O medo do fracasso, perfeccionismo e ansiedade

Navio afundando na praia

Categoria: Perfeccionismo

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Importante: este artigo é meramente informativo e insuficiente para um diagnóstico definitivo. Sendo assim, é recomendado agendar uma consulta sobre seu caso em particular.

Publicidade
Início do artigo

Em sua forma mais positiva, o perfeccionismo fornece a energia motriz que leva a grandes conquistas, bem como a motivação para persistir em uma tarefa diante de todos os problemas e desafios.

As pessoas muito talentosas, até mesmo gênios, são em sua maioria perfeccionistas e prestam atenção meticulosa a cada detalhe. Tal compromisso gera a persistência para produzir grandes descobertas científicas, músicas magníficas, ou uma obra de arte que trará alegria aos nossos corações.

No entantoca maioria dos perfeccionistas são críticos severos de si mesmos, com uma tendência a trabalhar incessantemente na direção ao que pode ser considerado objetivos irrealistas.

Os pontos positivos do perfeccionismo

Perfeccionistas mais focados no positivo tendem a ter uma melhor autoestima, pois buscam a excelência, em vez de se punirem ao cometem um erro.

Leia também:  Razões pelas quais você deve parar de buscar a perfeição

Assim, em geral, os perfeccionistas positivos são menos propensos à:

  • Depressão;
  • Ansiedade e;
  • Estilos de enfrentamento maus sucedidos.

Por outro lado, eles mais propensos à:

  • Alcançar o sucesso;
  • Ter melhor interação social e;
  • Apresentar menos problemas psicológicos e somáticos.

Efeitos negativos do perfeccionismo

Em sua forma mais negativa, no entanto, o perfeccionismo pode ter consequências muito perturbadoras e insalubres.

Os perfeccionistas que têm tais pontos de vista temem a imperfeição, e acreditam que as pessoas não vão gostar deles ou aceitá-los a menos que sejam perfeitos.

Perfeccionistas insalubres sentem-se um fracasso se não atingirem seus objetivos ou se cometerem erros. Eles se concentram somente em seus erros, e os tomam como um sinal de defeitos pessoais, impactando negativamente em sua autoestima.

As tendências perfeccionistas em sua forma patológica, incorporando estilos de enfrentamento desadaptativos, são, portanto, cansativas e trabalhosas, e estão associadas à depressão, ansiedade e sintomas somáticos.

Perfeccionismo em adolescentes e o medo do fracasso

Alguns estudantes adolescentes também sentem pressão interna para ter sucesso, por razões semelhantes às discutidas e, às vezes, quando acreditam que a pressão é direcionada à eles. Por exemplo, quando o perfeccionismo dos pais é projetado neles.

O aluno pode perceber que seus pais têm expectativas irreais e exigem melhores resultados, mesmo quando ele sente que está fazendo o melhor que pode. Os pais se concentram nos erros de seu filho, são críticos em relação às tentativas e resultados e muito raramente os recompensam por suas conquistas.

Seu trabalho nunca é bom o suficiente, não importa o quanto tentem.

Leia também:  Como superar o medo do fracasso?

Como resultado da pressão que os perfeccionistas colocam sobre si mesmos, ou por causa dos outros, haverá ​​várias consequências negativas e prejudiciais.

Perfeccionismo e ansiedade

O perfeccionismo está fortemente ligado ao Transtorno de Ansiedade Generalizada, Ansiedade Social, Transtorno Obsessivo Compulsivo e Depressão.

Uma consequência chave, a ansiedade, levará à procrastinação. Essa procrastinação é apenas um mecanismo de enfrentamento deficiente que reduz a ansiedade temporariamente, mas essa ansiedade se acumulará novamente, e com intensidade ainda maior, bem como a culpa que a acompanha quando a tarefa permanece inconclusiva.

Publicidade

No local de trabalho ou na escola, o perfeccionismo pode, portanto, levar à:

  • Um desempenho ruim;
  • Incapacidade de concluir as tarefas no prazo (ou a todas);
  • Considerável desperdício de tempo e energia, por causa da necessidade em corrigir detalhes desnecessários em vez de concluir a tarefa.

O medo do fracasso

Alguns perfeccionistas ficam paralisados ​​pelo medo do fracasso, mesmo sem ao menos iniciar a tarefa.

Essas consequências atrapalham o crescimento pessoal, ao se recusar a entregar ou apresentar um grande trabalho devido ao medo do fracasso e à preocupação de que as pessoas os julguem e critiquem.

Leia também:  Os custos invisíveis nas múltiplas faces do perfeccionismo

Em uma forma mais prejudicial, o perfeccionismo, em seu estado patológico, também pode ser considerado um fator de risco para o suicídio.

Com o perfeccionista sendo altamente autocríticos e frequentemente sofrendo de ansiedade e depressão ao não atingir o padrão excessivamente alto que coloca em si mesmo, combinado com o pensamento de não ser capaz de mostrar ao mundo como realmente se sente, o risco de ideação suicida aumenta.

Além disso, por causa de sua tendência de se apresentarem como perfeitos, eles geralmente têm vergonha de procurar ajuda.

O tratamento para o perfeccionismo está disponível e pode ser abordado a partir de muitas direções terapêuticas diferentes. A Gestalt terapia é um exemplo que envolve encontrar formas alternativas e mais saudáveis ​​de lidar, pensar e abordar as situações.

Se você ou um membro da família está sofrendo de ansiedade e depressão como resultado de tendências perfeccionistas, sinta-se à vontade para me ver. Nossas conversas são amigáveis, úteis e totalmente confidenciais.

Sobre o autor: Emilson Lúcio da Silva

Avatar de Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Artigos relacionados

Avatar do Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Autor: Psicólogo Emilson Lúcio da Silva

Emilson Lúcio da Silva é Psicólogo desde 2012. Ele possui o título de especialista pelo Conselho Federal de Psicologia e é reconhecido como uma autoridade na área de saúde mental.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *