Você sabe identificar um relacionamento tóxico?

Várias máscaras de gás penduradas em uma parede

Categoria: Casamento

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Em um relacionamento saudável tudo tende a funcionar muito bem. Embora existam discórdias e outros obstáculos, o casal geralmente toma decisões juntos, discute abertamente quaisquer problemas e aprecia genuinamente a companhia um do outro.

No relacionamento tóxico a história é diferente. Há um sentimento constante de esgotamento ou infelicidade, sugerindo que algumas coisas precisam mudar. Talvez o relacionamento não pareça mais agradável, embora ainda se ame o parceiro. Por alguma razão, ambos se irritam ou não conseguem parar de discutir por questões menores. Pode até haver o temor de encontrar-se com o parceiro, em vez de ansiar por isso, como acontecia no passado.

A seguir são apresentados alguns sinais característicos de um relacionamento tóxico, além de algumas orientações sobre o que fazer a respeito.

Quais os sinais de um relacionamento tóxico?

Dependendo da natureza do relacionamento, os sinais de toxicidade podem ser sutis ou altamente óbvios. Nem sempre é fácil perceber esses sinais, mas mesmo assim, é possível notar alguns deles.

Falta de suporte

Relacionamentos saudáveis ​​são baseados em um desejo mútuo de ver o sucesso do outro em todas as áreas da vida. Contudo, quando as coisas ficam tóxicas, cada conquista transforma-se em uma competição.

Resumindo, o tempo que o casal passa junto não é mais positivo, não há sentimentos de apoio e encorajamento. Pelo contrário, têm-se a impressão de que as necessidades e interesses não importam, que cada um só se importa consigo mesmo.

Comunicação tóxica

Em vez de gentileza e respeito mútuo, a maioria das conversas é repleta de sarcasmo, crítica e alimentada por desprezo.

Há comentários em tom de zombaria para amigos ou familiares? Há evitações das ligações telefônicas como forma de obter uma pausa nas inevitáveis ​​discussões e hostilidade?

Inveja ou ciúme

Embora seja perfeitamente normal sentir um pouco de inveja de vez em quando, ela se tornará um problema se impedir alguém de pensar positivamente sobre as conquistas do parceiro.

O mesmo vale para o ciúme. Sim, é uma emoção humana perfeitamente natural. Mas quando isso leva a suspeitas e desconfianças constantes, rapidamente começará a corroer o relacionamento.

Comportamentos controladores

O parceiro pergunta onde o outro está o tempo todo? Ele fica aborrecido ou irritado quando não respondem imediatamente às mensagens de texto? Envia sucessivas mensagens até que o parceiro responda?

Leia também:  30 sinais de que uma esposa perdeu o interesse pelo marido

Esses comportamentos resultam do ciúme e desconfiança, mas também sugerem uma necessidade de controle, contribuindo para a toxicidade do relacionamento. Em alguns casos, essas tentativas de controle sugerem abusos.

Ressentimento

Guardar rancores e deixá-los apodrecer destrói a intimidade. Com o tempo, a frustração e o ressentimento aumentam ainda mais o abismo entre o casal.

Publicidade

Se você não há confiança no parceiro para ouvir as preocupações, o relacionamento será tóxico.

Desonestidade

Inventar mentiras sobre o paradeiro, ou com quem se encontra, é sinal de que se deseja evitar passar tempo com o parceiro, ou porque há preocupações com a reação caso conte a verdade.

Constante desrespeito

Constantes atrasos, “esquecer” casualmente eventos e outros comportamentos que mostram desrespeito pelo tempo do outro são um sinal de alerta.

Lembre-se de que algumas pessoas realmente tem dificuldades em fazer e manter planos no prazo. Se não for intencional, haverá alguma melhora depois de explicar por que isso é um incomodo.

Comportamentos financeiros negativos

Compartilhar finanças com o parceiro envolve algum nível de acordo sobre como o dinheiro será gasto ou economizado. Dito isso, não é necessariamente tóxico se alguém optar por gastar dinheiro com itens que o parceiro não aprova.

Pode ser tóxico, no entanto, se há um acordo sobre suas finanças e alguém desrespeita consistentemente esse acordo, seja comprando itens caros ou sacando grandes somas de dinheiro.

Infindável estresse

Os desafios comuns da vida criam tensão no relacionamento, é claro. Porém, encontrar-se constantemente no limite, mesmo quando não se está enfrentando estresse de fontes externas, é um indicador de que algo está errado.

Esse estresse contínuo prejudica a saúde física e mental, provocando a infelicidade ou mal-estar geral.

Ignorar as necessidades

Ter de concordar com o que o parceiro quer fazer, mesmo que isso vá contra os próprios desejos ou nível de conforto, é um sinal claro de toxicidade.

Abandonar outros relacionamentos

Parar de passar tempo com amigos e familiares, seja para evitar conflitos com o parceiro ou para evitar ter que explicar o que está acontecendo, é um sinal claro de relacionamento tóxico.

Alternativamente, lidar com o parceiro ou se preocupar com o relacionamento, ocupa muito do tempo livre.

Abandono do autocuidado

Em um relacionamento tóxico pode haver abandono do autocuidado.

A pessoa se afasta de hobbies que amava, negligencia a saúde e sacrifica o tempo livre. Isso acontece porque não há mais energia para essas atividades, ou porque há desaprovação quando se faz as próprias coisas.

Esperar por mudanças

Alguém pode permanecer no relacionamento porque se lembra de como era divertido no começo. Talvez ele pense que se mudar a si mesmo e suas ações, então o parceiro também mudará.

Pisar em ovos

Há temor de que, ao trazer à tona os problemas, uma tensão extrema apareça. Então é melhor evitar conflitos e guardar os problema para si mesmo.

É possível consertar um relacionamento tóxico?

Muitas pessoas assumem que relacionamentos tóxicos são imutáveis, mas nem sempre é esse o caso.

O fator decisivo para a mudança deve partir de ambos. Se apenas um parceiro investir na criação de padrões saudáveis, então haverá pouca probabilidade de que a mudança ocorra.

Algumas atitudes que se pode ter para resolver as coisas juntos:

Leia também:  Sinais de que você está em um casamento tóxico

Reconhecimento da responsabilidade

Se o relacionamento está passando por dificuldades e houver desejo em melhorá-lo, então se está no caminho certo. Reconhecer comportamentos passados ​​que prejudicaram o relacionamento é vital para ambos os lados. Reflete o interesse pela autoconsciência e pela autorresponsabilidade.

Por outras palavras, ambos devem identificar sua parte na contribuição para a toxicidade, do ressentimento ao ciúme, passando pelo silêncio em relação as preocupações e decepções.

Vontade de investir

Ambos devem estar dispostos a investir para melhorar o relacionamento. Isso se manifesta no interesse em aprofundar as conversas, ou reservar períodos regulares de tempo para passarem juntos.

Substituir a culpa pela compreensão

Se ambos forem capazes de desviar a conversa da culpa para a compreensão e o aprendizado, haverá um caminho a seguir. Em vez de dizer: “A culpa é sua” ou “Você sempre faz XYZ”, é melhor tentar: “Acho que nos entendemos mal, então vamos tentar de novo” ou “Entendo por que você está se sentindo estressado e chateado. Como podemos trabalhar nisso juntos?”

Abrir-se para ajuda externa

Às vezes, é necessário ajuda de terceiro para colocar as coisas de volta nos trilhos, seja por meio de terapia individual ou terapia de casal.

Não há vergonha em obter ajuda profissional para resolver problemas de relacionamento. Nem sempre é possível identificar tudo o que contribui para a toxicidade, e os terapeutas de casais são treinados para oferecer uma perspectiva neutra e um apoio imparcial.

Eles também ensinam excelentes estratégias para abordar e resolver conflitos, facilitando a criação de padrões saudáveis ​​e duradouros.

Como seguir em frente?

Consertar um relacionamento tóxico requer tempo e paciência. Dado que a maioria deles geralmente ocorrem como resultado de problemas de longa data, ou como resultado de problemas não resolvidos de relacionamentos anteriores.

Essas etapas ajudam a mudar as coisas.

Não vivendo no passado

Parte do reparo envolve abordar eventos passados. Mas esse não deve ser o único foco de seu relacionamento no futuro.

Deve-se resistir à tentação de se referir constantemente a cenários negativos, pois isso deixa o casal tenso, frustrado e os coloca basicamente de volta no início.

Vendo o parceiro com compaixão

Quando houver a tentação de querer culpar o parceiro por todos os problemas, é melhor um passo para trás e identificar os potenciais motivadores por trás desse comportamento.

O parceiro recentemente passou por um momento difícil no trabalho, ou ele está vivendo algum drama familiar? Esses desafios não justificam o mau comportamento, mas ajudam a entender melhor de onde ele vem.

Algum dos parceiros tende a se retirar quando está chateado, em vez de compartilhar as preocupações? Há critica se alguém não faz as tarefas de um determinado jeito?

Iniciando uma terapia de casal

A abertura para a terapia de casal é um sinal de que é possível consertar um relacionamento tóxico. Porém, é necessário dar o primeiro passo e entrar em contato para agendar a consulta.

Embora a terapia de casal seja um bom ponto de partida, a terapia individual também é útil. A terapia oferece um espaço seguro para explorar questões de apego e outros fatores que ocasionam problemas de relacionamento.

Praticando a comunicação saudável

É fundamental prestar muita atenção em como o casal conversa enquanto tenta consertar as coisas. Ser gentil um com o outro e evitar sarcasmo é essencial.

Necessário também usar declarações do tipo “eu”. Por exemplo, em vez de dizer “Você não ouve o que estou dizendo”, pode-se dizer “Fico magoado quando você pega o telefone enquanto estou falando. Me dá a impressão de que o que digo não importa.

Leia também:  O que é um relacionamento codependente?

Sendo responsável por suas ações

Ambos os parceiros devem reconhecer sua parte na promoção da toxicidade. Isso significa identificar e assumir a responsabilidade por suas próprias ações no relacionamento. Também significa comprometer-se a permanecer presente e engajado durante conversas difíceis, ao invés de evitar essas discussões.

Abuso vs. toxicidade

A toxicidade em um relacionamento assume várias formas, incluindo abuso emocional ou verbal. Ainda assim, nem sempre é possível traçar uma linha clara entre toxicidade e abuso.

Relacionamentos tóxicos não são saudáveis, mas não são necessariamente abusivos. Às vezes, o comportamento tóxico não é intencional, embora, é claro, isso não o torne menos doloroso. Lembre-se também de que muitos relacionamentos prejudiciais envolvem comportamento tóxico de ambos os parceiros, mesmo quando nenhum deles se comporta de maneira abusiva.

O abuso, por outro lado, decorre do desejo de manter o poder sobre outra pessoa e controlar seu comportamento. Como o abuso geralmente acontece gradualmente, de maneiras sutis, nem sempre é fácil reconhecê-lo, especialmente se o relacionamento for tóxico há algum tempo.

Nunca há uma desculpa para o comportamento abusivo. Embora a mudança seja possível para qualquer um, não há como obrigar o parceiro a mudar. Ele têm que escolher esse caminho sozinho.

É por isso que, ao reconhecer algum dos seguintes sinais de abuso físico ou emocional, o próximo passo envolve trabalhar com um Psicólogo na criação de um plano para deixar o relacionamento tóxico com segurança.

Como sair de um relacionamento tóxico?

Se alguém decidiu que é hora de deixar o relacionamento, então essas estratégias vão ajudá-lo a fazer isso com segurança:

  • Obter apoio de um Psicólogo. Ele ajuda a fazer um plano de segurança e acessar recursos para um suporte adicional;
  • Abrir-se para os entes queridos. A família e os amigos oferecem apoio emocional, mas também oferecem apoio mais tangível, como um lugar para ficar ou ajudar na mudança enquanto o parceiro tóxico estiver fora;
  • Levar um amigo. Se não houver segurança em ter uma conversa de separação sozinho, então pode-se pedir a um amigo de confiança que esteja presente. Saber que há o apoio deles ajuda a sustentar a decisão de sair, mesmo que o parceiro tente convencer do contrário;
  • Alterar o número de telefone. Se isso não for possível, então é fundamental bloquear o número e as contas nas redes sociais do parceiro, de modo a não se sentir tentado a responder, caso ele entre em contato;
  • Cuidar-se. Deixar qualquer relacionamento é doloroso e angustiante. Será necessário reservar um tempo para relaxar, dormir, e cuidar de si mesmo, junto com um tempo de cura, antes de iniciar um novo relacionamento.

A comunicação tóxica e os padrões de comportamento quebram e corroem os alicerces de qualquer relacionamento, mas ninguém precisa ficar parado e vendo sua relação desmoronar.

Se o casal deseja criar mudanças, então um Psicólogo de casais ajudará na identificação dos fatores subjacentes que contribuem para a toxicidade do relacionamento, além de explorar abordagens mais saudáveis ​​​​e compassivas para solução de problemas.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *