O medo da rejeição vai dominar sua vida até você enfrentá-lo

Uma mulher sentada em frente ao seu quarto enquanto tem medo da rejeição

Categoria: O Psicólogo responde

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Questão: Eu fiz um perfil em aplicativos de namoro online porque, aos 34 anos, sinto que o tempo está se esgotando para encontrar a pessoa certa.

Dia sim, dia não, eu me vejo sentada à mesa com um novo parceiro em potencial, tomando um café ou uma bebida. “Não, esse cara não”, eu digo mim mesma todas as vezes.

Meus amigos e familiares sempre ficam perplexos sobre os motivos de eu permanecer solteira quando preciso me esforçar tanto para conhecer alguém.

O que devo fazer?

Resposta: Você não sabe disso, mas sua vida está sendo governada por uma força que impede que muitos homens e mulheres sejam mais fortes, mais capazes, mais amáveis, que ​​alcancem os seus próprios objetivos e satisfaçam as suas próprias necessidades.

Leia também:  O paciente pode adicionar seu Psicólogo nas redes sociais?

Sim, é o medo da rejeição.

Ninguém gosta de rejeição, é claro. Na verdade, todo mundo a evita sempre que puder. Mas, algumas pessoas têm mais medo dela do que outras.

No meu trabalho como Psicólogo, já conheci centenas de maravilhosas pessoas que vivem sob o peso desse medo, e sem perceber que a rejeição é uma parte inevitável de uma vida vivida plenamente.

Como o medo da rejeição surgiu em você?

Você cresceu no meio de muita rejeição

Quando um ou ambos os pais rejeitam a filha na infância, ela se tornará uma adulta altamente sensível e com medo da rejeição.

Ser rejeitado quando criança fez você se sentir insegura.

Se você não pode confiar que seus pais eram consistentes, então é difícil acreditar que as pessoas são de confiança, e que se pode confiar em alguém.

Publicidade

Agora como adulta, você antecipa e espera a rejeição em cada esquina.

Além de tudo isso, quando criança, cada rejeição por parte dos pais deixa uma ferida. Uma ferida que você não permite que ninguém cutuque.

Você não Aceita a si mesma

Para ser aceita pelos outros, você deve primeiro aceitar a si mesma.

Quando você se sente indigna de ser amada, é difícil imaginar que será realmente desejada por alguém e para qualquer coisa.

Leia também:  Atração gay: você deve omitir isso de sua futura namorada?

Negligência emocional na infância

Sei, pela minha vasta experiência no tratamento de pessoas com negligência emocional na infância, que aqueles que são criados em famílias que ignoraram, desencorajaram ou, em casos mais extremos, rejeitaram seus sentimentos e necessidades emocionais tendem a crescer com um distinto medo da rejeição.

Quando seus sentimentos são ignorados na infância, você naturalmente se sentirá ignorada e como se não fosse boa o suficiente para receber o tipo de atenção e o cuidado que os outros recebem.

Assim, você vai viver sua vida literalmente esperando ser ignorada e rejeitada.

“As pessoas percebem que tenho defeitos” pode ser o seu medo mais profundo e sombrio, mas falso.

6 maneiras de combater o medo da rejeição

  1. Esteja ciente do seu medo: depois de saber que o seu medo da rejeição é grande, impactante e um problema significativo, você estará em uma nova posição para parar de permitir que ele o controle;
  2. Descubra a origem do seu medo: quando você descobre e entende o que está causando o medo da rejeição, ele perde parte do poder;
  3. Pense na rejeição de uma forma mais complexa: ela diz mais sobre quem rejeita do que sobre quem é rejeitado. Quando você é preterida ou não por alguém, as razões só existem na mente daquele que rejeita. Essas razões são provavelmente bastante complicadas, confusas e talvez até doentias;
  4. A rejeição é um sinal de que você está se arriscando: assim como o fracasso é um sinal de que alguém está se esforçando, a rejeição é um sinal de que você está se arriscando. Este é um sinal de força e coragem;
  5. Trabalhe para aprender a amar e valorizar a si mesma: o amor próprio e a autoestima são vitais, e não apenas para melhorar seu medo da rejeição. Saber quem você é, seus pontos fortes e fracos, suas qualidades, sentimentos e necessidades é o ponto de partida;
  6. Cure sua negligência emocional da infância: os efeitos de crescer com suas emoções tratadas como um fardo indesejável permanecerão com você por toda a vida. Como adulta, você se sentirá inferior, imperfeito ou sem importância.
Leia também:  Meu namorado insiste em olhar as mensagens do meu celular

De qualquer modo, em algum momento de sua vida, você terá de decidir se quer continuar vivendo com medo e perdendo oportunidades ou, abraçar e valorizar suas próprias emoções, assumir seu verdadeiro valor, enfrentar o medo e assumir compromissos.

Esperançosamente, espero que você escolha a última opção.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *