sentimentos de solidão, enquanto que as experiências positivas não são capazes de diminuir os sentimentos de solidão.

Há uma tendência para as pessoas darem mais peso a experiências e traços negativos em comparação com os positivos, e isso pode ser particularmente relevante quando se trata de rede social.

Portanto, experiências negativas (como discussões públicas nas mídias sociais) podem deixar uma impressão duradoura e potencialmente traumática nas pessoas.

Fica aqui a minha dica:

Publicidade
  • Seja mais consciente e atencioso em relação às suas experiências online, e, sempre que possível interrompa o ciclo de experiências negativas para combater a solidão.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *