Por que sair de um relacionamento codependente é tão difícil?

Duas mãos unidas pelo dedo mínimo

Categoria: Casamento

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

O codependente tem muita dificuldade em seguir em frente após uma separação ou o fim de um relacionamento, mesmo que ele saiba que tudo era disfuncional e doentio. Por não conseguir desistir, ele se encontra preso não apenas em um relacionamento, mas também em suas emoções.

O codependente vai se flagrar fazendo algumas dessas coisas:

  • Mandar mensagens de texto, ligar ou enviar e-mails frequentes para o ex;
  • Buscar informações (talvez nas redes sociais ou de amigos em comum) sobre o ex;
  • Gastar quantidades excessivas de tempo pensando ou se preocupando com o; ex
  • Permanecer de plantão para resgatar o ex de suas más decisões;
  • Analisar demais o relacionamento;
  • Fantasiar sobre voltarem a ficar juntos;
  • Pensar apenas nas partes boas do relacionamento;
  • Sentir ciúmes porque o ex se aproximou de outra pessoa;
  • Criar uma crise para chamar a atenção do ex.
Leia também:  Estes são os maiores sinais de uma relação codependente

As dificuldades do codependente para seguir em frente

Vamos primeiro esclarecer o que é e o que não é codependência.

A codependência é um grupo de características ou uma forma de se relacionar consigo e com os outros. Algumas das características mais comuns são:

  • Agradar as pessoas;
  • Baixa autoestima;
  • Medo de abandono;
  • Dificuldade em confiar;
  • Limites fracos;
  • Cuidar demais dos outros;
  • Querer se sentir no controle;
  • Ansiedade e;
  • Pensamentos obsessivos.

Essas características se desenvolvem na infância, geralmente como resultado de traumas e dinâmicas familiares disfuncionais. Por permanecerem até a idade adulta, elas afetarão negativamente os relacionamentos românticos.

Uma das maneiras pelas quais a codependência afeta o adulto é pela sua dificuldade em se separar de pessoas disfuncionais ou tóxicas.

Há pessoas que ficam muito tempo em relacionamentos disfuncionais, mesmo quando estão sendo feridas emocional ou fisicamente, e não há indicação de que o relacionamento vá atender às suas necessidades. Essas pessoas continuam acreditando que podem mudar o parceiro e transformá-lo em algo que ele não é, afinal elas:

  • Não querem desistir;
  • Não querem falhar em outro relacionamento e;
  • Não querem ficar sozinhas.

O término também é difícil para o codependente porque desencadeiam:

  • Sentimentos de vergonha ou de ser defeituoso e inadequado;
  • Medos de não ser amado;
  • Memórias de rejeição ou abandono;
  • Sentimentos de solidão e ciúme;
  • Baixa autoestima;
  • Medo de nunca encontrar outro parceiro e ficar sozinho para sempre.
Leia também:  Quando a frequência sexual entre parceiros é diferente

Características do codependente que dificultam o término

  • Querer agradar as pessoas. O codependente negligencia seus próprios hobbies, objetivos e amigos para se concentrar no que é importante apenas para seu parceiro;
  • Cuidados excessivos. O codependente baseia sua autoestima em cuidar e servir aos outros. Quando para de cuidar, seu valor próprio sofre um impacto negativo;
  • Limites fracos. Por causa deles, o codependente se sente responsável ​​pelos sentimentos, bem-estar e escolhas de outras pessoas. A culpa o impede de estabelecer limites apropriados;
  • Necessidade de validação. O codependente tem uma forte necessidade de validação externa. Ele precisa do outro para acalmar seus medos de não ser amado e indesejado;
  • Obsessão. O codependente tem dificuldade em se separar emocionalmente, desapegar e permitir que o outro tome suas próprias decisões. Ele passa muito tempo se preocupando, resolvendo seus problemas ou apenas pensando nele.

Dicas a sair de um relacionamento codependente

  • Lembrar-se dos problemas no relacionamento anterior. Muitas vezes, lembramos apenas dos momentos bons e esquecemos dos momentos ruins. Então, ansiamos por um relacionamento fantasioso que nunca existiu;
  • Estabelecer limites e cumpri-los. Isso significa bloquear o número, deixar de seguir nas redes sociais e pedir aos amigos que não contem o que o ex tem feito. Manter contato, direta ou indiretamente, torna a separação emocional impossível;
  • Construir um senso de identidade. Gaste tempo conhecendo a si mesmo e se envolvendo em seus próprios hobbies, perseguindo seus objetivos e passando mais tempo com seus amigos;
  • Fazer um diário. Escrever é uma maneira útil de processar sentimentos, conhecer a si mesmo e obter clareza sobre o que se deseja e precisa;
  • Cuidar bem de si mesmo. Precisamos cuidar de nós mesmos fisicamente, emocionalmente e espiritualmente para uma vida saudável e feliz;
  • Ir para a terapia. Um Psicólogo ajuda a processar sentimentos e a aprender a desafiar pensamentos distorcidos, bem como criar um plano para lidar com pensamentos obsessivos.
Leia também:  4 coisas que deixam qualquer relacionamento tóxico

Seguir em frente após o término de um relacionamento costuma ser um processo doloroso e demorado, especialmente para aquele com característica codependente.

Mas, é possível ganhar confiança, melhorar a autoestima e ter um senso mais forte de quem se é como indivíduo ao investir tempo e energia no autoconhecimento.

Publicidade

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *