A importância de se ter um tempo sozinho para a saúde mental

Homem sentado na praia à beira do mar durante um crepúsculo

Categoria: Solidão

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Nós somos criaturas sociais, e as conexões são vitais para o bem-estar emocional e físico. Diante disso, ter um tempo sozinho desempenha um papel fundamental na saúde mental.

Estar perto de outras pessoas traz recompensas, mas também cria estresse, pois nos preocupamos com o que elas pensam e então alteramos o comportamento para evitar a rejeição e nos encaixarmos nos grupos.

Embora esses sejam os custos de fazer parte de um mundo social, alguns desses desafios demonstram por que ter um tempo sozinho é tão importante.

Ter tempo para si mesmo lhe dá a chance de se libertar das pressões sociais e acessar os próprios pensamentos, sentimentos e experiências.

Por que ter um tempo sozinho é importante?

Encontrar tempo para ficar sozinho tem vários benefícios importantes. Alguns deles incluem:

  • Exploração pessoal;
  • Criatividade e;
  • Energia Social;

Exploração Pessoal

Ficar confortável com a própria solidão lhe dará tempo e liberdade para explorar as próprias paixões, sem interferências.

É uma forma de:

  • Experimentar coisas novas;
  • Pesquisar tópicos que o fascinam;
  • Adquirir conhecimentos e;
  • Praticar novos métodos de autoexpressão.

Dar-se um tempo sozinho significa explorar essas coisas sem as pressões e julgamentos que os outros impõem.

Ter um tempo para si mesmo é fundamental para o crescimento e o desenvolvimento pessoal.

Em vez de se preocupar com as necessidades, interesses e opiniões dos outros tenham, o tempo sozinho permite se concentrar em si mesmo.

Criatividade

Ficar sozinho também é uma oportunidade para deixar a mente vagar e fortalecer a criatividade.

Sem a necessidade de se preocupar ou interagir com outras pessoas, você pode ignorar as influências externas e se concentrar internamente.

Na verdade, ficar sozinho leva a mudanças no cérebro que fortalecem o processo criativo.

Pessoas que se retraem propositalmente são altamente criativas.

A solidão leva ao aumento da atividade nos circuitos neurais relacionados à imaginação.

Leia também:  O que fazer quando você se sentir sozinho(a)?

Quando deixado de lado por uma falta de estimulação social, o cérebro aumenta suas redes criativas para preencher o vazio.

Energia Social

Morar sozinho é visto de forma negativa.

No entanto, pessoas que vivem sozinhas têm, na verdade, mais energia e uma vida social mais rica do que as pessoas que coabitam com outras.

Razões para ter um tempo sozinho nem sempre é fácil

Ter um tempo sozinho é um desafio por vários motivos. Algumas das razões pelas quais as pessoas têm dificuldade em ficar sozinhas incluem:

  • Falta de experiência: você pode não estar acostumado com a solidão porque passa muito tempo perto de outras pessoas. A súbita ausência de estimulação social fará com que você se sinta desligado ou desconectado;
  • Pensamentos e sentimentos angustiantes: em outros casos, ficar sozinho e se concentrar é difícil ou mesmo doloroso. Você pode achar essa introspecção angustiante ou se envolver em ruminação e preocupação;
  • Estigma social: o estigma de estar sozinho também desempenha um papel na definição de como você se sente em relação à solidão. Para aqueles que foram expostos a atitudes negativas ou que veem isso como uma forma de comportamento antissocial, a solidão parecerá uma forma dolorosa de punição.

As pessoas evitam fazer coisas de que gostam quando precisam fazê-las sozinhas.

Isso é particularmente verdadeiro se for uma atividade que pode ser observada por outras pessoas, como jantar ou fazer um filme solo.

Também é importante observar que aspectos da sua personalidade, assim como as preferências individuais, desempenham um papel fundamental na determinação de quanto tempo e quão benéfico pode ser ficar sozinho.

Extrovertidos se sentem energizados por experiências sociais, então a solidão será mais desafiadora para eles.

Os introvertidos, por outro lado, se energizam estando sozinhos.

Porém, ao contrário da crença popular, os introvertidos não gostam da solidão mais do que os extrovertidos.

Indivíduos que permanecem fiéis às suas escolhas e convicções se interessam e vêm mais valor em passar tempo com eles mesmos, apesar de suas propensões à sociabilidade ou insegurança em torno de outras pessoas.

Não importa qual seja o seu tipo de personalidade, haverá momentos em que se beneficiará tendo um tempo sozinho.

Solidão é diferente de estar sozinho

O distanciamento social devido à pandemia COVID-19 aumentou as preocupações sobre a prevalência e o impacto da solidão para a saúde humana.

O isolamento social levou à solidão e ao tédio crônicos, que se prolongaram por muito tempo e produziram efeitos prejudiciais no bem-estar físico e mental.

Existem inúmeras evidências que mostram que a solidão tem consequências devastadoras para a saúde.

Leia também:  Caminhos para a reintegração social no pós-pandemia

Ela tem sido associado à:

  • Pressão arterial elevada;
  • Declínio cognitivo acelerado;
  • Ansiedade social;
  • Risco aumentado de doença de Alzheimer;
  • Maior risco de depressão, ansiedade, obesidade, hipertensão e morte prematura.

Mas é importante lembrar que estar sozinho não é igual a solidão. Uma certa quantidade de tempo de qualidade sozinho é vital para o bem-estar emocional e físico.

Sinais de que você precisa ter um tempo sozinho

Nem sempre é fácil reconhecer os sinais de que você precisa de algum tempo longe de outras pessoas.

Alguns deles incluem:

  • Sentir-se mal-humorado;
  • Irritar-se facilmente com coisas pequenas;
  • Perder o interesse em fazer coisas com outras pessoas;
  • Sentir-se oprimido ou superestimulado ;
  • Ter problemas de concentração e;
  • Ficar ansioso por estar com outras pessoas.

A boa notícia é que, mesmo que você esteja lutando com qualquer um desses sinais, um pouco de tempo sozinho terá um efeito restaurador significativo.

Publicidade

Pessoas que passam aproximadamente 11% de seu tempo sozinhas experimentam menos sentimentos negativos nas experiências sociais.

Como ter um tempo sozinho?

Se você está pensando em ter um tempo sozinho, é importante fazê-lo de maneiras que sejam benéficas para o seu bem-estar mental.

Ter um tempo sozinho é mais benéfico quando feito de forma voluntária. Também é importante sentir que pode retornar ao seu mundo social sempre que quiser.

  • Escolha um horário: descubra quando gosta de ter um tempo sozinho. Planeje esse tempo e certifique-se de que outras pessoas saibam que não devem interrompê-lo durante esse tempo;
  • Desconecte-se das redes sociais: trabalhe para eliminar distrações, especialmente aquelas que convidam a comparações sociais. Seu foco deve estar em seus próprios pensamentos e interesses, e não no que as outras pessoas estão fazendo;
  • Planeje algo: nem todo mundo se sente confortável em passar um tempo sozinho, então você precisa planejar o que fazer. Isso envolve relaxar, explorar um passatempo favorito ou ler um livro;
  • Dê um passeio: estar ao ar livre tem um impacto benéfico no bem-estar. Se você está se sentindo confinado e sufocado por causa de muita interação social, passar algum tempo ao ar livre sozinho, desfrutando de uma mudança de cenário, terá um efeito restaurador.

Não existe uma quantidade correta de tempo solo que funcione para todos.

Pense em coisas que gostaria de fazer sozinho e, em seguida, comece a praticá-las.

Cada pessoa tem necessidades diferentes de solidão e tempo social, então tente encontrar um equilíbrio entre os dois e que atenda às suas necessidades exclusivas.

Leia também:  Por que estamos tão solitários?

Alguns precisam de apenas alguns minutos para redefinir o mau humor, enquanto outros exigem longos períodos de tempo sozinhos.

Criando um espaço para ficar sozinho

Encontrar tempo para ficar sozinho nem sempre é fácil. As obrigações familiares e as responsabilidades dos pais também tornam difícil reservar um tempo para si mesmo.

Algumas etapas para garantir ter o tempo de que se precisa incluem:

  • Ser claro: diga às pessoas ao redor, sejam elas colegas de quarto, membros da família ou seu parceiro, que você precisa de um tempo sozinho;
  • Ser específico: deixe as pessoas saberem o que isso significa. Por exemplo, dizer que precisa de um tempo ininterrupto para ler um livro, assistir a um programa de televisão ou ouvir um podcast;
  • Retribuir o favor: se as pessoas estão dispostas a tomar medidas para garantir que você fique algum tempo sozinho, é importante que você lhes mostre a mesma consideração;
  • Seja flexível: se você precisa ter um tempo sozinho ao morar com outras pessoas, provavelmente precisará ser flexível ao procurar oportunidades de ter tempo para si mesmo.

Experimente acordar mais cedo do que os outros membros da casa para desfrutar de algum tempo de paz para si mesmo.

Se essa não for uma opção, dar um passeio ao ar livre ou ter outros membros da família cuidando das crianças e assumindo as tarefas domésticas enquanto você faz uma pausa será útil.

Desenvolva a mentalidade certa

Se a ideia de ter um tempo sozinho o faz temer que acabe se sentindo solitário, então é necessário reformular o tempo de sozinho para solidão.

Reavaliar como você olha para um tempo sozinho desempenha um papel importante na moderação dos efeitos potencialmente negativos da solidão.

Palavras finais

Embora estar sozinho possa ser confundido com solidão, é claro que ter tempo para si mesmo de vez em quando é importante para a saúde mental e o bem-estar.

Se a ideia de passar um tempo sozinho o deixa entediado ou desconfortável, comece com pouco tempo sozinho, de modo que se concentre em uma tarefa específica.

À medida que aproveita melhor a própria companhia, descobrirá que esse tempo a sós o ajudará a se sentir renovado e inspirado para quando retornar ao seu círculo social.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *